Filho, você é o motor da minha vida

24 Outubro, 2018
Filho, desde que você veio a este mundo não deixo de pensar sobre o que considero uma grande verdade universal. Não há força mais poderosa do que uma criança.

Mas não qualquer criança, mas uma muito especial e única para cada pai e mãe. Pois acredite em mim, desde que o momento em que o conheci, você se tornou o motor da minha vida.

Você é a aquela substância estranha que é capaz de me empurrar para viver dia a dia. Quem mesmo sem dizer meia palavra consegue me incentivar o bastante para continuar a viver todos os dias.

Minha vida, você é luz e também movimento, o impulso necessário para seguir em frente.

Meu pequeno amor, muito obrigada por orientar cada um dos meus passos. Por demarcar o caminho a ser percorrido e me alertar sempre que eu sinto perder o rumo.

Agradeço à vida pela possibilidade de ter me transformado em sua mãe. Afinal, foi você quem me ensinou muito sobre a vida.

Você explicou que é melhor viver a vida do que apenas passar por ela. Inclusive, sempre me levantar depois de cada queda e me animar quando sinto que foi uma batalha perdida.

Você fez com que a dor deixasse minha pele mais resistente e transformasse cada erro em um conhecimento e outra experiência de vida.

O motor da minha vida, sempre

Meu filho não posso deixar de admirar cada um dos dias que passamos juntos, lado a lado.

Você chegou para mudar a minha vida definitivamente, para me deixar muitas lições a serem aprendidas. Sem dúvida, acredito que somos nutridos um pelo outro.

minha vida

Desde o dia em que cada complicação se tornou em uma coisa sem importância, entendi tudo.

Eu vi uma verdade universal diante dos meus olhos. Bem na minha frente estava a mais poderosa força motriz.

Diante do meu olhar obcecado, esse pequenino tinha em suas mãos o meu coração, a minha vida e a minha energia.

Você se tornou então, o combustível mais natural, poderoso e eficaz.Você foi capaz de mobilizar as mais profundas entranhas. Plena confiança em mim e é claro em você.

Foi quando eu entendi que não há nenhum impossível com esse menino brilhante no meu time. Que não há mal que dure cem anos e que tudo tem uma solução.

Ainda mais se ao meu lado posso encontrar a razão para superar qualquer obstáculo.

Você é a força que me faz sair de qualquer poço. Tenho vontade de chegar onde for, por você e por mim.

Faria tudo por essa família que aceitei com muito amor, mesmo sem estar plenamente consciente disso.

E é você, meu filho, a pequena faísca que me faz acreditar todos os dias que merecemos o que sonhamos. E nós podemos fazer isso acontecer.

Muito obrigada meu eterno bebê!

Eu tenho muito a agradecer a esse pequeno e doce ser. Sua ternura e inocência são o que me impulsiona a seguir dia após dia.

Nesse lindo e inesquecível sorriso, encontro refúgio para os problemas.

Esse olhar sincero, penetrante e desinteressado é a minha bandeira de luta diária.

minha vida

Cada “mamãe, eu te amo” é o melhor bálsamo para o meu ser. Um beijo, um abraço ou aquelas frases que acendem o pavio da alma e aquecem o coração.

E a base de tudo isso é mais forte do que tudo: o amor!

Depois disso, nada mais importa. Esse amor tão puro, profundo, incondicional e incomparável é o segredo.

Não há nenhuma dúvida sobre isso. É o alimento que nutre a minha alma e faz de você o motor da minha vida, o apoio sem o qual não poderia continuar nem um segundo.

Que não se perca esse lindo costume de acordar com você ao meu lado. Que não se percam esses momentos mágicos e memoráveis. Que a brincadeira seja parte de cada dia, que o frescor da sua infância preencha a minha alma.

Eu só desejo que você esteja sempre presente, meu querido filho.

Imagens cortesia de kmberggren

  • Bowlby, J. (1986). Vínculos afectivos: formación, desarrollo y pérdida. Madrid: Morata.
  • Bowlby, J. (1995). Teoría del apego. Lebovici, Weil-HalpernF.
  • Garrido-Rojas, L. (2006). Apego, emoción y regulación emocional. Implicaciones para la salud. Revista latinoamericana de psicología, 38(3), 493-507. https://www.redalyc.org/pdf/805/80538304.pdf
  • Marrone, M., Diamond, N., Juri, L., & Bleichmar, H. (2001). La teoría del apego: un enfoque actual. Madrid: Psimática.
  • Moneta, M. (2003). El Apego. Aspectos clínicos y psicobiológicos de la díada madre-hijo. Santiago: Cuatro Vientos