Dicas para pais de crianças agressoras

26 Janeiro, 2021
Atualmente, como bullying é cada vez mais frequente, podemos encontrar técnicas para ajudar as vítimas. Porém, também é muito importante intervir junto às crianças agressoras para eliminar esses comportamentos.

O bullying é uma das coisas que mais preocupa pais e professores, uma vez que as agressões entre pares estão se tornando cada vez mais frequentes. Nas linhas a seguir, veremos algumas dicas para pais de crianças agressoras.

Frequentemente, encontramos artigos sobre o que fazer para ajudar as crianças vítimas do bullying, mas também precisamos trabalhar com as crianças agressoras para que essas ações ruins deixem de ocorrer. Muitas vezes, essas crianças usam a agressão como uma forma de se relacionar com os outros e isso deve ser trabalhado.

Como os pais de crianças agressoras podem detectar se o filho está fazendo bullying?

É difícil que o bullying venha à tona por causa da “lei do silêncio” enfrentada pela vítima. Sempre nos concentramos em detectar as vítimas de bullying e em ver quais são as suas características. Por isso, veremos alguns aspectos que são comuns na maioria das crianças que atuam como agressoras:

Dicas para pais de crianças agressoras

  • Geralmente, são crianças com falta de empatia e raciocínio moral. Elas não sabem se colocar no lugar do outro nem têm consciência da dor que causam.
  • Apresentam uma baixa tolerância à frustração e são muito impulsivas.
  • Fazem tudo com base na violência e na força. Com frequência, participam de confrontos e costumam zombar dos colegas constantemente.
  • Sua forma de interagir com as outras crianças é por meio da submissão e do domínio.
  • Não têm habilidades de resolução de conflitos, então usam a violência para resolver os problemas.
  • São crianças que não respeitam os limites ou as normas estabelecidas, onde quer que estejam.
  • Carecem de responsabilidade e são incapazes de compreender a seriedade da ação praticada. São incapazes de fazer autocrítica.
  • Frequentemente, utilizam a violência escolar para chamar a atenção, pois buscam compensar as situações em que se sentiram fracassadas ​​ou excluídas.

O fato de uma criança ter essas características não significa que ela já seja agressora, mas as chances de isso acontecer podem ser maiores caso elas estejam presentes. Se o seu filho apresenta alguma dessas características, observe-o e, se precisar, peça ajuda especializada.

O que os pais de crianças agressoras podem fazer para ajudar os filhos?

Se você acha difícil saber que o seu filho é vítima de bullying, saiba que também é difícil descobrir que o agressor é o seu filho. Em ambos os casos, isso representa um grande problema para os pais. Portanto, é importante prevenir desde cedo, ensinando valores morais.

Se você é mãe (ou pai) de uma criança agressora, você pode se sentir culpada e isso pode te impedir de raciocinar claramente. Esse sentimento de culpa pode levar à negação (você não consegue acreditar e nega que o seu filho tenha sido um agressor), porém você não deve permanecer na negação, e sim seguir em frente para redirecionar a situação.

O que você pode fazer se o seu filho atuar como agressor praticando o bullying na escola?

  • Você sempre deve colaborar com o centro educacional da criança. Converse com os professores que falarem sobre a situação, tenha interesse pelo que está acontecendo e fale com o departamento de orientação para que possam te ajudar a administrar a situação.
  • Incentive o seu filho a compreender que ele é responsável pelas suas ações e que elas têm consequências. Nunca responsabilize os professores ou outras pessoas. Quando perceber que o seu filho está pronto, ele deve se desculpar com a vítima.
  • Nunca defenda o seu comportamento e culpe os outros colegas. Isso só vai piorar a situação.
  • Descubra por que o seu filho age assim. Não existem crianças boas e más, e sim crianças com mau comportamento. Esses comportamentos devem ser corrigidos e, para isso, um psicólogo pode ajudar.
Dicas para pais de crianças agressoras

Em suma, é difícil para os pais de crianças agressoras aceitarem essa situação e, além disso, também causa sofrimento e dor na família. Porém, acima de tudo, é preciso enfrentar a situação com calma e ajudar a criança para que ela possa aprender comportamentos positivos.

Além disso, você deve ter em mente que não está sozinha nesse processo, pois existem profissionais que podem ajudar vocês nesse caminho complicado para que possam sair vitoriosos. Força! Você não tem culpa.