O respeito entre mãe e filho

· 23 de outubro de 2017

O respeito entre pais e filho é algo fundamental para criar um vínculo sólido, uma relação saudável e um sentimento bonito, capaz de ficar mais forte ao longo do tempo. No entanto, o caminho pode ser mais difícil do que pensamos, e quando nosso filho nos desrespeita, muitas vezes reagimos mal.

Diante de uma situação de desrespeito, o melhor remédio é ensinar. Sim, claro que é muito difícil não reagir de forma negativa, mas conseguimos muito mais se nos controlamos e ensinamos, ao invés de gritar e castigar nosso filho.

Nenhum pai ou mãe nasce sabendo de tudo. A seguir vamos ajudar os pais a se preparem adequadamente para todas aquelas situações em que você pode ensinar o respeito ao seu filho, sem perturbar a sua paz interior e sem recorrer ao mau humor.

Nossas reações mais comuns

Quando um adulto se encontra diante de uma situação de desrespeito por parte do seu filho, geralmente faz duas coisas:

  1. Fica calado e estupefato/paralisado. (estado de choque)
  2. Reage de forma negativa. (impulsividade). Nesse caso, agrava-se a situação ao agir de forma exagerada, através de demonstrações violentas, gritos e, finalmente, impondo castigos para a criança.

Muitas vezes comete-se o erro de impor e exigir respeito quando talvez não tenha sido  semeado algo, de maneira clara e assertiva na relação entre pais e filhos. Por isso, o passo mais importante é começar a respeitar a criança, prestar atenção, e compreender as situações pelas quais ela está passando, segundo sua idade e necessidades.

O contraste de opiniões e percepções ajudará a ambos a enfrentar melhor a situação, e seguir em frente

respeito entre pais e filho

O diálogo é a chave para uma boa relação e manter o respeito entre pais e filho

O respeito é sem dúvida um dos valores mais importantes que você deve ensinar aos seus filhos, já que se trata de um valor recíproco: é dado com a intenção de receber de volta. CUIDADO! Não se trata de pensar que se você respeita o se filho, o está colocando num patamar acima do seu, apenas tente se aproximar dele e de procurar entender o que ele pensa e sente.

Converse com o seu filho. Procure por um momento oportuno,  sente tranquilamente ao seu lado para conversar. Procure um espaço e uma hora em que ambos se sintam o mais a vontade possível. Mas, acima de tudo, o importante é ter uma atitude positiva em que se tente entender um ao outro e a buscar soluções.

O passado já passou, não volta mais. Ficar parado reclamando não ajuda em absolutamente NADA.

Nosso conselho é que você responda com paciência às inquietações do seu filho. Essa sempre será a melhor forma de fazer seus filhos se sentirem respeitados, e que encontrem em você um bom modelo de respeito. Quem melhor do que os pais para ensinar os seus filhos sobre isso? Quem sabe se, inclusive, ambos terminam crescendo mais do que imaginaram a princípio?

Respeito entre pais e filho. Aprenda a fazer a diferença

Uma das nossas tarefas como pais é aprender a fazer a diferença através das regras. Nesse sentido o mais importante é que você mesmo seja o primeiro a respeitar essas normas, internalizá-las, e também ensinar os seus filhos a segui-las sem que isso faça você se alterar.

A seguir apresentamos algumas dicas para fazer a diferença de uma forma positiva:

  1. Siga e respeite as suas próprias normas. 
  2. Seja coerente, é importante para que a criança não se sinta desorientada quando você apontar algo. Do contrário, não levarão muito a sério.
  3. Estabeleça claramente os limites, e explique o motivo. Cuidado! Você precisa saber que as crianças adoram colocar os limites à prova, essa é sua maneira de experimentar. Não se trata de uma ofensa pessoal. Por isso, ao estabelecer limites claros e explicá-los, a criança poderá perder o interesse em explorar aquilo, e consequentemente evitará o conflito.
  4. Reconheça quando seus filhos fizerem as coisas corretamente. Isso é importante para deixar uma marca positiva neles, e fazer com que continuem interessados em agir corretamente.

Respeito entre pais e filho. Como dizer NÃO?

Algumas vezes é muito difícil negar algum pedido a seus filhos, porque pensamos que atendendo-os estamos procurando o seu bem estar. Na verdade,  ainda que você queira ver os seus filhos felizes é melhor cumprir com o  papel que lhe corresponde, e aprender a dizer não nos momentos necessários.

mãe corrigindo sua filha

Não tenha medo das suas reações de incômodo, choro ou frustração. Ante à essas reações seja firme, mas não caia na tirania. Uma coisa é ensinar disciplina e respeito, e outra é impor as coisas pela força e maltratá-los.

Quando você é responsável e cria limites para a criança, recebe a mensagem mais importante de todas: que você a ama, que se interessa pelo que acontece com ela, e que também é capaz de saber as necessidades e os desejos que deve atender. Claro que o desejo é um valor, mas também é um ponto de encontro entre pessoas com diferentes percepções.

Respeito entre pais e filho deve utilizar da disciplina sim, severidade não

No momento de falar com o seu filho sobre o seu comportamento – e dos motivos que o levaram a tê-lo – não grite nem converta a conversa numa briga, com isso você apenas conseguirá que ele se torne cada vez mais desrespeitoso.

Levantar o tom de voz não outorga mais autoridade, nem credibilidade ou respeito, como muitos pais pensam. Na verdade, os gritos apenas conseguem fomentar o medo, a desobediência, e isso afasta os filhos de você. Procure falar sempre de forma serena e cuide dos seus gestos, tom de voz, e do que diz, pois os seus filhos também responderão da mesma forma.

Quando seu filho contradizer-lhe e responder durante uma conversa, você deve fazer o possível para explicar que sua forma de contestar não é a mais saudável ou correta. Deve ser você, no papel de PAI, que deve estabelecer uma diferença e ensinar, que existem maneiras mais respeitosas de dizer o mesmo, mas sem ser violento, agressivo, ou respondão.

Ainda que em alguns casos seja muito difícil colocar tudo isso em prática, como pai você deve conservar a calma diante da “rebeldia” da criança, pois se você reagir da mesma forma agressiva, apenas irá piorar a situação.