Principais benefícios de engatinhar para o bebê

4 de julho de 2018
Foram demonstrados muitos benefícios para os bebês que engatinham. Esses benefícios se distribuem nos níveis físico, mental e emocional. Conheça alguns deles neste artigo!

Engatinhar é uma atividade típica dos bebês. É um dos principais elementos que permitem notar que o bebê está conquistando sua independência e que sua coordenação motora está se desenvolvendo corretamente.

Muitos especialistas concordam que é importante incentivar esse tipo de locomoção. Pois, o aprendizado do bebê nessa fase vai acompanhar o desenvolvimento dele para o resto da vida. Entre os aspectos que essa prática beneficia se destacam a confiança, a segurança e a autonomia.

Qual é o momento certo de colocar seu filho para engatinhar?

Sabe-se que a partir dos oito meses a maioria dos bebês está pronta para engatinhar. No entanto, eles vão iniciar essa prática quando conseguirem se sentar sozinhos. É conveniente que os adultos incentivem o bebê a se movimentar. Para isso, recomenda-se colocar o bebê no chão e garantir que ele possa se movimentar livremente em um espaço seguro. Com liberdade, mas sob sua supervisão.

benefícios de engatinhar

É muito importante deixar que os pequenos se desenvolvam por conta própria. Deixar que eles se dirijam aos lugares que se mostrarem mais atrativos e que explorem tudo o que quiserem. Por isso a companhia de um adulto é extremamente necessária.

Nesse sentido, a função dos adultos não é limitar a exploração dos pequenos ou impedir que se desloquem à vontade. Mas garantir que não corram nenhum perigo.

“O bebê que se sente confiante para percorrer e explorar o mundo é capaz de construir as primeiras bases do sentimento de confiança básica, aspecto fundamental no desenvolvimento socioafetivo das crianças...”
-Verónica Navarrete. Escola de Psicologia da Universidade do Pacífico –

De acordo com Navarrete, a confiança no mundo e nas outras pessoas, assim como a autoconfiança do bebê, são reforçadas ao engatinhar. Isso ocorre, pois surge um vínculo afetivo muito estreito entre o bebê e a pessoa que o acompanha nesse processo. Por essa razão, recomenda-se que a estimulação para engatinhar seja feita quando percebemos a independência do pequeno para realizar movimentos firmes no chão.

Quais são os benefícios para seu filho ao engatinhar?

benefícios de engatinhar

Segundo os especialistas, a maior parte das habilidades psicomotoras que uma criança precisa para se desenvolver no âmbito escolar ao longo da infância são estimuladas durante a prática de engatinhar. Para os bebês, o fato de engatinhar permite que eles se desenvolvam no nível neurológico por meio de uma transmissão que influencia na definição do comportamento.

Aparentemente, as decisões que caracterizam a vida futura da criança começam a se manifestar nessa fase. Isso se relaciona diretamente com a conduta relacionada a essas situações. Em outras palavras, neurologicamente a criança começa a decidir para onde quer ir e quais são as coisas que a interessam. Assim, esses momentos vão condicionar as decisões futuras que ela irá fazer.

Também é o primeiro mecanismo que permite perceber que o controle voluntário da criança está em ação. Essa é uma habilidade que incide no equilíbrio, na coordenação, na força da musculatura e em outros elementos do desenvolvimento psicomotor. Engatinhar é uma atividade do tipo motor que complementa o aprendizado. Portanto, influencia diretamente na inteligência do ser humano.

Entre os principais benefícios para o bebê ao engatinhar estão:

  • Ajuda a tonificar os músculos dos braços, das pernas e da coluna vertebral. Esse fortalecimento prepara o bebê para a próxima posição, ficar em pé.
  • Estimula a atenção.
  • Desenvolve e aperfeiçoa a visão por meio do enfoque dos olhos em distâncias curtas.
  • Favorece o fortalecimento do sistema proprioceptivo e do aparelho vestibular, relacionados ao conhecimento do próprio corpo e do equilíbrio, respectivamente.
  • Proporciona ao bebê uma oportunidade de interagir com o mundo. Ou seja, contribui para o bebê se comunicar e se expressar em relação ao que está acontecendo.
  • Ajuda a sensibilizar o sentido do tato, já que com a palma da mão o bebê amplia o reconhecimento de texturas e sensações.
  • Estabelece uma coordenação entre os olhos e a mão para calcular distâncias e aproximações.
  • Nessa fase tem início a lateralização cerebral. Ela permite que a criança entre os cinco e seis anos de idade possua um domínio por parte de um dos hemisférios do cérebro.
  • Começa a criar o sentido de direção baseado na informação que recebe por meio dos sentidos e conecta com o cérebro. Isso vai ajudar o bebê a experimentar situações de raciocínio.