As mães principiantes são as que mais procuram informação na Internet

· 1 de fevereiro de 2017

São as mães de primeira viagem as que mais procuram informação na Internet para se apoiarem na hora de cuidarem de seus bebês. Isso, de acordo com um estudo realizado pela SEPEAP (Sociedade Espanhola de Pediatria Extra-hospitalar e Atenção Primária, tradução livre em português); contudo, apesar desse grupo ser a maioria, aquelas mães com mais de um filho tendem a seguir essa prática.

Sabemos que toda mãe precisa de conselhos sobre as coisas que lhes preocupam sobre seus filhos e, hoje em dia, sempre existe alguém que está disposto a fornecer as informações necessárias. No entanto, é preferível procurar outras opiniões. Sendo assim, um estudo revelou que mais de 70% das mães de primeira viagem procuram por informação na internet e, não menos importante, 45% delas procuram em livros.

Nesse sentido, a Internet é por excelência o meio preferido para obter conselhos sobre os cuidados do bebê, pois é o lugar onde, geralmente, se encontra a opinião dos especialistas, das mães experientes e até a própria informação encontrada nos livros. No entanto, apesar dessa avalanche de informação, isso é um pouco preocupante pelo fato de os conselhos não serem totalmente confiáveis.

De qualquer maneira, todas as opiniões que servem para dar conselhos sobre a criação, educação e a saúde, costuma provocar controvérsia nas mães que leem. Além disso, acredita-se que, no geral, contradizem as recomendações das sociedades de pediatria. Os temas mais controversos são os temas clássicos: vacinas, o uso da chupeta, a amamentação, o sono e a fralda.

044008e6e6b9d56a7c48c0c844fbf5d7

Quais são as informações que as mães principiantes mais procuram na Internet?

Não é novidade para ninguém que as mães de primeira viagem têm dúvidas ilimitadas, pois se trata de uma etapa totalmente diferente para elas e, além disso, é algo muito complexo de se aprender, se não experimentarmos isso pessoalmente. Nesse sentido, tanto os detalhes do processo de gravidez quanto a questão da “semana à semana” e os cuidados com o recém-nascido são casos nos quais cairia bem um conselho sábio.

No entanto, as mães principiantes não só buscam na Internet por curiosidade ou por querer saber até que ponto o seu corpo pode mudar ou sobre os riscos da sua gravidez. Ao que parece, uma vez que nasça o baixinho, começam a buscar conselhos sobre o cuidado do bebê nos primeiros meses e também é muito frequente que participem de foros e de redes sociais para trocar opiniões com mães na mesma situação.

Por outro lado, sabe-se que o que mais buscam as mães na Internet são explicações e sugestões de como agir em relação a temas que as preocupam; uma pesquisa realizada pela SEPEAP revelou que as principais preocupações de todas as mães se referem a problemas de saúde. De acordo com o estudo, são o vômito, a febre e a diarreia, as principais causas de preocupação das mães de primeira viagem ou não.

Quanto às demais preocupações que carregam as mães que buscam informação na Internet encontraram as seguintes: em segundo lugar as opções para passar o tempo de ócio, a incerteza sobre o choro e, finalmente, outros fatores como a situação trabalhista ou a economia. De acordo com os estudos, mais de 47% se preocupam com buscar informação sobre doença, e, outras inquietações se relacionam mais do que tudo à falta de experiência.

765cda75ca109c6eba8869eb9f020866

Qual é a informação mais confiável para as mães de primeira viagem?

Acredita-se que mais de 50% das mães principiantes compartilha com grande frequência informações em grupos virtuais dedicados à maternidade.

Os próprios pediatras chegaram a se desentender com relação às indicações de seus colegas, o que nos leva a considerar o fato de que as mães menos experientes, frequentemente, podem chegar a receber conselhos não tão bons. Sobre esse tema em particular, as principais controvérsias são geradas nas prescrições médicas, como, por exemplo, a combinação de paracetamol com ibuprofeno; indicada por muitos, mas rejeitada pelos textos de Pediatria.

Por outro lado, Staci Eisenberg, renomada especialista em Pediatria do Centro Médico de Boston, afirma que as mães tendem mais a seguir as recomendações dos médicos quando foram aconselhadas pelos seus familiares e localizaram na Internet as mesmas recomendações sobre o tema. Isso quer dizer, que elas se certificam de receberem informações de todas as fontes para o que considerarem apropriado.