Pés chatos em crianças

· 3 de fevereiro de 2019
Os pés chatos em crianças são muito mais frequentes do que parecem. Essa é uma situação com a qual não é necessário se alarmar, pois existem soluções bastante eficazes. Em alguns casos, pode ser necessário até mesmo recorrer a uma cirurgia, mas geralmente a atividade da criança com os pés chatos é completamente normal.

O pé chato consiste na inexistência do arco longitudinal plantar quando se está em pé. Quando caminham, as crianças com pés normais apoiam os dedos, o calcanhar e a parte externa da sola do pé. Em contraste, as crianças com essa alteração apoiam o pé inteiro, incluindo a parte interna da sola do pé.

Dentro do que é considerado normal, não há acordo quanto à altura que o arco do pé deveria ter. De fato, um quinto da população não desenvolve um arco acentuado quando está em pé.

Na verdade, considera-se normal quando a pessoa não tem dor no pé e quando, ao ficar na ponta dos pés, a curvatura do arco é formada. Isso é chamado de ‘pé chato flexível’ e não recebe tratamento – a menos que a criança sinta dor ou desconforto.

Pé chato rígido

Esse tipo de pé chato é considerado patológico. É pouco comum e se caracteriza por uma fusão anormal dos ossos dos pés. Essa anomalia provoca uma deformação e uma aparência de pé sempre amassado, em todas as posições e movimentos. Normalmente, o arco da sola do pé nunca fica aparente.

Esse tipo de pé chato geralmente causa dor e o diagnóstico é feito através de um raio-X. Nos casos mais extremos, recomenda-se uma intervenção cirúrgica.

Na prática, é um tipo complexo de pé chato e pode envolver o desalinhamento da postura. As terapias para esse tipo de pé chato incluem tanto o trabalho de fisioterapia quanto o uso de palmilhas para diminuir a dor.

Pé chato rígido

Pés chatos em crianças pequenas

Até os três ou quatro anos de idade, as crianças apoiam completamente a sola do pé no chão. Na verdade, nessa idade o ’pé chato’ é normal porque a constituição da extremidade do pé é diferente: a área plantar interna – que depois forma o arco – está cheia de tecido adiposo, os ligamentos são flexíveis e o arco ainda não foi formado.

De fato, nessa idade, quando a criança já anda sozinha, é possível fazer um diagnóstico. Será nessa etapa do desenvolvimento infantil que a criança vai começar a explorar o mundo com os pés, tanto andando, quanto correndo, pulando ou escalando.

É nesse período que a musculatura da área é fortalecida naturalmente, enquanto o tecido adiposo da planta do pé desaparece e o arco é formado. Ao chegar à idade de cinco anos, o arco torna-se visível e posteriormente vai continuar a se acentuar com o tempo.

Sintomas de pés chatos em crianças

Em geral, o pé chato é indolor, de forma que os sinais a seguir são parte dos quadros mais severos:

  • Os arcos plantares podem apresentar deformações.
  • A criança cai ao correr, entre outras coisas, porque os joelhos batem um no outro.
  • Sua forma de andar é estranha.
  • A criança expressa fraqueza ou dor ao caminhar ou se exercitar por um período prolongado.
  • Presença de câimbras.
  • Dor nos calcanhares, parte inferior das pernas ou nos joelhos.

“Até os três ou quatro anos de idade, as crianças apoiam completamente a sola do pé no chão. Na verdade, nessa idade o ’pé chato’ é normal porque a constituição da extremidade do pé é diferente”

Como o pé chato é corrigido?

Essa alteração pode ser evitada através da realização de uma série de exercícios que fortalecem os músculos do pé:

  • Andar na ponta dos pés e depois com os calcanhares.
  • Com os pés juntos, levantar e abaixar os calcanhares.
  • Andar descalço em superfícies irregulares, tais como areia, tapetes, pedras, etc.
  • Fazer círculos no ar com a ponta dos pés.
  • Pegar objetos – como por exemplo lápis, bolas – com a ponta dos pés.
Como o pé chato é corrigido

Recomendações para os pais

Para que essa alteração dos pés chatos não se consolide com o tempo, os fisioterapeutas sugerem:

  1. Controlar o excesso de peso ou a obesidade nas crianças.
  2. Estabelecer uma rotina de exercícios simples em casa. O ideal é que sejam realizados de forma lúdica para que, dessa forma, a criança persevere e não fique entediada.
  3. Deixar a criança andar descalça em diferentes tipos de piso.
  4. Ter um cuidado especial ao escolher os calçados do seu filho.

Em relação ao último ponto, é importante que o calçado cumpra com alguns requisitos recomendados pelos especialistas:

  • Deve ser confortável, flexível e leve a fim de permitir o livre movimento dos pés.
  • Tem que se ajustar facilmente ao pé.
  • Deve ser de material respirável, a fim de evitar fungos.
  • Deve proteger o pé de entorses e lesões.

Então, embora não seja uma situação grave, os pés chatos em crianças podem e devem ser evitados. Com a implementação de atividades simples como as descritas aqui, os pais podem prevenir, pelo menos em parte, o surgimento desse mal.

  • Vukašinović, Z., Živković, Z., & Vučetić, Č. (2009). Flat feet in children. Srpski Arhiv Za Celokupno Lekarstvo. https://doi.org/10.2298/SARH0906320V