Como saber se você é estéril?

· 23 de abril de 2018
Se você está em busca de um método ou sintoma no seu corpo que te diga como você pode saber se é estéril, conheça essa lista de testes, exames e estudos que podem ser úteis.

Como saber se sou estéril? Se você está se fazendo essa pergunta, com certeza, é porque está há algum tempo tentando engravidar sem conseguir um resultado positivo, não é mesmo? São vários os sentimentos e as dúvidas que vão te atormentar nesse momento. Continue lendo e descubra como você pode encontrar a orientação necessária para acabar com as suas dúvidas.

Esterilidade vs infertilidade

É necessário saber que esterilidade não é a mesma coisa que infertilidade. Embora seja muito comum usar esses termos como sinônimos, eles não são.

A esterilidade se refere à incapacidade de engravidar depois de muitos anos tentando. Ao passo que a infertilidade é a impossibilidade de prosseguir com a gravidez pois todas acabam em abortos espontâneos.

Causas da esterilidade

Em relação à incapacidade de engravidar, você deve saber que existem várias causas que podem ajudar a determinar se você é estéril ou não. Algumas delas são:

  • Doenças no colo do útero, como a endometriose.
  • Malformações uterinas.
  • A idade. Se você já passou dos 35 anos de idade, esse pode ser o motivo.
  • Problemas de ovulação por não ter ciclo menstrual regulado.
  • Obesidade.

Métodos para saber se você é estéril

Para confirmar alguma das causas anteriores, existem métodos ou exames que ajudam a saber se você é estéril ou não.

Testes de ovulação

A primeira coisa que você deve confirmar é se seu processo de ovulação está funcionando corretamente. Para isso, você pode fazer os seguintes exames:

  • Teste de progesterona: Esse hormônio é o que dá início à gestação. Com esse teste, será possível saber se você ovula. E, caso ovule, se seu corpo produz progesterona em quantidade suficiente. Isso é determinado com um exame de sangue que deve ser realizado de 22 a 24 dias após a sua menstruação. Você deve coletar duas amostras para que o exame seja completo.
  • Teste de reserva ovariana: Esse teste é necessário se você tem mais de 35 anos. Por meio de um exame de sangue, você vai confirmar se o hormônio folículo estimulante está ativo. Este hormônio é responsável por estimular o ovário. O teste deve ser realizado no terceiro dia após o início da menstruação.

Estudo da permeabilidade das trompas

Esse exame se chama histerossalpingografia e envolve realizar uma radiografia das trompas de Falópio. Por meio da imagem obtida, será possível saber se as trompas estão obstruídas ou não.

Para isso, o radiologista introduz um líquido chamado contraste no útero, por meio de um cateter. Esse líquido enche as trompas. Se fluir facilmente, elas estão livres ou permeáveis.

Outro exame possível é a histerossonografia, que nada mais é do que uma ultrassonografia vaginal.

Exames do colo do útero

Com estes 3 exames, será possível avaliar se seu útero está apto para uma gravidez.

  • Permeabilidade do canal cervical. Esse exame é uma exploração da vagina, na qual se espera confirmar que o canal cervical é permeável, permitindo a entrada à cavidade uterina. É realizado por um ginecologista que introduz um tubo de inseminação.
  • Histeroscopia. É uma endoscopia sem anestesia, na qual se introduz pela vagina um histeroscópio que permite ver o interior do útero e das tubas uterinas. E, assim, será possível descobrir se há alguma alteração. Com esse exame, será possível descartar qualquer malformação, miomas ou pólipos que possam dificultar a gravidez.
  • Ultrassonografia transvaginal. Esse exame é muito básico e através dele será possível verificar se existem anormalidades no útero, no canal cervical ou qualquer outra alteração que possa ser detectada no ovário.
saber se você é estéril

O que mais se pode fazer?

Se você já analisou as causas da esterilidade e acredita que não possui nenhuma alteração, tanto você quanto seu parceiro podem seguir os seguintes passos:

  • Analisar o histórico médico.
  • Fazer uma consulta ginecológica em conjunto.
  • Realizar uma ultrassonografia abdominal.
  • O parceiro também deve realizar um exame do sêmen, o espermograma.
  • Fazer uma análise hormonal completa.

Se, após realizar essa série de exames que acabamos de descrever, os resultados forem normais e não for possível comprovar nenhuma causa aparente, podemos estar diante da chamada esterilidade de origem desconhecida. Mas isso não significa que você nunca poderá ser mãe. Lembre-se de que há várias alternativas às quais você pode recorrer.

Se o fato de saber se você é estéril ou não está te atormentando, talvez seja bom procurar alternativas para diminuir um pouco a ansiedade. Faça atividades que possam te distrair e, se você achar necessário, procure um psicólogo para ajudar você a enfrentar esse momento difícil.