Por que é importante começar a trabalhar a empatia em casa?

19 de janeiro de 2018
A empatia não é um traço genético ou um dom, não se nasce com ela. É uma habilidade que cada pessoa pode desenvolver. Daí a importância de que os pais ajudem seus filhos a cultivá-la.

A empatia é uma das qualidades mais valiosas que os seres humanos podem aprender. É a habilidade de não apenas entender, mas também estar ciente e sensível aos sentimentos e opiniões de outras pessoas, sejam eles compartilhados ou não, com o objetivo de ajudá-las. É muito importante trabalhar a empatia porque é o fundamento sob o qual todas as boas relações são construídas. Além disso, ajudará a levar uma vida mais saudável e completa.

Os diferentes tipos de empatia

Para agir com empatia, é necessário entender o que a outra pessoa está vivendo, é importante prestar atenção e observar as mensagens que ela transmite com suas palavras, gestos e emoções. Existem três tipos de empatia:

  • Empatia cognitiva. É colocar-se mentalmente na situação de outra pessoa, entendendo como ela vê as coisas e adotando seu ponto de vista, sem julgamento.
  • Empatia emocional. Consiste no relacionamento com os sentimentos da outra pessoa, sentindo as emoções do outro.
  • Empatia simpática. É sentir a preocupação e a necessidade de ajuda de outra pessoa e estar disposto a ajudá-la de forma rápida, espontânea e incondicional.
A empatia é uma habilidade possível de ser adquirida com o tempo.

A importância de trabalhar empatia começa em casa

A empatia é vital para construir excelentes relações interpessoais e, especialmente, para fortalecer e nutrir laços familiares. Quando surgem problemas em casa, colocar-se no lugar da outra pessoa não resolverá o conflito, mas permitirá compreender melhor e vai facilitar a explicar isso, mesmo que não compartilhe o mesmo ponto de vista, pode-se entender sua opinião.

Uma atitude empática dentro do núcleo familiar proporcionará flexibilidade emocional e apreciação dos esforços feitos para tentar melhorar algo no bem-estar de toda a família.

“A empatia é vital para construir excelentes relações interpessoais e, especialmente, para fortalecer e nutrir laços familiares”

7 maneiras de desenvolver a empatia em casa

Como todos os valores morais, a empatia começa a se desenvolver e enriquecer dentro do lar. Os pais são o exemplo que as crianças devem seguir. Para trabalhar empatia em casa, é importante que os pais:

  1. Ajudem as crianças a desenvolver uma autoestima saudável, para que elas possam se colocar no lugar dos outros sem serem prejudicadas.
  2. Ensinem a ser bons ouvintes, o que lhes permitirá saber o que os outros sentem e pensam.
  3. Falem sobre seus próprios sentimentos e emoções, assim entenderão que todas as pessoas têm diferentes sentimentos.
  4. Incentivem e convidem a reflexão sobre como os outros podem se sentir em determinadas situações.
  5. Corrijam quando uma criança faz comentários depreciativos sobre os outros.
  6. Faça com que elas se sintam certas quando mostrarem empatia.
  7. Mostrem pelo exemplo a satisfação que se obtém de ouvir ou ajudar alguém.
O diálogo é fundamental para trabalhar a empatia.

Maneiras práticas de ensinar empatia às crianças

Há muitas maneiras de trabalhar a empatia em casa e desenvolver essa capacidade desde a infância. Alguns exemplos:

  • Faça desenhos e use máscaras com os menores com expressões de alegria, tristeza, raiva e medo.
  • Leia histórias e mostre-lhes desenhos animados e filmes, explicando as diferentes emoções dos personagens e como eles as expressam.
  • Faça jogos com situações diferentes para que as crianças possam adivinhar como os outros pensam e sentem.
  • Ajude-as a refletir sobre diferentes situações, fazendo-lhes perguntas sobre como elas se sentiriam em determinada situação, o que elas fariam ou como a outra pessoa se sentiria.

Benefícios inestimáveis ​​de trabalhar a empatia

Embora o desenvolvimento da empatia seja um processo lento e que leva muito tempo, os frutos que gera valem o esforço. Assim, trabalhar a empatia:

  • Ajuda a manter relacionamentos mais profundos.
  • Ensina a compartilhar sentimentos.
  • Desenvolve a capacidade de ser compassivo quando enfrentar situações dolorosas.
  • Promove uma comunicação mais eficaz.
  • É mais objetivo e justo, indo além do preconceito, entendendo melhor os outros.
  • Reforça a autoestima e estimula a aprendizagem.

Os pais devem continuar demonstrando empatia com seu exemplo para os filhos, já que eles aprendem com o que veem. É necessário ensinar-lhes a importância de compreender os sentimentos e as necessidades não só dos membros da família, mas também das pessoas de fora do círculo familiar.

Recomendados para você