Os perigos das redes sociais na adolescência

· 19 de fevereiro de 2018
O avanço tecnológico propiciou o surgimento de certas redes sociais que, se não forem usadas com cuidado, podem se virar contra nossos filhos.

Uma das questões que mais preocupam os pais é a superexposição dos filhos às redes sociais na adolescência. O medo do que pode estar do outro lado da tela é uma coisa impensável para os mais jovens. Às vezes os adolescentes são inocentes demais na hora de julgar certos comportamentos.

Alguns anos atrás não poderíamos imaginar essa situação. O incrível desenvolvimento tecnológico permitiu que qualquer pessoa tenha acesso a aplicativos de comunicação bastante inovadores. Graças a esses aplicativos, hoje em dia podemos publicar e receber qualquer informação em tempo recorde… seja legal ou não.

Estar continuamente conectado com aqueles que amamos deveria apenas trazer vantagens. Conseguir conversar todos os dias com a família e amigos que não vivem no mesmo lugar que você é, sem dúvidas, maravilhoso. Porém, é preciso saber que esse aspecto também tem suas desvantagens. Se não tivermos cuidado, as redes sociais podem se voltar contra nossos filhos.

Perigos das redes sociais na adolescência

Golpes

É muito fácil esganar uma pessoa dizendo o que ela quer ouvir. Muitos golpistas usam a internet para oferecer celulares, tablets, computadores ou consoles de jogos a um preço mais baixo do que o normal. Fazem os adolescentes acreditarem que, se fornecerem o número da conta bancária, podem ter o que quiserem a preço de banana.

Não precisa nem dizer que o número da conta bancária é geralmente dos pais. No final, os pais se tornam vítimas por tabela deste tipo de fraude. Nesse caso nem vale a pena repreender o filho. Ao se dar conta do que aconteceu, um sentimento de culpa muito grande vai tomar conta dele.

O perigo das redes sociais na adolescência

Assédio virtual (cyberbullying)

As redes sociais na adolescência são um prato cheio para as pessoas mal-intencionadas. Os trolls da internet, muitas vezes conhecidos pela vítima, aproveitam a vulnerabilidade dela para ofender. Mensagens anônimas, ameaças ou constrangimentos são apenas algumas das táticas que essas pessoas usam. Eles são até mesmo capazes de fazer com que mais pessoas participem, fazendo com que a vítima se sinta ainda mais sozinha.

Se você acha que o seu filho está sendo vítima de assédio virtual não hesite em procurar ajuda. É preciso denunciar o mais rápido possível e fazer com que os culpados assumam as consequências. A violência virtual é uma questão muito séria que todo ano tira a vida de muitos jovens. Apoie seu filho e deixe claro que ele pode contar com você para tudo o que ele precisar.

“Temo o dia em que a tecnologia supere a nossa humanidade. O mundo então só terá uma geração de idiotas”

Albert Einstein

Narcisismo e falta de autoestima

Com o surgimento de redes sociais como o Instagram ou Snapchat, os jovens estão descobrindo um mundo novo. As selfies, os stories e a necessidade de ter aprovação constante podem ter vários tipos de consequências. Os adolescentes nunca param de se comparar com os demais. Nessas redes sociais é fácil ver as vidas perfeitas dos amigos, sem se dar conta que tudo não passa de imagens.

Se o jovem não recebe a atenção que espera nas redes sociais, pode ser que afete a sua autoestima. Ele fará o possível para chamar atenção, mesmo que tenha que passar de certos limites. Se, pelo contrário, ele for bem popular e tiver muita gente elogiando, pode acabar se tornando uma pessoa narcisista e arrogante.

O perigo das redes sociais na adolescência

Dependência

O vício ao telefone celular é muito mais frequente do que o vício em computador. O WhatsApp é um dos aplicativos de comunicação mais usados entre os jovens. De acordo com pesquisas, a obsessão pelo celular é comparável à de uma pessoa viciada em cocaína.

Ter consciência de que o filho não leva uma vida normal por estar o dia todo colado na tela não é fácil. Mas isso pode ser resolvido. Esse hábito pode ter consequências graves tanto mentais quanto físicas. Portanto é preciso tentar intervir o mais rápido possível.

Redes de prostituição

Assim como os grupos de fraudadores, as redes de prostituição também estão presentes no universo online. Esses grupos organizados procuram adolescentes para tentar enganar e manipular e às vezes eles conseguem. É essencial que você converse com seu filho ou sua filha sobre esses tipos de grupos organizados para que fique atento ou atenta e desconfie de tudo. Parece que esse tipo de coisa nunca vai acontecer dentro da nossa casa, mas é aí que mora o perigo, afinal pode acontecer com qualquer um.

Deixe claro que não se deve mandar nenhuma informação pessoal a estranhos e muito menos fotografias, por mais simpáticos que pareçam. Algo que os jovens precisam estar cientes é que geralmente as pessoas mal intencionadas se escondem por trás de perfis de jovens para conseguir atrair as vítimas em potencial. Se você descobrir que seu filho entrou em contato com pessoas suspeitas não tenha medo denunciar.

As redes sociais não são prejudiciais aos adolescentes, desde que eles saibam quais os perigos envolvidos. Falar com eles é essencial para que possam usar esses meios de comunicação de forma saudável e responsável.