11 sinais de altas capacidades em bebês

Às vezes, as altas capacidades nos intelectuais são confundidas com transtorno de atenção e hiperatividade. Mas isso é possível em bebês?
11 sinais de altas capacidades em bebês

Última atualização: 11 maio, 2022

Comportamentos que não se sabe como interpretar: distração, dificuldade de concentração, tédio? Diagnósticos confusos: transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) ou uma criança com altas capacidades intelectuais? O resultado é sempre o mesmo: pais que não sabem o que há de errado com seu filho ou como ajudá-lo.

Para encontrar essa resposta, é necessário buscar a orientação e a avaliação de um profissional. No entanto, hoje vamos dizer quais são os sinais que explicam as altas capacidades intelectuais nos pequenos.

O que são altas capacidades?

Bebê superdotado ou altas capacidades?
ACIs envolvem talentos inatos, superdotação e genialidade.

Historicamente, a definição de inteligência tende a ser bastante complexa. Ainda mais quando nos referimos a um fenômeno tão específico como o das altas habilidades intelectuais (ACI).

O caso das ACIs define uma inteligência acima da média (aproximadamente 10%), em um ou mais domínios ou habilidades.

Especialistas na área definem domínios como atividades estruturadas (como matemática) ou habilidades sensório-motoras (como pintura ou esportes). Nesse sentido, cabe esclarecer que as ACIs não implicam necessariamente um bom desempenho acadêmico.

A importância do diagnóstico precoce dessa condição está na possibilidade de orientar estratégias de ensino e acompanhamento da parentalidade de acordo com as demandas dessas crianças. Caso contrário, a situação pode acabar sobrecarregando qualquer pessoa e causar enorme frustração e angústia para o bebê e sua família.

Por isso, conhecer e entender o que acontece com essas crianças ajuda a recuperar o equilíbrio e a tranquilidade necessários para desfrutar de uma vida plena.

11 sinais de altas capacidades em bebês e crianças

Podemos resumir que crianças com altas capacidades são caracterizadas por atingirem seus marcos evolutivos mais cedo do que seus pares. No entanto, o diagnóstico preciso dessa condição requer a realização de diferentes estudos.

Alguns dos indicadores que nos permitem perceber que uma criança tem ACIs são os seguintes:

  1. São bebês e crianças que têm dificuldade para dormir. Parecem não precisar, pois nunca se cansam.
  2. Nada parece ser suficiente para eles. Elas precisam se mover, explorar, navegar, perguntar. Estão sempre ativas.
  3. Já nos primeiros meses, seu olhar é atento, penetrante, parecem absortos no que veem.
  4. Ficam facilmente excitadas e ativadas por brinquedos no berço ou no carro.
  5. São capazes de se lembrar de lugares, pessoas e sons específicos.
  6. Aprendem palavras desde cedo, o que também facilita a aquisição de habilidades de escrita e leitura. Por exemplo, depois de um ano já conseguem manter uma conversa e, quando entram na escola, estão à frente de seus colegas e muitas até sabem ler e escrever.
  7. Elas se interessam por letras e números desde muito jovens. Mesmo esse aprendizado pode ser autodidata.
  8. Quanto às habilidades sociais, em alguns casos são capazes de se comportar como líderes. Mas em outros, tendem a se isolar, pois a maturidade emocional não necessariamente se desenvolve junto com a maturidade cognitiva.
  9. São bebês inquietos, que aprendem rapidamente a engatinhar e andar e mostram habilidades motoras precoces.
  10. Geralmente são muito sensíveis a cheiros, ruídos e gostos. Também são muito emocionais. Eles se interessam por questões sociais, filosóficas e complexas desde muito cedo.
  11. Tendem a trabalhar por conta própria, sem muita ajuda dos adultos. Para eles, os problemas muitas vezes representam novos desafios.
Para as crianças com ACIs, nada parece ser suficiente e os problemas são um novo desafio.

O que fazer diante dos sinais de altas capacidades em bebês

Quando nos tornamos pais, nos deparamos com situações desafiadoras, sobre as quais nem sempre conhecemos muito. E até mesmo situações que nem sempre ocorrem em todas as famílias e sobre as quais não podemos pedir conselhos.

Quando seu filho parece “sem fim” e não se contenta com nada, a angústia não tarda a chegar. No início, muitas pessoas vão acreditar que é um capricho ou que a criança é muito exigente. Com o tempo e com a consulta dos diferentes especialistas, chegará o diagnóstico de TDAH. Serão iniciados vários tratamentos, às vezes medicamentos, e ainda assim as mudanças não se moverão na direção desejada.

Por isso, é importante que, em caso de dúvida, os pais realizem uma interconsulta até que consigam encontrar a resposta adequada que explique o que observam em casa. Os pais são os que melhor podem orientar os profissionais sobre o que veem e vivenciam diariamente. Dessa forma, será mais fácil entender e construir o caso.

Por que é valioso ter um determinado diagnóstico? Porque isso permite prestar cuidados adequados, bem como acompanhar e apoiar melhor as crianças e suas famílias.

Um diagnóstico relevante evita a frustração, o desconforto e o tédio dos bebês. Permite adaptar estratégias educativas, acompanhando o seu percurso escolar. Além disso, evita transformar todo o potencial que essas crianças têm em um problema. Em suma, o diagnóstico as ajuda a desfrutar de uma vida plena, tal como merecem.

This might interest you...
Como funciona o cérebro das crianças com TDAH?
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
Como funciona o cérebro das crianças com TDAH?

Neste artigo, nós convidamos você a descobrir como funciona o cérebro das crianças com TDAH, um distúrbio neuropsiquiátrico comum.