Ser sensível aos sinais do seu bebê leva a um apego seguro

Se você souber reconhecer os sinais do seu bebê, estará criando um vínculo ou apego seguro. Isso é necessário para o seu desenvolvimento!
Ser sensível aos sinais do seu bebê leva a um apego seguro

Última atualização: 17 Julho, 2021

Todo pai e mãe já se viu na situação de não saber o motivo do choro do seu bebê. Nada funciona e o pequeno parece não querer parar de chorar. Não quer mamadeira, nem mamar, nem dormir e a fralda está limpa… E agora? Ser sensível aos sinais do seu bebê leva a um apego seguro.

Conforme o tempo passa, o bebê cresce e você ganha sabedoria, então ler esses sinais se torna uma tarefa mais natural. Você não desenvolveu habilidades psíquicas, e sim um sentido bem ajustado para ler os sinais do seu bebê. Não é mágica, é maternidade.

Apego seguro graças à sua sensibilidade aos sinais

De acordo com um estudo, quando você é sensível aos sinais do seu bebê, isso afeta o desenvolvimento do seu pequeno e o vínculo que terá com ele nos próximos anos. Dessa forma, você está criando uma base sólida para o crescimento e desenvolvimento neuronais.

Se o seu bebê está feliz e se sente conectado a você, isso provavelmente irá melhorar a maneira como ele se sente. De acordo com o mesmo estudo, o nível de sensibilidade dos pais aos sinais do bebê pode ser um importante indicador de apego saudável entre pais e filhos.

Mamãe com seu bebê seguindo algumas dicas de amamentação.

Em particular, os bebês formarão vínculos seguros com os pais, que serão capazes de compreender suas necessidades com frequência e exatidão. Um pai ou uma mãe que entende seu pequeno saberá o que ele prefere, se está cansado ou se algo está acontecendo. Os bebês que têm fortes laços com seus cuidadores principais serão crianças mais saudáveis e felizes no futuro.

As crianças que se sentem vinculadas com segurança são, entre outras coisas, melhores em regular suas emoções, têm maior autoestima e apresentam menos problemas emocionais e comportamentais.

É normal não entender os sinais às vezes

É normal que, em algumas ocasiões, os pais interpretem mal os sinais dos filhos, mas não tem problema. Isso pode se dever ao estresse, a uma superestimação do conjunto de habilidades da criança ou à dificuldade em acreditar que um bebê tem sentimentos negativos.

Os novos pais também podem ter problemas para entender os sinais do bebê devido à tristeza do pós-parto, às mudanças de humor durante o pós-natal, ao trauma do nascimento e à sensação de sobrecarga com a nova situação.

Alguns pequenos não são muito bons em mostrar suas próprias necessidades. Um bebê pode indicar que está com fome quando, na verdade, está se sentindo cansado. Garantir a frustração da criança se deve principalmente ao sinal confuso. Alguns novos pais podem ignorar os sinais iniciais sutis do seu bebê, como amamentar porque ele pode estar com fome.

Se você ignorar o sinal de amamentação do seu bebê, ele irá progredir para um pequeno choro. E, se você não ouvir esse chorinho, então seu filho vai começar a chorar alto. Quando chorar não funcionar, ele terá que usar um choro mais alto e desesperado.

Quando os primeiros sinais são perdidos, os sinais dos bebês se intensificam. E, se os novos pais se distraírem ou estiverem se dedicando a uma tarefa diferente, eles podem perder o sinal inicial e, assim, ficar confusos sobre a necessidade subjacente.

Melhorar a compreensão e o apego seguro

Então, como melhorar a interpretação dos pensamentos e sentimentos do seu bebê com mais frequência? O ideal é observar o seu filho com atenção sempre que estiver com ele. Muitos novos pais abordam a paternidade com a mentalidade de que devem saber tudo sobre como cuidar de seus filhos.

Pais brincando com seu bebê e fazendo-o rir para promover um apego seguro.

Mas não há como saber tudo, então esses pais estão fadados ao fracasso. Se você encarar seu bebê como um parceiro de comunicação, curiosamente, conseguirá ouvir um sinal sabendo que sua curiosidade ajudará você a encontrar a resposta. É simples assim.

E se o bebê for surdo?

Se seu bebê for surdo ou tiver perda auditiva, você pode contar com sinais não-verbais para a expressão dos seus desejos e sentimentos. Esses sinais podem incluir colocar a língua para fora e fazer outros movimentos com a boca, olhar nos olhos, sacudir a cabeça, ficar com a barriga tensa, deixar os punhos cerrados, exibir diferentes posições da cabeça e do corpo, escurecimento da pele sob as sobrancelhas e mudanças na respiração.

Os pais devem tentar observar e refletir sobre os sinais não-verbais dos seus filhos. Então, por exemplo, se o seu bebê está colocando a língua para fora, coloque a sua para fora também e depois volte-a para dentro da boca. Isso vai mostrar para ele que você entendeu que ele está se comunicando com você e que você está se comunicando de volta. Inicialmente, os bebês responderão com certa curiosidade e depois envolverão você em seu idioma. Eles se sentirão vistos, ouvidos e conectados.

Às vezes, a terapia é necessária para potencializar o apego seguro

Em casos extremos, os pesquisadores sugerem terapia familiar. Algumas situações que podem requerer aconselhamento incluem sentir-se sobrecarregado, lutar contra as condições iniciais, como conflito de relacionamento, gravidez ou parto traumático, ou dificuldade em estabelecer vínculos.

Ao frequentar uma terapia com foco no apego seguro do bebê, os pais podem mudar seu comportamento e obter uma melhor consciência e compreensão das necessidades dos filhos. A terapia psicológica também pode ajudar a fortalecer o vínculo com o bebê, bem como com você mesma, e promover um crescimento emocional e mental saudável.

Pode interessar a você...
O apego excessivo pela mãe: o que fazer?
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
O apego excessivo pela mãe: o que fazer?

O apego excessivo pela mãe é mais do que comum, mas você deve agir de tal maneira que a criança "aceite" ficar com outras pessoas.