O relógio biológico dos homens

· 8 de maio de 2019
O conceito de relógio biológico sempre esteve associado às mulheres, apesar de estudos feitos nos últimos anos mostrarem que é uma questão que também afeta os homens. Vamos te contar tudo o que você precisa saber sobre isso no artigo a seguir.

Quando uma mulher passa dos 30 anos sem ter filhos, é provável que ela ouça conselhos alertando sobre os riscos de esperar para engravidar. Da mesma forma, a idade de um homem pode afetar não apenas a sua capacidade de gerar um filho, mas também a saúde da sua prole; isso se deve ao relógio biológico dos homens.

Depois dos 35 anos, é cada vez mais difícil para uma mulher engravidar. Além disso, se conceber, há um risco maior de que o bebê tenha problemas de saúde. De acordo com esse pensamento, os homens em geral não são afetados por esse processo, sendo muitas vezes capazes de gerar filhos até a idade madura.

No entanto, isso não é inteiramente verdade. Há cada vez mais fundamentos para sustentar que os homens também têm um relógio biológico.

O relógio biológico dos homens

Atualmente, o termo ‘relógio biológico’ geralmente é usado para se referir ao envelhecimento reprodutivo das mulheres. No entanto, a ideia é cada vez mais aceita e aplicada aos homens.

Embora vários estudos durante o século passado tenham mostrado ligações entre idade paterna avançada e dificuldades reprodutivas, foi apenas na última década que algumas pessoas começaram a argumentar que o conceito também pode ser aplicado aos homens.

Elas confirmaram que a idade afeta a capacidade de um homem de ter um filho de forma semelhante ao que acontece com a mulher, embora a linha do tempo não seja a mesma. Certamente, quanto mais velhos os homens são, mais difícil é ter filhos. E as crianças também são mais propensas a nascer com problemas de saúde.

A idade também afeta a capacidade de um homem de ter um filho

No entanto, atualmente, poucas pessoas parecem estar cientes de como a idade de um homem pode afetar a gravidez e a saúde da criança. Isso ocorre apesar de a ciência ser clara quando se refere ao relógio biológico dos homens.

Considera-se que, à medida que os homens envelhecem, eles experimentam uma diminuição nos níveis de fertilidade e hormonais, bem como um aumento do risco de complicações de saúde para a criança.

“Quarenta anos é a velhice dos jovens; cinquenta anos é a juventude dos velhos.”
—Victor Hugo—

A idade de um homem afeta a fertilidade

Os homens formam novos espermatozoides ao longo de suas vidas. Os espermatozoides existentes, enquanto isso, replicam seu DNA e depois se dividem em dois, repetidas vezes.

Apesar dessa afirmação, pesquisas afirmam que os homens não estão imunes aos efeitos do envelhecimento no seu sistema reprodutivo. Considera-se, então, que a idade de um homem pode afetar a sua fertilidade.

Quanto mais velho o homem, mais difícil pode ser para um casal conceber um bebê. De fato, os pais mais velhos também são mais propensos a ver suas parceiras sofrendo abortos espontâneos na gravidez. Da mesma forma, a idade mais avançada do pai também pode desencadear problemas de saúde em uma criança.

Ao contrário das mulheres, que nascem com um número finito de óvulos, os homens continuam a produzir espermatozoides ao longo da vida. Alguns podem ter filhos até os 60 anos de idade ou mais, uma idade na qual os relógios biológicos femininos já pararam de funcionar.

O impacto dos hábitos no relógio biológico

Para os homens, existem alguns hábitos para minimizar o impacto do relógio biológico. Os problemas de fertilidade masculina frequentemente estão relacionados a outros problemas de saúde, tais como câncer, hipertensão, doença cardíaca ou doença renal. Por exemplo, os homens com excesso de peso são muito mais propensos a experimentar baixos níveis de testosterona.

O impacto dos hábitos no relógio biológico

Há também evidências crescentes de que aquilo que um homem come, bebe e fuma, e até mesmo o estresse que ele experimenta nos meses anteriores à concepção, podem influenciar na saúde dos seus espermatozoides e, potencialmente, na saúde do bebê.

Da mesma forma, outras mudanças na saúde reprodutiva de um homem são apenas uma consequência inevitável do passar do tempo.

Já foi comprovado que a qualidade genética dos espermatozoides de um homem se degrada à medida que ele envelhece. Por sua vez, isso pode levar a infertilidade, abortos espontâneos e um maior risco de autismo, esquizofrenia e certos tipos de câncer para a criança.

Por fim, deve-se ter em mente que o relógio biológico de homens e mulheres não deve ser um problema nem uma preocupação para os futuros pais. A nova tendência é que cada vez mais crianças nasçam de pais que têm entre 30 e 40 anos, devido a fatores pessoais e profissionais que marcam os estilos de vida atuais.