Mamãe, você se sente esgotada ao final do dia?

04 Agosto, 2018
“O quê? Você está casada? Mas a única coisa que você fez foi cuidar do bebê!” Se alguém alguma vez disse isso à você, trate de se defender incisivamente.

De acordo com especialistas, o esgotamento das mães está justificado e, inclusive, tem um nome: “estresse por vigilância em excesso”.

A situação, como já sabemos, se complica muito mais quando conciliamos as responsabilidades no trabalho com a criação dos filhos.  No entanto, algo que muitas mães sentem como uma pressão incontestável é o fato de não poder “reclamar” do cansaço e do estresse se elas decidem ficar em casa durante alguns meses ou anos para se dedicar exclusivamente à criação dos filhos.

É como se elas não tivessem o direito de ficar esgotadas.  Como se alimentar, cuidar, orientar, ensinar e educar fosse extremamente fácil. Como se as crianças já viessem “criadas de fábrica” e a mãe só tivesse que supervisionar.

Não é assim. Em Sou Mamãe queremos falar sobre esse assunto não tão conhecido que não deve passar despercebido: o estresse por vigilância em excesso.

Ao final do dia você está esgotada e estas são as razões

Vamos começar definindo o que é o estresse por vigilância em excesso. Trata-se de um estado de hipersensibilidade mental e sensorial ocasionado por fatos específicos: detectar ameaças e perigos.

se sente esgotada

  • Essa pressão psicológica faz com que a pessoa se sinta esgotada e mais cansada que o normal. Inclusive, ela fica mais irritada que de costume.

No entanto, o curioso de tudo isso é que, geralmente, o estresse por vigilância em excesso é associado “aos soldados e aos contextos bélicos”.

  • Um soldado deve estar atento a qualquer possível ameaça que possa aparecer ao redor dele. Deve observar, prestar atenção, prever e estar sempre alerta a fim de sobreviver e manter sua equipe a salvo também.
  • Manter esse estado durante algumas semanas ou meses acaba gerando um estresse muito grande, ao qual se acrescenta o cansaço extremo e o esgotamento mental.

Você não é um soldado, mas quase…

O mesmo acontece com a criação dos filhos. Pode parecer irônico, mas definitivamente não é. As mães – e também os pais – devem estar alertas para, por exemplo, pegar o bebê no colo a cada três horas.

  • É preciso consolar o choro à noite. Inclusive, muitas mães acordam no meio da madrugada para ver se os filhos “estão bem” ou porque acharam que ouviram um choro quando na verdade nada aconteceu.
  • À medida que os pequenos crescem, os perigos aumentam. Assim, uma mãe precisa estar atenta a tudo. Ela deve prestar atenção para que os pequenos não engulam determinados objetos, não caiam, não subam em determinados lugares, não fiquem se virando no berço.

Você está esgotada porque todos os seus sentidos estão em alerta, igual a um alarme ligado 24 horas por dia.  Não se trata somente das tarefas básicas, como a alimentação e a higiene. Falamos sobretudo da pressão mental, do desejo de que tudo fique bem, de que nosso filho fique seguro, feliz, tranquilo… Porque, às vezes, um pequeno descuido pode causar um acidente, uma queda. Essas são algumas das coisas das quais temos muito medo.

se sente esgotada

Assim, se alguém der uma resposta irônica ao fato de você estar esgotada no final do dia, defenda-se! Seu trabalho é como o de um soldado em um campo de batalha. É preciso garantir a segurança daquilo que é mais precioso no mundo para você: seu filho.

Regras básicas para administrar o esgotamento

Ser mãe é um trabalho que vai além das tarefas realizadas durante as 24 horas do dia. É algo que você sabe há tempos e já está mais que conscientizada sobre isso. Da mesma forma, você sabe que esse trabalho, o trabalho de ser mãe, a deixa feliz e é a melhor coisa que poderia ter acontecido.

se sente esgotada

No entanto, é preciso estar atenta para poder dar o melhor de si para seus filhos.  Vale a pena seguir esses conselhos.

  • Delegue tarefas. A criação de um filho é responsabilidade do casal. Caso você construa uma família monoparental, não hesite em pedir ajuda à sua família sempre que puder.
  • Não maximize os perigos.  Não fique imaginando o pior até chegar ao ponto de não conseguir mais dormir à noite pensando que seu filho pode cair do berço ou se asfixiar porque você o cobriu com uma manta. Concentre-se nas coisas, mas com tranquilidade.
  • Não passe o dia todo em casa. Saia com seu filho sempre que for possível.
  • Procure se alimentar corretamente. Aproveite para descansar quando seu filho estiver tirando uma soneca. Alguns minutos de descanso no sofá ajudam a nos recuperar, arejam e limpam a mente.

Não deixe o que os outros dizem atingir você. Você tem o direito de se queixar e, inclusive, de pedir ajuda se em algum momento se sentir saturada. Procure fazer ao longo do dia alguma coisa que traga prazer e relaxe: ler um livro, passear por alguns minutos…  Você não vai ser uma mãe ruim por descansar em alguns momentos durante o dia.