Como lidar com as birras das crianças?

· 22 de novembro de 2016

Existe alguma coisa que faz você se sentir mais desconfortável do que as birras do seu filho em público? Mesmo sendo um dos aspectos que mais preocupam os pais, essas birras são normais em crianças entre 2 e 4 anos. Descubra neste artigo como evitar e lidar com as birras do pequeno.

As birras são um dos aspectos que mais preocupam e angustiam todos os pais. Seja em público ou em privado, as crianças se fazem sentir através desde artifício no qual podem expressar com veemência sua raiva, ira ou frustração.

Estes acessos de raiva são comuns em pequenos com idade entre 2 e 4 anos de idade que exteriorizam desta maneira reações emocionais intensas. Felizmente, as birras são parte do desenvolvimento normal das crianças e desaparecem por volta dos 5 anos.

Porém, para que estas birras não se tornem um problema devemos saber combatê-las de forma bem sucedida e eficaz. Descubra neste artigo porque seu filho se manifestada por meio de birras e como lidar com elas.

Birras de crianças, como evitá-las?

De acordo com especialistas, as birras são absolutamente normais, o que não é normal são as reações dos pais perante elas. Inclusive, por não saber como evitá-las desde sua aparição pode ser que se prolonguem até aos 8 anos aproximadamente.

Para evitar as birras, você deve compreender que os adultos educam as crianças e precisamos criar hábitos. Se nos faltarem, dificilmente poderemos ensiná–los. O correto é mostrar o comportamento e as ações que esperamos deles.

Portanto, o diálogo é fundamental para aprendam a aceitar as recusas ao seu redor e lidar com frustrações ou raiva. A crença absurda de que as crianças não entendem o que fazem ou o que lhes é dito quando as repreendemos, as converte em pequenos manipuladores.

Além disso, algumas crianças passam muitas horas fora de casa, seja porque seus pais trabalham ou estão separados. Essas crianças precisam de hábitos claros e coerentes, porque as suas regras variam de acordo com o seu tutor, o que gera desordem e confusão, porque as crianças não sabem como agir em cada local.

Conselhos para lidar com as birras infantis

Para combater as birras ensine a seu filho que elas não funcionam, lembrando que as birras não existem se não houver público que reaja a elas. É importante ajudar a criança a colocar em palavras seus sentimentos para que possam se expressar.

Perante uma eventual birra, o ideal é se tornar um bom exemplo, mantendo a calma e evitar gritar ou bater. Portanto, os especialistas aconselham a não perder o controle ante estas situações e recorrer aos seguintes conselhos:

  • Mantenha a sua autoridade para que seu filho compreenda que com as birras não irá conseguir o que deseja. Birras não são recompensadas ou punidas, com isso daremos a entender ao pequeno que suas birras não produzem mudanças a favor ou contra.
  • Semear respeito mútuo. Assim como sugerimos que você não aja excessivamente com a criança, ela também não deve ser desrespeitosa com você.
  • Seja firme, mas franca, falando-lhe com firmeza com uma postura corporal firme e segura, olhando em seus olhos, colocando-a à sua altura.
  • Tenha paciência e espere que se acalme sozinha. Deixe que a criança se alivie, explicando que para ela é melhor evitar essa manifestação raivosa.
  • Não se preocupe com birras em público. Não se deixe intimidar nem se irrite com uma birra. Se a criança percebe que suas explosões incontroláveis têm efeito, tenderá a usá-las deliberadamente.
  • Esqueça o castigo físico e a violência psicológica. Não seriam talvez as birras adultas? Ambos os recursos, longe de ajudar a enfrentar a situação, retornam para a criança em uma atitude temerosa, debilitam sua personalidade e o impedem de enfrentar situações novas ou complexas.
  • Demonstre seu amor. Sim, inclusive quando ela menos merecer e você se sentir mais perturbada. Expresse seu carinho até nestes momentos críticos para não danificar sua autoestima, distinguindo a pessoa de seu comportamento.
  • Apoie e incentive a criança a expressar a frustração ou fadiga. As birras podem ser resultado da raiva por não poder fazer alguma coisa, não ser compreendido pelos mais velhos ou pelas dificuldades que representam as lições de casa. Nestes casos, escute seu filho e incentive-o, e inclusive destaque sua perseverança.
  • Atenda às necessidades da criança. Às vezes, as crianças tem uma maior tendência à birra quando estão cansadas ou com fome. Inclusive, esses acessos de raiva podem ser aumentados se está ou sofre de uma doença. Descarte esses fatores para controlar as birras das crianças.
  • Ignore as birras injustificadas. Não dê atenção, se isso é o que a criança quer que você faça ou exige algo. Não interfira se a criança não tiver um comportamento destrutivo. Se ela chora, se joga no chão, bate e chuta objetos, faz xixi em cima de alguma coisa, provoca vômito, fique longe até que você recupere o controle.
  • S.O.S, birras destrutivas. Quando as birras são perturbadoras, como quando a criança bate em seus pais ou causa danos materiais, não deixe passar e recorra a suspensões temporárias. Isso consiste em levar a criança para outro local, por exemplo seu quarto, para lá ficar entre 2 e 5 minutos.
  • Superprotetora, contenha-se! Este erro grosseiro implica em exceder-se no cuidado da criança, com o qual não a deixamos ser ela mesma, nem permitimos que tome decisões para resolver conflitos. Além disso, elas não poderão tolerar falhas e até mesmo experimentarão algum desconforto quando se sentirem sufocados por seus pais.