Como reanimar um bebê?

· 7 de julho de 2018
Reanimar um bebê que se asfixia é uma das experiências mais traumáticas que uma mãe pode sofrer. É um acontecimento que nunca queremos presenciar. Porém, assim como outras coisas isso pode acontecer em qualquer momento.

Nós mamães, estamos conscientes de que somos aptas aos desconfortos da gravidez, à dor do parto, à amamentação, à criação do bebê… mas ninguém está emocionalmente preparado para enfrentar uma situação tão dolorosa.

Apesar disso, somos mulheres. E como mulheres, fazemos qualquer coisa para salvar a vida do nosso filho.

Por isso, descubra tudo sobre como fazer reanimação cardiopulmonar em uma criança. Se em algum momento você se encontrar na difícil situação de ver seu filho nessa circunstância, segure as lágrimas e use esse conhecimento para salvar a vida dele.

Tome medidas para evitar um acidente

Um bebê é um ser travesso e curioso, sempre em busca de aventura. Seu universo é grande, bonito e está cheio de conhecimento.

Contudo, um bebê não mede o perigo. Se um animal for até ele com o único propósito de devorá-lo, ele permaneceria imóvel sem nenhum medo, observando o animal se mover rapidamente.

reanimar um bebê

Com esse exemplo, temos a intenção de dizer que a sua experimentação e inocência, juntamente com os perigos que podem ser encontrados no interior de casa podem causar infelizes acidentes.

Então a primeira coisa a ser feita é proporcionar um espaço onde a criança não corra riscos quando engatinha, se move e aprende sobre o mundo que está ao seu redor.

No quarto, devem ficar os brinquedos próprios  para a sua idade. Nada de soldadinhos, bolinhas ou outros brinquedos com peças pequenas que possam ser colocados na boca.

Se um ursinho de pelúcia rasga, é melhor tirá-lo do seu alcance. O bebê pode ser curioso sobre o material interno do bichinho e acabar levando à boca para descobrir o sabor.

De qualquer forma, esperamos que você saiba tomar estas e outras precauções quando seu filho não quiser mais ficar dentro do cercadinho e prefira caminhar no chão em busca de alguma bugiganga para comer.

Saiba a causa da asfixia e suas consequências

Você deve saber que a asfixia ocorre quando o oxigênio não chega aos pulmões para permitir a tão necessária respiração.

A asfixia acontece quando as vias aéreas, que normalmente permitem a passagem do fluxo de ar, são bloqueadas. Isso pode ser causado pela obstrução provocada por um corpo estranho, afogamento, entre outros.

Sempre que a respiração é cortada e provoca uma parada cardiorrespiratória, quem estiver presente terá poucos segundos para reanimar a criança e fazê-la respirar novamente.

Se não o fizer a tempo, o dano cerebral será irreversível. No pior dos casos, a asfixia pode terminar em morte.

reanimar um bebê

Um detalhe essencial que você nunca deve ignorar

Para a sua surpresa, devemos lhe contar que ao ver o seu filho se asfixiando, o primeiro passo a ser tomado é não socorrer imediatamente.

Talvez com alguns tapinhas nas costas por exemplo, ele consiga soltar o objeto que o impede de respirar e o susto fique somente nisso: no susto.

Mas à primeira vista não é possível avaliar a gravidade do seu estado. Se você ver que seu filho está sufocando e você está sozinha em casa, ligue rapidamente para a emergência.

Quando a ajuda estiver a caminho, então sim, você poderá fazer tudo o que for possível para ajudar.

A asfixia por engasgo

Mamãe, se você perceber que o seu bebê está com dificuldade para respirar e suspeita de que um corpo estranho foi introduzido na boca ou no nariz, não tente tirar o objeto. Muitas vezes esse procedimento piora a situação fazendo com que o objeto entre ainda mais no organismo.

Se o seu filho apresenta tosse, deixe-o tossindo por alguns segundos. Mas não espere muito, coloque-o de bruços sobre um de seus antebraços e o apoie nas suas coxas de modo que a sua cabecinha fique num nível mais baixo que o corpo.

Apoie bem a cabeça e o pescoço e dê algumas batidinhas nas costas entre as omoplatas. Essas batidas não devem ser muito fortes, mas firmes e com intervalos entre elas.

A reanimação do bebê

Se a técnica anterior não tiver o efeito esperado, e para piorar, seu filho tiver uma parada respiratória, você deve aprender a reanimá-lo.

A reanimação cardiorrespiratória (RCR) ou reanimação cardiopulmonar (RCP) que se aplica em um bebê é semelhante à de um adulto ainda que com algumas variações.

Para fazer isso, recomendamos que você coloque o seu filho de costas sobre uma superfície dura.

Em seguida, coloque os dedos médio e anelar de uma mão no centro de seu peito, no esterno, abaixo da altura dos mamilos. Os dedos devem pressionar o peito cerca de 30 vezes seguidas. 

Cada vez que fizer uma pressão, sem levantar os dedos, deixe que o peito de seu filho retome a sua posição. Em seguida, volte a pressionar e continue o procedimento de maneira sucessiva.

Quando você terminar as 30 repetições, coloque a sua boca de modo que cubra totalmente tanto a boca quanto o nariz do bebê. Com delicadeza, sopre suavemente um pouco de ar em seus pulmões. Você notará que a barriga e o peito do seu filho se inflam.

Aguarde alguns segundos para que o ar saia e repita o procedimento novamente. Depois disso, volte a fazer as compressões torácicas e assim que acabar de fazer, repita outras das vezes a respiração artificial.

Execute esse procedimento quantas vezes for necessário até que a criança reaja ou que chegue o socorro que você chamou anteriormente.