Este vídeo dará a você uma aula sobre as doenças raras

· 29 de janeiro de 2017

“Praia ou Montanha” é o título do vídeo fantástico criado pela Fundação Mehuer, o qual tenta dar uma aula sobre as doenças raras e conseguiu emocionar o mundo inteiro. A organização realizou um curta que viralizou com uma velocidade considerável e deixou todos os espectadores que o assistiram sem palavras.

Se a vida mudar de rumo você conhecerá outros lugares que também podem ser maravilhosos.

Não é para menos, pois se trata de um vídeo sobre o amor pelos filhos diante das circunstâncias adversas da vida, o vídeo reflete inicialmente a situação mais bonita que um casal pode compartilhar: a espera de um filho, uma autêntica aventura em que se misturam emoções, temores e esperanças.

Mas o que acontece com essa esperança se a vida oferecer uma realidade impensada? Você está preparada para enfrentar junto ao seu bebê alguma de tantas doenças raras? O valor desse curta está em levantar a bandeira da importância de aceitar as reviravoltas da vida para aproveitar novas paisagens.

vídeo sobre as doenças raras

“Praia ou montanha”, o vídeo sobre as doenças raras

O ponto de partida é a melhor notícia que pode receber qualquer casal, sejam namorados ou casados: a chegada de um bebê nas suas vidas. Essa gestação esboça sorrisos nos seus rostos e espalha a alegria entre os entes queridos, fazendo com que nasça o desejo de compartilhá-la com todo mundo.

Por isso, o curta-metragem cria uma certa analogia entre essa espera e o planejamento de uma viagem idílica à praia com a qual o casal sempre se sonhou. Nessa espera, muitas emoções invadem os futuros pais: entusiasmo, expectativas, ansiedade…Até que a contagem regressiva chega ao final, eles arrumam as suas malas e metem o pé na estrada!

No entanto, as coisas não acontecem como esperado, e o casal percebe que deve mudar os planos e dar seus primeiros passos em caminhos com mais obstáculos: “Bem-vindos à montanha”, um novo destino utilizado para se referir ao desenlace da gravidez e ao começo dessa nova vida afetada por uma doença de baixa incidência.

Essa mudança de norte da vida se vê sintetizada no rosto da reluzente mãe que oscila entre a surpresa, a confusão e o temor. Porém, com seu bebê em seus braços, pegando seu o dedo com suas mãos pequeninas, ela recarrega as suas energias para subir a montanha, driblar os penhascos e alcançar o cume, enfrentando a adversidade.

E mesmo que leve um tempo para assumir, você começa a pensar que não chegou a um lugar tão horrível assim… simplesmente, a um lugar diferente. Porque se você passar a vida se queixando de que nunca chegou à praia, pode ser que você nunca tenha a liberdade de aproveitar tudo de especial que tem na montanha. -A protagonista-

Fundação Mehuer organização de conscientização de doenças raras

E tal como mostra o vídeo, inicialmente, é um duro golpe, o fato de um filho ou uma filha sofrer alguma de alguma doença rara. Mas depende dos seus pais usar essa mudança de destino para mudar as suas vidas para poderem apreciar a beleza, a alegria e uma profunda satisfação.

Doenças raras: amor na adversidade

Esse vídeo criado pela organização que promove a pesquisa das patologias de baixa incidência e dirigido por Emilio Aragón, sensibiliza as pessoas acerca das doenças raras que afetam na Espanha 3 milhões de pessoas, enquanto que em toda a Europa, o número de pacientes chega a 30 milhões.

“Você não está sozinho”, essa frase aparece no final do vídeo. E é verdade, pois estima-se que mais de 42 milhões de habitantes na América Ibérica também se encontrem na luta pelo acesso a um diagnóstico e tratamento adequados.

Como reflete o vídeo, qualquer mãe ou pai pode ter um filho ou uma filha com alguma doença rara. Devemos nos conscientizar disso e fazer a nossa parte, para que haja mais pesquisas e visibilidade dos problemas que enfrentam os pacientes. -Presidente da Fundação Mehuer-

Não há dúvidas que muitos pais vivem um inesperado revés na vida ao terem um filho afetado por essas doenças raras, tornando as suas vidas em histórias de superação. E você? Já viu esse vídeo viu tão inspirador? Qual é a sua opinião sobre essa iniciativa?