O reflexo de Moro

· 1 de setembro de 2018
O popularmente conhecido como "reflexo de Moro" é um dos primeiros reflexos de sobressalto do ser humano.

O reflexo de Moro é uma das coisas que mais chama atenção nos nossos filhos. Tanto é assim que, às vezes, nos assustamos ao ver esses sobressaltos nos quais os bebês abrem os braços e ficam rígidos. Contudo, saiba que esse comportamento desaparece por volta dos 4 ou 5 meses de vida.

Normalmente, são os pediatras que verificam esse reflexo neonatal como parte de vários procedimentos para certificar o bom desenvolvimento do sistema nervoso das nossas crianças durante os primeiros dias de vida.

O reflexo de Moro é definitivamente o que mais nos impressiona. Depois de estirarem os braços e ficarem completamente rígidos, podemos ver ainda como a pressão sanguínea dos bebês aumenta ao ponto de adquirirem um tom de pele arroxeado. Apesar de não ser mais do que um reflexo e, portanto, um mecanismo instintivo de sobrevivência, muitos bebês o vivem com sofrimento.

Explicaremos a seguir do que se trata esse reflexo e como ele se desenvolve ao longo do tempo.

O reflexo de Moro e a falta de apoio

O reflexo de Moro deve seu nome ao pediatra austríaco Ernst Moro que o estudou no início do século 20. Essa reação instintiva aparece quando a criança percebe que não tem um ponto de apoio seguro ou quando é sujeita à uma mudança repentina de posição.

Da mesma forma, os bebês também podem experimentá-lo diante de um som inesperado ou quando percebem que estão caindo de costas. É um reflexo realmente decisivo no desenvolvimento do sistema nervoso dos pequenos.

Uma curiosidade é que esse reflexo também é uma reação íntima relacionada com o medo ou a ameaça. Assim, o reflexo de Moro chega a ser considerado o único medo não aprendido.

reflexo de Moro

Como saber se meu bebê apresenta o reflexo de Moro

Os pediatras são capazes de identificar esse reflexo, assim como outros que fazem parte do desenvolvimento correto do bebê. A fim de poder verificar sua presença logo após o nascimento, o bebê é colocado de barriga para cima sobre uma superfície acolchoada.

  • Em seguida, o médico coloca o bebê com os braços cruzados sobre o peito e levanta sua cabeça e seu tórax. Por fim, deixa o bebê cair com cuidado cerca de 10 cm sobre a mesma mão que o segura.
  • A primeira coisa aparente é o medo nos olhos da criança. Ela sente a ameaça.
  • Em seguida, o recém-nascido estenderá os braços com as palmas das mãos para cima e os polegares flexionados. Após alguns segundos, o reflexo termina e seus braços voltam para cima o peito.

O que acontece se o bebê não demonstra esse reflexo

O reflexo de Moro já aparece quando o feto ainda se desenvolve no útero e deve desaparecer por volta do quinto mês após o nascimento. No caso de o pediatra não conseguir identificar, pode suspeitar de algum problema relacionado ao sistema nervoso.

  • Pode haver uma hemiplegia, algum tipo de paralisia ou até mesmo uma clavícula quebrada simples.
  • No entanto, no caso de o reflexo de Moro persistir quando o bebê tiver 6, 7 e 8 meses, também se suspeitaria de algum problema neurológico.
reflexo de Moro

Situações inusitadas na qual o bebê pode apresentar o reflexo de Moro

Ressaltamos mais uma vez que o reflexo de Moro é experimentado pelo bebê como algo muito desagradável. É como se tivéssemos a sensação de estar caindo no vazio. Nós nos sentiríamos ameaçados e pensaríamos que vamos morrer. Em suma, sentiríamos que algo ruim está acontecendo em nosso corpo.

Isso explica por que depois de viver esses 5 ou 6 segundos, tempo que o reflexo de Moro geralmente dura, os bebês choram desconsoladamente. Contudo, muitas mães e pais comentam que seus filhos experimentam esse “transe” quando estão em situações normais, mesmo quando estão com as costas bem apoiadas.

Mesmo que estejam no berço ou até mesmo dormindo, algumas crianças apresentam esse reflexo. De repente, estendem os braços, ficam rígidas e choram instantaneamente.

reflexo de Moro

  • Temos que ter em mente que o cérebro do bebês ainda está amadurecendo. O simples fato de sonhar faz com que sintam essa descompensação.
  • Às vezes, até um espirro podem fazê-los reagir com o efeito de Moro.
  • Um barulho inesperado ou cócegas também podem alterar o sistema nervoso ainda em desenvolvimento, fazendo com que reajam desta forma.

Isso é normal. Toda vez que seu bebê passar por isso tente acalmá-lo. Não o pegue no colo imediatamente, faça carinhos e deixe que recupere sua posição natural aos poucos, até que se sinta seguro. Isso fará o pequeno sentir que não há perigo e que está bem ao seu lado.

Caso seu bebê sofra com esse reflexo constantemente consulte o pediatra. No entanto, lembre-se de que o reflexo de Moro é um movimento primitivo que reflete o desenvolvimento natural do recém-nascido. Aos 4 ou 5 meses, terá desaparecido.