Cura e prevenção para as dores e rachaduras nos mamilos

· 8 de fevereiro de 2018
O surgimento de dores e rachaduras nos mamilos durante a lactação pode ter muitas causas. A mais comum é um erro na postura que causa uma sucção ineficiente.

As dores e rachaduras nos mamilos são um problema extremamente comum no início da lactação. Suas causas podem ser várias, mas também existem formas de aliviar e curar esses problemas. Neste artigo te contamos tudo o que você precisa saber sobre o tema.

O início da lactação é, sem dúvidas, um dos momentos que marcam a união única e irrepetível entre uma mãe e seu filho. Porém, às vezes nem tudo é cor-de-rosa. Podem surgir pequenos obstáculos que tirem um pouco da magia (ainda que não toda) desta etapa da vida de vocês dois.

Causas das dores e rachaduras nos mamilos

Um dos incômodos mais frequentes são as dores e rachaduras nos mamilos durante ou depois de alimentar o bebê. Podem ser causadas por diferentes razões, como por exemplo:

  • Infecção nos mamilos ou condutos. Se você sente pontadas ou dores muito incômodas e o bebê precisa fazer um esforço notável para se alimentar, você deve consultar seu médico. Geralmente, é feita uma coleta de amostras para encontrar a origem da infecção e encontrar uma solução adequada.
  • Dor fisiológica transitória. Durante os primeiros dias, a quantidade de leite nesta região não é muita. Por isso o bebê deve fazer mais pressão para poder sugar. Com o passar dos dias, a dor deveria desaparecer.
  • Posição incorreta no momento de amamentar. Se o bebê não estiver em uma posição que lhe permita sugar de maneira correta, a pressão mal aplicada pode causar o surgimento de rachaduras que doem bastante.
  • Retirar o bebê do peito de maneira incorreta. É preciso pressionar levemente a comissura de seus lábios com um dedo, deixar que entre algum ar e, aé sim, retirá-lo suavemente.
  • Sucção disfuncional. Se o bebe sofre de anquiloglossia ou freio sublingual curto, o mecanismo de sucção não pode ser o mais eficiente e causar dores na mãe.

É importante esclarecer que amamentar não causa dor. Por isso, se a mulher sentir qualquer tipo de incômodo ao fazê-lo, deve revisar o procedimento para ter certeza de que é o indicado. Ou, em todo caso, tratar com a ajuda de um profissional.

Como aliviar e curar as dores e rachaduras nos mamilos?

O essencial nestes casos é verificar se a forma de amamentar do bebê é a mais adequada. Tanto para que ele possa se alimentar corretamente quanto para que o processo não seja doloroso para a mãe.

Existem profissionais extremamente capacitados nestas questões que podem te dar assistência. Não hesite em consultá-los.

Para poder “regular” a quantidade de leite nos seios, recomenda-se amamentar com frequência. Desta maneira a quantidade de leite vai se normalizar no início, quando ainda é escassa, e não se acumulará posteriormente. Você também pode usar um extrator de leite.

No caso das posturas incorretas, o ideal é procurar uma forma certa para o bebê conseguir mamar de modo eficiente. A associação espanhola “Alba Lactancia Materna” tem conselhos muito úteis para evitar estes problemas. Dentre os quais se destacam o agarre assimétrico para uma mamada indolor e a posição deitada.

Por fim, se a impossibilidade de realizar a alimentação do bebê se deve a uma anquiloglossia, novamente é recomendável procurar uma posição que compense os problemas que o bebê possa ter para sugar.

Pode-se prevenir o surgimento de dores e rachaduras nos mamilos?

Por se tratar de problemas mecânicos que surgem durante o início da lactação, é inútil tentar prevenir a formação de rachaduras na gravidez com cremes ou outro tipo de produtos. Em contrapartida, são, sim, necessários para tratar as rachaduras já produzidas. Porém, é fundamental, ainda que soe reiterativo, tomar todas as precauções para conseguir que a lactação seja o mais sereno e eficiente para a mãe e o bebê. Levada em consideração desde o primeiro momento, esta é a melhor medida preventiva.

Outra técnica cuja efetividade está confirmada é passar um pouco de azeite no mamilo e na auréola e deixar ventilar. No passado, costumava-se recomendar passar um pouco do próprio leite sobre a região afetada, mas se existir uma alteração bacteriana isso só pioraria a situação com mais rapidez.

Não se recomenda lavar os seios com água e sabonete. A única coisa que se consegue com isso é fazer com que a capa de proteção natural que existe nessa região seja removida.

Como conselho final, vale a pena ressaltar acima de tudo que o período de lactação, fundamental nos primeiros meses de vida, não deve ser interrompido sob nenhuma circunstância. Se você sofre de algum desses problemas mencionados, paciência e dedicação. Eles vão se solucionar dentro de alguns dias.