Problemas emocionais nas crianças

· 15 de março de 2018
A vida é cheia de situações que podem jogar a favor ou contra o nosso bem-estar. As crianças não são uma exceção a esta regra. As características de sua personalidade e as do ambiente em que elas crescem podem beneficiar ou prejudicar seu desenvolvimento emocional.

Os problemas emocionais nas crianças podem afetar as relações com os demais, o comportamento e o humor. Os pais devem ser capazes de identificar qualquer mudança para tentar resolver a situação da forma mais rápida possível. Esses problemas prejudicam o desenvolvimento da criança em vários aspectos.

Esse tipo de problema não é algo exclusivo dos adultos. Devido a diferentes fatores, internos ou ambientais, as crianças podem ser afetadas por situações que prejudicam a saúde emocional.

Os problemas emocionais aparecem quando as emoções negativas têm grande impacto na vida da criança. Por isso nunca subestime a sua importância.

As emoções negativas têm um papel importante na vida das pessoas. É por causa do medo que somos capazes de nos proteger de ameaças, por causa da raiva que conseguimos nos defender contra os ataques de outros, e com a adrenalina as nossas habilidades aumentam quando necessário.

Os problemas emocionais nas crianças podem ser muito prejudiciais ao seu bem-estar físico e psicológico.

A seguir vamos ver como identificar esse tipo de problema e o que fazer para resolvê-lo.

Problemas emocionais mais frequentes na infância

Os distúrbios emocionais que ocorrem mais frequentemente nas crianças são:

  • Falta de empatia. Neste caso, as crianças não conseguem reconhecer as emoções das outras pessoas. Elas não percebem se alguém está triste, feliz ou com raiva. Além disso, são incapazes de entender por que as outras pessoas se sentem assim.
  • Depressão. Pode ser causada por vários fatores. A depressão altera muito o comportamento das crianças, assim como o seu humor, o desempenho escolar, a resposta a estímulos externos e o seu relacionamento com os demais.
  • Ansiedade. Embora seja um mecanismo de defesa contra uma ameaça ou perigo, a ansiedade excessiva ou em situações injustificadas pode causar irritabilidade, nervosismo e agitação. Além disso, a ansiedade também tende a ser origem de outros distúrbios físicos, alguns, inclusive, muito sérios.
  • Intolerância à frustração. É a impossibilidade de aceitar regras, normas ou situações que não são convenientes para elas. Geralmente a criança expressa esse problema por meio da raiva e do comportamento agressivo.
  • Fobias. São os medos excessivos. Alguns, inclusive, podem estar relacionados a coisas cotidianas como a chuva, por exemplo. As fobias causam grandes complicações que afetam a estabilidade mental e a vida social.
  • Transtorno do pânico. São situações de medo intenso, acompanhadas por sintomas físicos muito angustiantes.
Como tratar os problemas emocionais nas crianças

Causas mais comuns dos problemas emocionais nas crianças

Como mencionado acima, existem dois tipos de fatores que podem desencadear os problemas emocionais nas crianças:

Fatores internos

Estes estão relacionados à regulação emocional de cada um.

Alguns fatores que podem determinar a tendência de sofrer problemas emocionais são: ter um caráter muito forte, ser muito introvertido, ter déficit de atenção, insegurança ou algum distúrbio no processamento da informação.

“A vida é 10% o que você sente e 90% como você responde”

Fatores externos

O ambiente em que uma criança cresce tem grande influência no seu desenvolvimento. Se a criança faz parte de uma família na qual há violência, agressão e negatividade, sua estabilidade emocional vai ser prejudicada.

Além disso, o ambiente escolar é igualmente importante pois geralmente é seu primeiro contato com outros colegas da mesma idade no mundo exterior.

É importante, portanto, que a criança cresça em um ambiente saudável, onde não haja situações de abuso ou assédio. Os maus relacionamentos com os professores também podem influenciar no comportamento, assim como o fato de não se sentir um membro importante no ambiente escolar e o baixo rendimento.

Como perceber os problemas emocionais nas crianças?

A primeira coisa que se deve considerar é que uma criança nunca vai procurar os pais para dizer: “Estou sofrendo de baixa autoestima por causa das críticas dos meus colegas de classe”. Por isso, é preciso prestar atenção ao seu comportamento. É por meio dele que a criança vai exteriorizar todos os sentimentos reprimidos.

Se a criança apresenta comportamentos que demonstrem nervosismo ou agressividade como morder as unhas, gritar, quebrar objetos, pode ser um indicador de desestabilização emocional. Fique atenta também a alguns sintomas físicos como taquicardia, náuseas ou tensão muscular.

Problemas emocionais nas crianças

Além disso, preste atenção àquilo que não se manifesta. Se você perceber que a criança não confia em suas aptidões, que ela enfrenta problemas com uma atitude negativa ou que tem uma dificuldade muito grande para se relacionar com os outros, é preciso tentar descobrir o que está acontecendo com ela e o que ela está pensando.

Conselhos para tratar os problemas emocionais nas crianças

A melhor recomendação para um caso de transtorno emocional nas criançsa é procurar um profissional.

Um psicólogo ou um psiquiatra, por exemplo, poderia elaborar um plano de educação emocional para ensinar a criança a controlar os sentimentos que afloram segundo determinadas situações. A inteligência emocional é a principal ferramenta para combater este tipo de distúrbio.

Além disso, é importante que os pais estejam presentes durante toda a infância dos filhos. A melhor maneira de ajudá-los é sendo compreensivos, abertos, dispostos a transmitir ensinamentos e valores em todos os momentos. Acima de tudo, mostrar que estão à disposição quando a criança sentir que alguma está errada.