3 programas de intervenção voltados para crianças com autismo

12 Agosto, 2020
Você quer conhecer alguns programas de intervenção voltados para crianças com autismo? Neste artigo, vamos apresentar três deles.

As crianças diagnosticadas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) geralmente são caracterizadas por apresentar problemas no desenvolvimento da linguagem e da comunicação (tanto verbal quanto não verbal), por manifestar dificuldades relacionadas às habilidades sociais e por apresentar um pensamento inflexível, rígido e absoluto. Isso as afeta diariamente, de forma significativa.

Felizmente, existem diversos programas de intervenção voltados para crianças com autismo atualmente, que têm como objetivo trabalhar para melhorar esses déficits. A seguir, vamos apresentar alguns deles.

Porém, antes disso, você deve compreender que as dificuldades acima mencionadas podem aparecer em maior ou menor grau, dependendo de cada pessoa com TEA.

Por isso, a intervenção psicopedagógica deve ser adaptada às necessidades especiais da criança em questão. Ou seja, deve haver uma intervenção especializada e personalizada de acordo com as características da criança e do ambiente ao seu redor.

“Rotular uma pessoa como alguém que ‘está em seu próprio mundo’ é um dos piores erros. As dificuldades com a comunicação e a interação social não significam que uma pessoa seja de outro planeta. A falta de contato visual não significa que não possam ver. Perambular não significa que estejam perdidos”.

-Liz Becker-

programas de intervenção voltados para crianças com autismo

3 programas de intervenção voltados para crianças com autismo

O método ABA

O Método ABA (Applied Behavior Analysis ou Análise Comportamental Aplicada) é um modelo de intervenção voltado para crianças com autismo que tem como objetivo permitir que elas possam aprimorar e desenvolver novas habilidades, generalizar os comportamentos apropriados em outras situações e diminuir os comportamentos indesejados.   

Esse método se baseia no condicionamento operante, uma vez que consiste em estimular a criança de maneira positiva e sistemática, concedendo recompensas (alimentos, elogios, músicas, jogos, etc.), sempre que ela apresentar determinados comportamentos desejáveis ​​relacionados às seguintes áreas:

  1. Habilidades adaptativas.
  2. Habilidades motoras.
  3. Linguagem.
  4. Habilidades sociais.
  5. Habilidades cognitivas.
  6. Funções executivas.
  7. Habilidades acadêmicas.
  8. Habilidades de jogo.

Essas áreas, por sua vez, são divididas em tarefas menores para facilitar a execução e para que o nível máximo do indivíduo possa ser atingido.

O modelo TEACCH, um dos programas de intervenção voltados para crianças com autismo

O modelo TEACCH (Treatment and Education of Autistic and Related Communication Handicapped Children ou Tratamento e Educação para Autistas e Crianças com Déficits relacionados com a Comunicação) se baseia em:

  • Estruturação do ambiente: organizando de forma ideal os espaços físicos, os horários, os materiais, etc.
  • Uso de materiais e indicações visuais.

Esse método se adapta perfeitamente às necessidades especiais das crianças com autismo, facilitando, assim, sua aprendizagem e o bom desenvolvimento das habilidades sociais e de comunicação.

programas de intervenção voltados para crianças com autismo

“O método TEACCH é o programa de educação especial mais utilizado no mundo todo, e há relatos de sua eficácia na melhoria das habilidades sociais e de comunicação, reduzindo comportamentos mal adaptados, melhorando a qualidade de vida e diminuindo o estresse familiar”.

-Fernando Mulas e outros-

Programa PECS

O programa PECS (Picture Exchange Communication System ou Sistema de Comunicação por Troca de Figuras) tem como objetivo ensinar certas estratégias de comunicação e interação social para as crianças com autismo.

Dessa forma, os pequenos poderão adquirir, de forma gradual e progressiva, as habilidades necessárias para se comunicarem com naturalidade através da troca de figuras ou imagens.

É importante ressaltar que esses programas de intervenção psicopedagógica sempre devem ser aplicados por profissionais especializados. Entretanto, o envolvimento da família é fundamental para que possam ser desenvolvidos com sucesso e para que resultados positivos sejam obtidos.

  • Mulas, F., Ros-Cervera, G., Millá, M. G., Etchepareborda, M. C., Abad, L., y Téllez de Meneses, M. (2010). Modelos de intervención en niños con autismo.Rev Neurol50(3), 77-84.