Um ano de aventuras, 12 meses de aprendizagem

· 9 de outubro de 2017

Quando seu bebê nasce o mundo se abre diante de seus olhos. O primeiro aniversário de seu bebê se traduz em um ano de aventuras, 12 meses de aprendizagem. Você verá que cada mês tem os seus acontecimentos, seus desafios e seu progresso, que se mostram em detalhes, como aprender a sorrir, a levantar os bracinhos para que os peguem, a dizer mamãe…

Seu primeiro ano de vida é crucial; de fato está demostrado que os recém-nascidos aprendem de maneira impressionante durante seus primeiros 12 meses de vida.

Nesses meses seu bebê aprenderá, entre muitas outras coisas, dois aspectos fundamentais: a se relacionar com o mundo que o rodeia e a controlar seu corpo. Esse aprendizado, ainda que seja progressivo, começa desde o mesmo instante em ele entra em contato com o mundo exterior; já com o tempo você verá que seu filho irá aprendendo no dia-a-dia.

Nesses primeiros 30 dias o recém-nascido se adapta ao mundo que o rodeia de maneira instintiva, e seu corpo responde aos reflexos essenciais. Assim, por exemplo, durante os primeiros dias após o nascimento você poderá observar que ele move seus olhos em direção à luz e estica seus braços e suas perninhas quando escuta um ruído forte.

 

Outro de seus reflexos de recém-nascido é sua grande capacidade de sucção, a qual o ajuda a conseguir o peito da mamãe para se alimentar. Nessa idade, quando apenas tem um mês de nascido, o choro é a única maneira que tem para se comunicar, e normalmente chora quando tem fome, frio, calor ou quando se sente sozinho. Quando isso ocorrer, pegue-o em seus braços para acalmar suas necessidades.

Faça isso sem nenhum medo de o estar mimando, já que nessa etapa, o bebê não chora por chorar, mas sim para comunicar alguma necessidade; o objetivo nesse caso é que a mamãe ou o papai adivinhe o que acontece com ele.

Aprender passo a passo

No segundo mês, seu bebê começará a sorrir diante dos estímulos externos, sobretudo ao ver a carinha da sua mamãe. Com dois meses começa a colocar o dedo polegar na boca e a adquirir o hábito de chupá-lo, além disso, emite seus primeiros sons guturais e sabe chamar a atenção do papai e da mamãe.

Especialmente nesta etapa é muito importante que você o estimule: abrace, acaricie e converse bastante com ele; com isso conseguirá estimular seus sentidos de modo positivo.

Aproximadamente a partir do terceiro mês, seu bebê moverá cada vez mais sua cabeça e mostrará mais interesse pelos objetos que se encontram ao seu redor.

Por exemplo, as coisas brilhantes em movimento chamam muito sua atenção; assim, é bem possível que você o veja cada vez mais usando seus brinquedos, e como se não fosse o suficiente, é muito possível que comece a balbuciar.

Nessa idade é normal que feche seu punho quando você toca na sua palma da mão, e esse simples reflexo serve para que seu pediatra avalie o nível de desenvolvimento psicomotor da criança, em seus primeiros meses de vida.

menino feliz batendo palminhas

À partir do quarto mês, novas aventuras

Aos quatro meses seu bebê já sustenta sua cabeça, olha para as suas mãos e começa a segurar e a mover objetos com certa destreza. Ri com muita frequência, demonstra interesse por todas as pessoas ao seu redor, e não gosta que o deixem sozinho. Entretanto, todos esses dados que dão a você pistas dos sinais de aprendizagem que demonstra o bebê, não são exatos, já que cada criança evolui em seu próprio ritmo, e é o pediatra o especialista encarregado de avaliar seus avanços.

Neste primeiro ano de aventuras seu bebê começará a balbuciar muito, a brincar com os sons que emite, e a se divertir porque fica encantado ao escutar a si próprio. Colocará os objetos que encontrar na boca, vai rir para quem sorrir para ele, e se sacudir de alegria quando ver a mamadeira. A mesma que, já aos seis meses de idade, começará a tomar sozinho, com suas próprias mãos.

Também aos seis meses já consegue se sentar sozinho, rolar no berço, e pouco a pouco começa a perder o interesse pelas mãos, e prestará mais atenção aos seus pés para levá-los à boca. Também demonstra preferência por ficar com as pessoas que cuidam dele, especialmente sua mãe que, a partir dos seis meses de idade, começará a cuidar dos dentinhos do bebê que começarão a aparecer.

Já em seus sete meses se mantém sentado por si só. É a partir dai que o papai e a mamãe veem como o bebê aprende mais e mais rápido, e se dão conta de que ainda que seu filho balbucie palavras que muitas vezes não tem sentido algum, entende perfeitamente o que lhe dizem, e quer escutá-los. Por isso é importante que falem com ele, e lhe respondam quando fale.

Aos nove meses de idade normalmente os bebês começam a engatinhar. Se o seu filho ainda não começou você pode ajudá-lo a que se decida, colocando-o sobre um cobertor e deixando-o à uma certa distância de um objeto que ele goste e queira agarrar; isso o motivará a conseguir seu objetivo.

Quando passar mais um mês e estiver próximo de fazer seu primeiro ano de aventuras fica de pé sozinho ou se agarrando à parede, e já fala má-má, pá-pá e outras palavras para pedir o que quer. Sabe cumprimentar com sua mãozinhas, se diverte fazendo barulho ao jogar os objetos e a rasgar papel.

Nessa etapa é conveniente que você tenha muita paciência e permita a ele experimentar um pouco a brincar e fazer ruídos; todas essas experiências servem de aprendizado para seu desenvolvimento saudável.

Aos 11 meses a linguagem corporal de seu filho é tão significativa que se torna mais fácil compreendê-lo. Além disso, já começou a falar um pouco e diz coisas como “da”, “mais”, “não”. Quando escuta uma negativa fica atento à explicação. Nessa idade, começa a andar sozinho se apoiando nos móveis ou agarradinho às mãos de um adulto. Irá aprendendo a andar pouco a pouco; os pais devem ser pacientes e tentar não apressar a criança, devendo respeitar o seu tempo.

E assim, pouco a pouco com amor, chegará a soprar sua primeira velinha e ao completar um ano sairá dos braços da mamãe e começará uma aventura ainda maior, a de descobrir o mundo engatinhando e dando seus passinhos.