O medo da água em crianças

30 de novembro de 2019
O medo da água é uma situação muito comum em crianças pequenas com a chegada do verão e a hora do banho. Isso pode realmente se tornar um problema nos primeiros anos da vida de nossos filhos se não o corrigirmos a tempo.

O medo da água é relativamente comum entre crianças pequenas e pré-escolares. Isso pode persistir durante toda a infância se não for resolvido a tempo, por isso é aconselhável abordar o problema desde o início.

Muitas crianças pequenas ficam assustadas com a ideia de nadar, ou mais especificamente, de afundar. Portanto, é aconselhável expor a criança à água a partir dos quatro ou cinco meses de idade, o que lhes proporcionará familiaridade e segurança.

Por que as crianças temem a água?

Esse sentimento frequente de medo da água nas crianças é, muitas vezes, desencadeado por alguma experiência traumática do passado. O caso mais típico é sentir que a água entrou no nariz ou a criança notar que não consegue respirar com a água no rosto.

Devemos ficar vigilantes e observar se a criança parece ter medo da água na vida cotidiana. A reação de rejeitar a água também pode ser confundida ou ligada ao medo de multidões. Piscinas e praias tendem a ser lugares lotados. Assim, é possível que o que as assuste seja mais o medo das pessoas do que da água.

Pode acontecer que uma criança que está um pouco ansiosa com a água fique mais perturbada por pessoas maiores e mais intimidadoras brincando por perto. Os pais, nesses casos, devem saber interpretar os sentimentos da criança.

Ideias para aliviar o medo 

As sugestões a seguir podem ser muito úteis para os pais que precisam lidar com esse problema. É claro que, além de aplicá-las, ter tolerância e paciência são requisitos fundamentais.

  • As crianças devem ter um respeito saudável pela água, uma das coisas mais perigosas em seu ambiente. As crianças devem sempre ter o cuidado necessário, enquanto os adultos não devem deixar de monitorá-las nem por um minuto.
  • Não pressione a criança a entrar na água. É aconselhável permitir que ela olhe e observe as outras crianças se divertindo. Esse período de observação permitirá que ela se prepare para enfrentar a água com maior segurança.
Ideias para aliviar o medo da água em crianças

  • Dê um tempo para ela criar coragem. Muitas vezes, os pais pioram as coisas pressionando as crianças a entrarem na água imediatamente. Isso pode aumentar seu nível de ansiedade, mesmo antes que ela comece a interagir no ambiente aquático.
  • Ajude-a a obter controle sobre o que faz. É melhor escolher um lugar calmo, longe das outras crianças. Também é muito positivo estabelecer regras básicas e orientações sobre como brincar e nadar. Isso pode dar às crianças a paz de espírito de que precisam para entrar na água.
  • Use plugues para tapar o nariz e os ouvidos. O medo da água surge, muitas vezes, porque as crianças odeiam a sensação da água entrando no nariz. Os óculos que as ajudam a enxergar debaixo d’água também podem aliviar a ansiedade.

Nos casos de medo da água em crianças, ter tolerância e paciência são requisitos fundamentais.

Como ajudar a criança a superar o medo da água?

Além das recomendações acima, também é possível apontar algumas medidas úteis para ajudar os pequenos a superar esse medo:

  • Devemos recompensar as crianças em seu processo gradual de se aproximar da água. O reforço positivo é uma das melhores estratégias. Embora possa levar algum tempo, a criança acabará associando o positivo ao fato de estar na água.
  • Experimente brincadeiras divertidas para prender a respiração. Esses exercícios permitirão que a criança ganhe cada vez mais confiança.
Como ajudar a criança a superar o medo da água?

  • Para que a criança possa superar o medo da água, podemos tentar este exercício: leve a criança até a água e peça para que ela coloque o rosto na superfície. Depois, desça um pouco mais e assim por diante. Ela verá por si mesma que não há nada ali embaixo que possa amedrontá-la. Além disso potencialmente eliminará o medo de ficar embaixo d’água.
  • Tente usar todos os recursos existentes para que seu filho se sinta seguro na água. Há muitos produtos que farão ele se sentir mais confortável: boias de braço, boias em forma de carros alegóricos ou coletes salva-vidas são algumas opções.
  • As crianças se sentem mais confortáveis ​​quando percebem que a água é segura e divertida. Para fazer isso, devemos incorporar brinquedos que incluem água, como arminha de água ou pistolas de ar comprimido, para mostrar que não há motivos para ter medo.

Por fim, como uma sugestão final, é uma boa ideia oferecer uma piscina infantil para a criança brincar em casa, mesmo que seja uma pequena piscina inflável. Dessa forma, você pode planejar uma tarde na piscina com outros amiguinhos. Ao ver os outros se divertindo, certamente a criança com medo vai querer se juntar à brincadeira.

  • André, C. (2005). Psicologia Del Miedo/The Psychology of the Fear: Temores, Angustias Y Fobias/Fright, Anguish and Phobias. Editorial Kairós.
  • del Agua, A. M. P. (1994). La importancia de los tratamientos en la reducción de los miedos y las fobias infantiles. Revista de psicología general y aplicada: Revista de la Federación Española de Asociaciones de Psicología, 47(3), 321-323. https://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/2164704.pdf
  • Jones, M. C. (1924). Elimination of children’s fears. Journal of Experimental Psychology, 7, 382-390.
  • Zumbrunnen, R., & Fouace, J. (2006). Cómo vencer el miedo al agua y aprender a nadar. Editorial Paidotribo.