Como desenvolver a resiliência nas crianças

A doença, a rejeição social ou o fracasso escolar podem afetar as crianças emocionalmente. Promover a resiliência nelas as ajudará a superar essas adversidades e a sair fortalecidas dessas situações.
Como desenvolver a resiliência nas crianças

Última atualização: 13 Junho, 2021

Embora queiramos proteger nossos filhos de qualquer sofrimento, ao longo de suas vidas, eles terão que enfrentar inúmeros obstáculos e situações adversas. A forma como vão reagir a essas situações pode determinar se elas causarão danos irreparáveis ou se os ajudarão a ficar mais fortes. Por isso, é extremamente importante desenvolver a resiliência nas crianças.

A resiliência não implica apenas seguir em frente depois de passar por uma experiência complicada ou dolorosa, mas também ser capaz de desenvolver recursos, habilidades e autoconfiança como resultado desse evento. Já que não podemos evitar que as crianças sofram, devemos fornecer a elas os recursos psicológicos e emocionais que possibilitem tirar algo positivo dessa dor.

As crianças podem ser resilientes?

A resiliência geralmente é considerada uma capacidade adulta que é adquirida com a idade e a maturidade. No entanto, a infância é o momento ideal para começar a desenvolvê-la.

Pai conversando com seu filho sobre resiliência.

É em seus primeiros anos que as crianças aprendem maneiras de reagir ao ambiente e aos eventos. E esses aprendizados se tornam padrões duradouros que tendem a se repetir. Se desde o início mostrarmos a elas como lidar com a frustração, o conflito e as dificuldades, estaremos evitando sofrimentos no futuro.

Dicas para desenvolver resiliência nas crianças

A resiliência é ensinada principalmente em casa, por meio do exemplo de um adulto e de ações cotidianas. Alguns dos principais aspectos a serem abordados são os seguintes.

Estabelecer boas relações interpessoais

Crianças que contam com uma forte rede de apoio são muito mais capazes de enfrentar e superar situações adversas. Ter amor, conforto e apoio reduz o impacto emocional de uma circunstância desfavorável. Por isso, procure fomentar os vínculos do seu filho com outras pessoas importantes, como família, amigos, colegas, etc. As relações sociais são um grande fator de proteção.

Ter uma boa comunicação assertiva

O desenlace de um conflito muitas vezes depende de como a situação é abordada. Assim, se uma criança tiver desenvolvido uma boa capacidade comunicativa, ela será capaz de lidar com desentendimentos e negociações de uma forma mais saudável. Portanto, ensine seus filhos a se expressarem de forma respeitosa, mas clara, ou seja, uma maneira que lhes permita estabelecer limites quando necessário.

Ajudar os demais para desenvolver a resiliência nas crianças

Ao enfrentar obstáculos ou acontecimentos dolorosos, as crianças podem se sentir impotentes, sem valor e incapazes de fazer a diferença com suas ações.

É por isso que ajudar os outros pode ser bom para que elas desenvolvam autoconfiança, e se sintam úteis e capazes. Incentive seu filho a ter empatia e compaixão pelo sofrimento alheio, oferecendo escuta, conforto e apoio a quem precisa. Desse modo, ele também saberá se ajudar e se deixar ser ajudado quando precisar.

Aprender a cuidar de si mesmo

O autocuidado com o corpo e a mente é essencial para conseguir sair mais forte de qualquer trauma ou contratempo. Por isso, ajudar as crianças a estabelecer hábitos e rotinas saudáveis é muito positivo. Manter uma alimentação balanceada, praticar exercícios regularmente, expressar suas emoções e aprender a regulá-las por meio da respiração e outras técnicas simples são recursos valiosos desde a infância.

Trabalhar a autoestima

Vivenciar um fracasso ou um acontecimento doloroso pode levar a criança a pensar que ela, como pessoa, é insuficiente e que o que aconteceu é sua culpa. Dessa forma, é necessário que ela tenha uma autoestima sólida e saudável, que lhe permita lembrar que o seu valor é inquestionável e que é capaz de seguir em frente apesar do que aconteceu.

Saber que a mudança faz parte da vida

 

Mãe ajudando a filha a construir resiliência.

Ser resiliente é aceitar que a mudança faz parte da vida e usá-la como um motor para melhorar como pessoa. O mesmo evento pode ser interpretado como uma crise ou como uma oportunidade. E aqueles que fluem com a mudança, em vez de resistir a ela, são capazes de evitar ou reduzir o sofrimento. Ajude seu filho a aceitar a mudança em vez de temê-la.

Incentivar pensamentos positivos para desenvolver a resiliência

Ao enfrentar adversidades, é comum cair no pessimismo, retroalimentando emoções negativas. Portanto, é importante incentivar o pensamento positivo nas crianças. Isso as ajudará a identificar os aspectos de suas vidas que dão certo e as oportunidades e recursos de que dispõem para seguir em frente. Além disso, vai ajudá-las a olhar para o futuro com a esperança de que tudo sempre pode melhorar.

Em suma, desenvolver a resiliência nas crianças as ajuda a lidar com a frustração, o conflito e a adversidade. Dificuldades acadêmicas, rejeição social, doenças ou problemas familiares podem ser uma fonte de estresse e sofrimento emocional. No entanto, uma criança resiliente passará por esses eventos adquirindo aprendizagens e saindo fortalecida dessa experiência.

Pode interessar a você...
9 características de crianças resilientes
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
9 características de crianças resilientes

A vida de nossos filhos nem sempre é tão fácil como pensamos. Hoje mostraremos algumas características das crianças resilientes.