O que é a maturação pulmonar fetal?

7 de setembro de 2019
Para que serve a maturação pulmonar fetal? Em palavras simples, é o que faz com que o bebê seja capaz de respirar normalmente quando nasce. Para isso, seus pequenos pulmões devem se desenvolver adequadamente no útero da mãe durante a gravidez.

A maturação pulmonar fetal é um dos aspectos mais importantes durante o processo de desenvolvimento do bebê. Uma atenção maior é dada a esse processo quando o pequeno apresenta algum tipo de problema e acaba nascendo de forma prematura.

Na prática, quando há risco de parto prematuro, geralmente o médico prescreve uma medicação especial à mulher para acelerar o processo de maturação. Em seguida, veremos os aspectos principais desse assunto tão relevante para a saúde dos pequenos.

A importância da maturação pulmonar fetal

O processo de maturação pulmonar fetal é um dos aspectos fundamentais para que o bebê consiga respirar normalmente ao sair do útero.

Para facilitar as funções vitais, seus pequenos pulmões devem estar perfeitamente desenvolvidos no final da gravidez. Isso inclui os alvéolos e brônquios, bem como uma substância conhecida como surfactante, que todos os seres humanos possuem.

O surfactante é essencial para o bom funcionamento dos pulmões. Sem isso, eles rapidamente entrariam em colapso. Isso acontece porque essa substância tem a função de revestir internamente os alvéolos e gerar um tipo de bolha que faz com que permaneçam abertos, permitindo que o o ar flua livremente.

Maturação pulmonar fetal em bebês prematuros

Durante a gravidez, o feto se desenvolve de forma progressiva. Naturalmente, esse desenvolvimento inclui todos os órgãos internos. Na verdade, os órgãos se desenvolvem nos primeiros três meses de gestação.

Por causa desse processo de desenvolvimento, os cuidados externos são muito importantes nesse período. Qualquer medicação, bactéria ou doença pode desencadear vários tipos de má-formação.

A maturação pulmonar fetal é uma etapa importante para que o bebe consiga respirar quando nasce.

Embora durante os primeiros três meses os órgãos internos do feto já estejam desenvolvidos, o processo de maturação ocorre somente no período restante da gestação. Esse estágio é fundamental para que a criança possa viver plenamente no mundo exterior.

Da mesma forma, os pulmões, que se desenvolvem nas primeiras semanas de gestação, não amadurecem totalmente até que se completem 34 semanas. Quando o bebê nasce, seus pulmões devem se expandir e trocar o sangue pelo ar. Essa capacidade é adquirida por volta da 34ª semana.

Quando o trabalho de parto adianta para antes de 37 semanas de gestação, várias complicações podem ocorrer, incluindo aquelas relacionadas aos pulmões. Uma das mais frequentes é a conhecida como Síndrome da Angústia Respiratória.

“O desenvolvimento da maturação pulmonar fetal é um dos aspectos fundamentais para que o bebê possa respirar com total normalidade ao deixar o útero da mãe.”

É possível ajudar os pulmões do bebê a amadurecer?

Sim, é possível ajudar no processo de maturação dos pulmões. Felizmente, a ciência deu passos gigantes nessa direção, que salvou a vida de milhares de crianças em todo o mundo.

Existem vários medicamentos que podem ajudar no processo de maturação dos pulmões do bebê. Esse procedimento também é conhecido como maturação pulmonar farmacológica.

A aplicação desse tratamento é muito simples. O médico administra corticoides à mãe por meio de uma injeção intramuscular. Ela receberá uma dose a cada 12 horas, repetindo-se após 24 horas.

Os pulmões do bebê amadurecem uma vez que as doses são aplicadas. Caso o bebê precise nascer de forma urgente, o médico administrará pelo menos uma dose antes de prosseguir com o parto.

A maturação pulmonar fetal é um aspecto fundamental que deve ser monitorado.

Critérios gerais para o tratamento de maturação

Existem certos critérios gerais que indicarão ao médico responsável se é necessário ou não aplicar o tratamento para a maturação pulmonar fetal. Nesse sentido, serão levados em consideração aspectos como a idade gestacional da paciente e se existe qualquer contraindicação.

As mulheres que sofrem de certas complicações na gravidez não devem receber o tratamento de maturação, uma vez que sua saúde pode ser seriamente afetada. Portanto, elas devem ser monitoradas em todos os momentos.

Por exemplo, esse tratamento é especialmente contraindicado se a mulher apresentar diabetes e esta não estiver controlada. O mesmo se aplica se ela sofre de hipertensão arterial.

Por fim, além da importância da maturação pulmonar fetal, às vezes podem surgir outros problemas que levam ao nascimento prematuro do bebê. Em grande parte dos casos relacionados aos pulmões, existe a possibilidade de maturação farmacológica. Com isso, é possível acelerar a sua maturação em apenas 48 horas e salvar a vida do bebê.