O milium facial do recém-nascido

· 3 de fevereiro de 2019
A acne neonatal geralmente é uma condição comum no recém-nascido e normalmente não causa nenhuma complicação.

O milium facial é uma condição da pele cuja principal característica é a presença de pequenas espinhas brancas ou de cistos que afetam o recém-nascido. É consideravelmente comum. De fato, 40% dos bebês desenvolvem essas pequenas espinhas que contêm substâncias queratinizadas.

Milium facial do recém-nascido

O que é?

A mília ou o milium facial do recém-nascido é um grupo de erupções branco-peroladas ou amareladas que medem entre 1 e 2 mm de diâmetro e que geralmente aparecem no rosto. Mais especificamente, essa condição ocorre nas bochechas, mas também na testa e no queixo do bebê, bem como no interior da boca.

Assim, o milium facial se apresenta como pequenos cistos epiteliais cheios de uma substância queratinizada. Ao serem espremidos, obtém-se um material que se assemelha a pequenas pérolas brancas, as quais são formadas por queratinócitos.

Cabe destacar que, para determinar a presença do milium, não é necessário fazer nenhum exame diagnóstico.

 causas do milium

Qual é a causa?

O milium facial ocorre quando as células epiteliais mortas da epiderme ficam presas nas pequenas cavidades da superfície da pele do bebê, provocando, assim, o pontinho branco perolado na pele.

É comum que a presença dessas bolinhas possa ser confundida com acne no bebê, embora sejam condições totalmente diferentes.

Quais são os seus efeitos?

O milium facial do recém-nascido não causa nenhum efeito na criança. Ela não sente nenhum desconforto nem a presença de dores de qualquer tipo.

Essas erupções não causam febre, coceira nem nenhum outro tipo de complicação e não requerem tratamento médico.

Elas trazem algum risco para o recém-nascido?

A primeira coisa a ter em mente é que os cistos de milium são benignos. Mas, em situações muito raras, eles podem estar associados a algumas doenças de pele, tais como a síndrome de Bazex-Dupre-Christol, a síndrome de Rombo ou a síndrome de Gardner.

doenças de pele

Tratamento do milium facial do recém-nascido

É muito importante considerar que a pele do recém-nascido é muito delicada e deve ser tratada com os cuidados apropriados a fim de evitar a reprodução de germes que possam causar problemas ainda maiores.

Estas são algumas considerações que você deve ter em mente:

  • Não esfregue nem tente remover as espinhas porque isso pode danificar a pele e deixar marcas.
  • É aconselhável limpar a área afetada com um sabonete especial para recém-nascidos.
  • Quando o seu aparecimento ocorre quando a criança já é mais velha ou quando surge em áreas mais sensíveis – tais como a boca ou os olhos –, pode demorar até quatro meses para desaparecer.
  • Se depois de três meses essa condição não desaparecer, é aconselhável ir ao pediatra para que a criança seja examinada.

Embora a maioria dos casos não requeira um tratamento específico, uma avaliação médica é essencial.

Dessa forma, um bom diagnóstico pode ser estabelecido, permitindo, assim, que os pais fiquem tranquilos, além de evitar a implementação de tratamentos desnecessários que possam ser contraproducentes para a criança.