Saiba tudo sobre a icterícia infantil

· 16 de dezembro de 2017
A icterícia neonatal - como também se chama esse transtorno-, se apresenta quando há um alto nível de bilirrubina no sangue.

A icterícia infantil é uma doença talvez desconhecida para alguns pais. No entanto, não é porque é desconhecida que deixa de existir e afetar muitas crianças.

A icterícia infantil: origem e características

A icterícia infantil é uma doença que afeta o recém-nascido nos primeiros dias ou semanas de vida. Caracteriza-se pela coloração amarelada da pele do bebê que, geralmente, começa pelo rosto e, em casos mais graves, chega até os pés.

A bilirrubina é uma substância amarelada resultante da decomposição dos glóbulos vermelhos velhos. À medida que é secretada, é decomposta pelo fígado e é excretada pelas fezes.

O recém-nascido chega ao mundo com um determinado nível de bilirrubina no sangue, mas, se seu fígado a excreta, isso não é um problema para o recém-nascido.

Enquanto permanece no útero materno e protegido dentro da bolsa de líquido amniótico, é a placenta que se encarrega de eliminar o pigmento do corpo do bebê e levá-lo até o fígado de sua mãe para ser decomposto.

Ao nascer, o fígado do recém-nascido é que deve começar a fazer esse trabalho, mas quando ele não consegue fazê-lo de maneira eficiente, a bilirrubina se acumula no corpo, na pele e na parte externa do globo ocular (esclerótica). Esse acúmulo faz com que surja uma coloração amarelada e a criança desenvolva icterícia.

A icterícia infantil também pode aparecer quando o recém-nascido sofre de algum transtorno que favorece o aumento da quantidade de glóbulos vermelhos “velhos” a serem substituídos. Alguns dos mais comuns são:

  • Incompatibilidade entre o grupo sanguíneo do bebê e o da mãe.
  • Problemas intestinais.
  • Infecção.
bebê dormindo

Tipos de icterícia infantil

A icterícia infantil fisiológica é comum na infância. Quase todos os recém-nascidos a têm nos primeiros dias de vida. É um estado temporário e inofensivo que na maioria das vezes desaparece por sozinho porque o fígado do bebê “aprende” a processar a bilirrubina para ser excretada nas fezes.

Há outro tipo de icterícia denominada “icterícia do leite materno” e como as demais, acontece nos primeiros dias e semanas de vida.

Nesses casos, a doença se apresenta quando alguma substância que compõe o leite materno interfere na capacidade que o corpo do bebê tem de processar e excretar o pigmento conhecido como bilirrubina. Esse tipo de icterícia, assim como a anterior, não é grave para o bebê, e costuma desaparecer poucos dias depois.

Agravamento da icterícia do recém-nascido

Os bebês prematuros são mais propensos a sofrer de icterícia que os nascidos no tempo certo

Apesar de a icterícia infantil ser uma doença diagnosticada com certa facilidade, ela pode desaparecer por si só e, quando não recebe tratamento imediato, às vezes, chega a se agravar. Isso acontece pela ação de:

  • Doenças que afetam diretamente o fígado.
  • Traumatismo durante o parto.
  • Infecções.

O tratamento para a icterícia infantil se concentra na fototerapia, nesse caso a criança fica exposta com os olhos tampados à uma luz ultravioleta na incubadora. O bebê com icterícia mais severa recebe líquidos por via intravenosa, e em determinados quadros críticos recebe transfusão de sangue.

Quando a icterícia é grave, o bebê fica cansado e não consegue se alimentar bem. Isso dificulta sua interação com o meio ao seu redor, além de atrapalhar o seu ganho de peso. Entretanto, mesmo que aconteça pouquíssimas vezes, existem complicações provocadas pela icterícia infantil que chegam ao âmbito cerebral. Entre elas devemos citar:

  • Encefalopatia bilirubínica em recém-nascidos (complicação neurológica).
  • Paralisia cerebral.
  • Surdez.
bebê mamando no peito da mãe

Cure a icterícia com o leite materno

Com frequência, a icterícia do recém-nascido desaparece poucos dias depois do seu surgimento. É o organismo do bebê que consegue regular por si só os níveis de bilirrubina no sangue. Sua alimentação, abundante e frequente, lhe permite evacuar várias vezes ao dia e excretar nas fezes a substância amarela que está presente em seu corpo.

Observe a coloração amarelada na pele do seu filho e procure o pediatra se você suspeitar que ele está sofrendo de icterícia. No entanto, antes de mais nada, dê de mamar para que ele tenha a oportunidade de vencer a doença sozinho.