A escolha dos brinquedos de acordo com a idade

5 de janeiro de 2017
A escolha dos brinquedos não é uma tarefa simples ou pequena, pois eles culminam em benefícios para o desenvolvimento das crianças. Descubra quais são os brinquedos adequados para cada idade neste artigo.

Quem disse que a escolha dos brinquedos mais adequados para nossos filhos é uma tarefa simples ou pequena? Pois, como sabemos, o oferta de brinquedos é grande e variada em todo comércio pertencente a este âmbito.

Além disso, esses objetos culminam em importantes benefícios para as crianças. Por isso é muito difícil decidir qual é o mais adequado. Quais brinquedos são propícios para determinadas idades? Quais aspectos devo considerar na hora de escolhê-los?

Quando a criança brinca coloca sua esfera psicofísica em movimento, o que colabora com o conhecimento de si mesmo e dos demais. Assim, cada brinquedo novo se transforma em um desafio ou prova a superar, o que implica em ganhos para: captação auditiva e visual, sincronização, posturas corporais, etc…

Então, os brinquedos estimulam o desenvolvimento intelectual, motriz, afetivo e social durante as diferentes etapas de amadurecimento da criança. É fundamental considerar que o desenvolvimento da brincadeira é gradual e contínua, por isso cada fase é consequência da etapa anterior.

shutterstock_115654150-500x480

Favorece o desenvolvimento e a segurança da criança

Os brinquedos contribuem para o desenvolvimento harmônico da criança desde o aspecto físico, mental e social. Brincar constitui uma forma de aprender, já que os pequenos elaboram suas vivências emocionais e colocam em curso os papéis sociais a desenvolver como adultos.

Portanto, é imprescindível adequar um lugar para que a criança brinque e proporcioná-la os brinquedos adequados e necessários que tragam sensações corporais para enriquecer seu mundo desde quando são bem pequenos.

Outro fator essencial a considerar é a segurança do brinquedo. Neste sentido, há uma faixa etária na qual é mais propenso se machucar com determinados brinquedos e, ainda que os danos não costumem ser severos, em ocasiões podem causar morte ou deixar sequelas graves.

Isso pode soar como um exagero, mas a realidade é que podem ocorrer atritos, quedas, queimaduras, asfixias, afogamento ou intoxicação. Em consequência, os pais devem selecionar os brinquedos convenientes e que ajudem a desenvolver as capacidades de seus filhos.

5 Conselhos para escolher os brinquedos

  1. Que se adeque a sua idade e favoreça o desenvolvimento de determinadas atitudes em nossos filhos.
  2. Que seja seguro. O material com o qual é feito não deve lascar, cortar e nem quebrar. Priorize cores sólidas e não tóxicas. Quanto menor for o seu filho, maiores devem ser os brinquedos e suas peças.
  3. Que seja simples. Deste modo, aumenta a possibilidade de usos que pode ser dado a ele, desenvolvendo a imaginação e sua capacidade simbólica.
  4. Que complemente sua personalidade. Por exemplo, para uma criança retraída, o melhor será recorrer a brinquedos socializadores, ou seja, com vários brinquedos; para um hiperativo é conveniente recorrer a brinquedos de atenção ou artísticos, etc…
  5. Lembre-se que o excesso de brinquedos mata a imaginação e causa tédio.

shutterstock_105557297-500x333

Os brinquedos para cada idade

  • De 0 a 6 meses. O bebê precisa de brinquedos vistosos que lhe ajudem a descobrir o corpo e a distinguir diferentes texturas, formas e cores. Nesse caso pode-se recorrer a chocalhos e coisas para pendurar acima do berço, além de bonecos de borracha, mordedores, bolinhas de pelúcia, mantas com atividades, etc…
  • De 7 a 12 meses. A criança começa a explorar os objetos e reconhecer vozes. Por isso além de escolher objetos de diferentes texturas e cores podemos adicionar sons e luzes de cores. É possível adquirir bolas, bonecos de pano, brinquedos sonoros, etc…
  • De 13 a 18 meses. As crianças já sabem andar e reconhecem as propriedades dos objetos. Os cubos para encaixar e empilhar, as bicicletas com rodas e os carrinhos são ideais para esta etapa.
  • De 19 a 24 meses. O pequeno fala e compreende, começando a descobrir seu ambiente. Carros, quadros, pinturas, instrumentos musicais, bonecas, animaizinhos e demais objetos que possam arrastar com barbantes são uma boa ideia. Devem ser brinquedos coloridos e fáceis de manipular, como brinquedos de encaixe e blocos grandes.
  • Entre 2 e 3 anos. Nesta etapa de desenvolvimento começam a sentir curiosidade pelos nomes e imitam cenas familiares. São recomendados triciclos, bolas, pás, cubos, quebra-cabeças, pinturas, telefones e bonecas. Outras opções são bonecos de pelúcia e celulares, espadas, fantasias e quebra-cabeças de peças grandes e poucos recortes.
  • Entre 4 e 5 anos. A criança curiosa aprende canções e interage com os pares. É aconselhável recorrer a bicicletas, quadros, ferramentas de plástico ou brinquedos de construir com peças grandes, gravadores, contos, marionetes e bonecos articulados, etc…
  • Entre 6 e 8 anos. A criança sabe somar e subtrair, ler e escrever. Você pode presenteá-la com patins, carrinhos de controle remoto, jogos de perguntas e experimentos, bonecas articuladas com casinhas, utensílios de cozinha ou mesas de serviço. Nestas idades também deve-se considerar jogos com normas a serem seguidas, como jogo da memória, loteria, dados, cartas, livros com letras grandes e figuras coloridas, jogos para completar palavras, etc.
  • Entre 9 e 11 aos. Surge um interesse por atividades complicadas, por isso recorrer a complementos esportivos, jogos de estratégia e reflexão, audiovisuais, eletrônicos e experimentos, é uma boa opção. Diários íntimos, livros para desenhar, trens, pistas de carrinhos, maquetes para amarrar aviões e barcos, jogos de mesa e outros, podem forjar a inteligência destas crianças.