Como superar a rejeição na adolescência?

15 Agosto, 2020
O sentimento de rejeição que alguns adolescentes sentem pode vir do ambiente escolar, social ou familiar. É importante que os pais estejam vigilantes para lidar com essa situação da melhor maneira possível.

Pode aparecer a qualquer momento, muitas vezes é inevitável e é necessário saber como lidar com ela. Como superar a rejeição na adolescência? Uma conversa saudável entre pais e filhos será um dos primeiros passos para enfrentar esse problema, que afeta uma grande porcentagem da população jovem.

Todos somos propensos à rejeição

A rejeição não é exclusiva da infância ou da adolescência. As autoras de Harry Potter e Crepúsculo passaram por isso com suas primeiras obras. A diferença é que elas souberam como assimilar, reconhecer e enfrentar o problema. Atualmente, ambas são pessoas de sucesso, com carreiras invejáveis ​​e trabalhos cada vez mais procurados.

A diferença entre enfrentar e sofrer com a rejeição se traduz nas atitudes diante da vida que podem moldar o nosso futuro. Ao se deparar com ela, o adolescente pode obter resultados positivos, desenvolver a resiliência e aprender com esse fracasso.

Se, pelo contrário, o jovem ficar sofrendo com a rejeição, seja no ambiente social ou familiar, ele vai ficar preso em um círculo negativo e vicioso que vai impedi-lo de ver as causas que a originaram. Dessa forma, as soluções possíveis, que poderiam estar à mão, também serão descartadas.

Rejeição e aprendizado

Primeiramente, é preciso entender que, na vida, a possibilidade de sermos rejeitados é sempre latente, seja em nossos relacionamentos interpessoais, nossas aspirações ou nosso ambiente. Se o adolescente perceber a rejeição como um aprendizado, ele será capaz de superá-la rapidamente e tentar trilhar o caminho em direção ao sucesso novamente.

É verdade que a rejeição dói. Ela afeta a autoestima, a capacidade de tomar decisões e a vontade de iniciar novos projetos. Por menor que seja, ela sempre terá um certo impacto no adolescente. No entanto, o fato de ter acontecido não significa que a rejeição sempre vai acontecer ou que todos vão rejeitá-lo.

superar a rejeição na adolescência

Dessa forma, vale a pena avaliar o que levou a esse episódio, as consequências que ele pode ter e como isso pode ser superadoO pior seria ficar preso à frustração e à tristeza, uma paralisia que só resultará em danos para aqueles que a usarem como mecanismo de defesa.

Como superar a rejeição na adolescência 

O mais prudente é reconhecer e aceitar o que aconteceu, entender que isso dói e que é normal se sentir triste. Podemos até mesmo chorar se tivermos vontade, mas nunca devemos nos culpar porque isso aconteceu.

Conversar com outras pessoas ajuda a colocar esses sentimentos em palavras e a saber que alguém está nos ouvindo. Se reconhecermos que nos esforçamos, mas não obtivemos os resultados esperados, poderemos enfrentar o problema de uma forma mais rápida e melhor. Nem sempre se ganha, e chegará a hora de virar a página.

“A diferença entre enfrentar e sofrer com a rejeição se traduz nas atitudes diante da vida que podem moldar o nosso futuro”.

Atitude positiva

Uma atitude positiva diante da rejeição vai nos impedir de ficarmos obcecados com ela. Se cairmos nessa tendência, vamos reviver o episódio negativo repetidamente e teremos medo de tentar as coisas novamente. Assim, a espiral de rejeição poderia aumentar.

O oposto disso é manter pensamentos positivos. Buscar uma explicação para os fatos é uma opção, desde que isso não atente contra nós mesmos. O adolescente deve pensar mais sobre por que as coisas aconteceram e não em ‘por que eu fiz que as coisas acontecessem’.

A culpa e o arrependimento só pioram a situação, aumentando a tendência de acreditar que não temos virtudes e de perder a esperança. A autoconfiança gera o efeito oposto, tornando-nos mais otimistas e propensos a tentar novamente.

superar a rejeição na adolescência

Exaltando as próprias virtudes

Para enfrentar a rejeição, é importante exaltar as próprias virtudes e qualidades. Se pensar positivo, o adolescente dará mais importância aos momentos nos quais foi aceito do que àqueles quando foi rejeitado.

Pouco a pouco, o jovem que pensa positivo vai aprender a se lembrar mais das pessoas que têm afeto por ele do que daquelas que o rejeitaram. O mérito de ter tentado entrar em outros grupos não passará despercebido e os esforços para ser aceito na escola ou na faculdade com a qual sonhou serão redobrados.

Otimismo e pensamentos positivos

Por fim, ser otimista é uma parte central dessa questão. É necessário ter mais pensamentos positivos, entendendo que na vida nem tudo dá certo.

O resto virá por si só. É necessário ter maturidade e resiliência, assim como realizar esforço e enfrentar desafios. Essa é a melhor maneira de superar a rejeição na adolescência.

  • https://www.uv.es/lisis/belen/psicolog-educt.pdf
  • http://www.paidopsiquiatria.cat/files/12_fobia_escolar.pdf
  • https://core.ac.uk/download/pdf/72045371.pdf