O phubbing, um mau hábito da vida moderna

· 31 de março de 2018
Os telefones celulares cheios de recursos são ferramentas importantes em nosso dia a dia, porém seu uso de maneira inadequada poderia trazer certas desvantagens tanto em curto quanto em longo prazo.

Hoje em dia estamos mais conectados do que nunca. A era da globalização trouxe consigo um grau de proximidade como nunca antes se havia experimentado. Contudo, também traz consigo maus hábitos como o phubbing.

De acordo com o Instituto Cervantes, esse neologismo foi aprovado para designar um fenômeno social muito presente: a necessidade de se compartilhar tudo o que se pensa e se faz a todo momento através das redes sociais. Trata-se de um mau hábito. Muitas pessoas fazem isso sem se dar conta do que estão fazendo. E assim, elas se isolam de seu entorno (e de sua realidade) por estarem conectadas ao que ocorre em outra parte ou simplesmente compartilhando suas vidas.

O que é o phubbing?

Esse termo faz referência ao fato de ignorar as pessoas que estão a sua volta para focar a atenção em qualquer aparelho eletrônico mediante o uso das redes sociais.

A origem dessa palavra data de 2007, após o lançamento no mercado dos celulares inteligentes. Trata-se do resultado da combinação dos termos anglo-saxões para telefone (phone) e desprezar (snubbing).

El phubbing, un mal hábito de la vida moderna.

Principais causas

  1. Falta de autocontrole.
  2. Imaturidade.
  3. Vício em tecnologia, sobretudo com os telefones celulares.
  4. Medo (e em muitos casos, já se trata de uma fobia) de ficar desconectado da Internet e de não ter um celular.

Infelizmente, parece que o phubbing se tornou uma coisa habitual, por esse motivo, muitas vezes não se percebe e nem se corrige a tempo.

O phubbing ocasiona que não só se ignore os demais ao seu redor, mas também que a pessoa seja ignorada pelos demais. Em outras palavras, as interações se reduzem ao âmbito virtual e isso causa o empobrecimento da sociabilidade.

Consequências do phubbing

  • Relações interpessoais deficientes.
  • Superficialidade no trato em geral.
  • Prioridades desorganizadas.
  • Perda de valores.
  • Déficit de atenção.
  • Indelicadeza.
  • Desapego.
  • Frieza.
  • Ansiedade.

Considera-se uma falta de respeito interromper ou ignorar uma conversa para prestar atenção a qualquer aparelho conectado à internetNão importa que seja apenas por “um momento” ou que a pessoa possa administrar duas ações ao mesmo tempo (como olhar para a tela do celular e escutar, por exemplo). É óbvio que a tecnologia é uma ferramenta extremamente importante e útil, porém, ninguém gosta de se sentir ignorado ou mesmo desprezado. Muito menos por um aparelho eletrônico.

O que torna tão viciante o uso do celular?

A dependência do uso do celular vem da necessidade de satisfazer uma carência emocional. A falta de uma resposta imediata a nossas emoções, traz como consequência um apego exagerado e dependente do celular.

Com certeza, muitas pessoas não são viciadas em tocar o celular, mas sim ao efeito de alívio afetivo que ele produz ao colocar em contato com alguma coisa ou alguém que satisfaz suas expectativas emocionais.

El phubbing, un mal hábito de la vida moderna.

Invista em melhorar sua qualidade de vida, isso com certeza lhe trará um bem-estar bem maior do que você pode imaginar.

Conselhos para evitar ou corrigir o phubbing

  • Converse agora e escreva depois. Pense que, na realidade, não é necessário estar conectado o tempo todo.
  • Escolha um dia sem Internet e sem aparelhos eletrônicos. Separe um dia para aproveitar o mundo ao seu redor, sua casa, sua família, seus filhos ou seu animal de estimação sem seu celular e sem compartilhar informações através das redes sociais.
  • Evite consultar a Internet cada vez que falem de algo que você não conheça. Não há razão para desconfiar da informação dada por outra pessoa. Claro que é bom estar a par de tudo, de checar a informação, porém não é educado (e saudável) ter o hábito de comprovar tudo.
  • Deixe de lado o celular na hora das refeições. Aproveite o ritual das refeições sem ficar olhando para a tela de seu telefone celular.
  • Não existe nenhum motivo para que você saia por aí fotografando tudo. Apesar de as fotografias serem lembranças que preservam os momentos agradáveis de nossa vida, não devemos fotografar tudo ao nosso redor com as câmeras dos celulares. Devemos, sim, nos permitir viver mais e fotografar menos.
  • Descanse a vista. Esses dispositivos emitem uma luz de cor azul que afeta nossa saúde ocular e prejudica nosso descanso noturno.
  • Separe-se de seu telefone pelo menos vinte minutos antes de deitar. Isso vai ajudar você a descansar melhor.

É preciso ter consciência sobre o uso correto que damos à tecnologia e aprender a prescindir dela. Isso evitará que se crie uma dependência desnecessária que, com o passar do tempo, nos incapacite ou inutilize por completo.

Por outro lado, saber nos distanciar da tela de nosso telefone celular evitará que ignoremos as pessoas que estão a nosso redor. Que seja você quem tem o controle da tecnologia e não ao contrário.