A gravidez ectópica: causas, sintomas e tratamento

· 30 de dezembro de 2017
A gravidez ectópica é aquela em que o óvulo é implantado fora do útero e se localiza em outras regiões perigosas para o desenvolvimento do futuro bebê.

A gravidez ectópica é aquela em que o óvulo fertilizado fica implantado fora do útero. “Ectópico”, de acordo com o dicionário Priberam, é definido justamente como aquilo “que acontece em posição ou local anormal”. O exemplo que ele cita é, exatamente, o da gravidez ectópica.

Esses lugares “impróprios” onde o óvulo fertilizado pode ser implantado são:

  • As Trompas de Falópio (o mais comum).
  • Na união das Trompas de Falópio e o útero.
  • Em um dos ovários.
  • No colo do seu útero (cérvix).
  • No abdômen.

Dependendo do lugar onde o óvulo fique implantado, a gravidez ectópica também pode se chamar: gravidez tubária (o óvulo se aloja nas Trompas de Falópio), gravidez cervical (no colo do útero ou cérvix) ou gravidez abdominal (no abdômen). Nenhum desses lugares é apropriado para o feto se desenvolver. Em primeiro lugar, porque não disponibilizam espaço suficiente e, segundo, porque também não têm os tecidos nutricionais necessários para alimentá-lo.

Causas da gravidez ectópica

A razão mais frequente é um dano, uma inflamação ou um estreitamento das Trompas de Falópio. Isso gera maior dificuldade para o óvulo descer até o útero. Por isso, muitas vezes ele não consegue. Esse problema pode ser motivado por diversos fatores, como uma operação anterior na região abdominal, alguma doença que tenha produzido inflamação na região pélvica ou alguma infecção sexualmente transmissível, como a clamídia ou a gonorreia.

gravidez ectópica

A endometriose pode ser outro elemento causador de uma gravidez ectópica. Isso acontece quando as células que revestem o interior do útero se implantam e crescem em outras partes do corpo.

Além disso, existem outros fatores, como o tabagismo, ter se submetido a tratamentos contra a infertilidade ou, até mesmo, ter tido outra gravidez ectópica antes.

Quais são os sintomas e os sinais de uma gravidez ectópica?

Os sintomas que indicam a possível presença de uma gravidez ectópica são:

1. Ausência de período menstrual: é possível que você não perceba essa ausência se a gravidez ocorrer no começo do ciclo menstrual.

2. Dor ou sangramento vaginal: é outra das razões pelas quais você não seria capaz de perceber a ausência do período menstrual.

3. Dor na pélvis, no abdômen e, inclusive, nos ombros: essa última pode ser causada pela irritação de certos nervos devido ao acúmulo de sangue.

4. Enjoos, náuseas ou desmaios: causados pela perda de sangue.

5. Hipotensão: também relacionada com a perda de sangue.

6. Aumento da incontinência urinária: urinar mais do que de costume.

gravidez ectópica

Como tratar a gravidez ectópica?

Pode variar de acordo com vários fatores, como o grau de avanço da gravidez, os danos que possam apresentar as Trompas de Falópio e, é claro, a gravidade dos sintomas. Não custa nada dizer que todas essas variáveis devem ser analisadas por um médico profissional.

Às vezes, quando a gravidez está no início, o que se faz é injetar metotrexato, o que faz com que o embrião interrompa o seu crescimento.

Se a gravidez estiver mais avançada, pode ser necessário uma cirurgia para extirpar a gestação anormal. Graças à tecnologia de hoje, e sempre e quando não houverem lesões importantes nos órgãos, esse tecido ectópico pode ser retirado realizando uma laparoscopia.

Esse procedimento consiste na introdução de uma câmera de vídeo e dos instrumentos cirúrgicos necessários através de uma pequena incisão na zona baixa do abdômen. Assim, o médico pode extrair o tecido ectópico e reparar, se for necessário, os órgãos lesionados pela gestação ectópica. Nos casos mais graves, esses órgãos, inclusive, são retirados.

Além disso, pode haver a possibilidade de a gravidez ectópica parar sozinha, no caso de os sintomas se apresentarem levemente. No entanto, isso faz necessário um estrito acompanhamento por parte do profissional, com exames de sangue (para medir o nível de HCG no sangue) e ultrassonografias.

É possível prevenir uma gravidez ectópica?

Não, não é possível prevenir uma gravidez ectópica. Além disso, pode afetar qualquer mulher. A possibilidade de sofrer disso, no entanto, é maior em mulheres com mais de trinta e cinco anos de idade ou naquelas que tenham sofrido alguma das doenças descritas anteriormente.

É preciso se preocupar com isso?

O mais recomendável é consultar o médico o mais rápido possível diante do aparecimento de qualquer dos sintomas mencionados. Além disso, durante o processo de tratamento é fundamental contar com a companhia de alguém com quem compartilhar nossos sentimentos e sensações. Se o tratamento acabar sendo bem-sucedido e não houver lesões graves, a mulher pode ter uma gravidez perfeitamente normal depois de ter sofrido uma gravidez ectópica.

No entanto, isso pode não acontecer se ela já sofreu de problemas de fertilidade no passado ou, inclusive, se suspeita que pode chegar a ter uma gestação anormal por causa das causas já citadas. Nesse caso, recomenda-se conversar com o médico para analisar as formas de evitar esses problemas. Quanto às estatísticas, os especialistas defendem que a possibilidade de uma gravidez ectópica se repetir é de 15 por cento.