Sou padrinho de batismo!

07 Junho, 2018
Muitas vezes as pessoas não conseguem reconhecer o compromisso real de serem padrinhos de batismo. Significa ser um amigo, modelo e confidente para os afilhados, bem como um conselheiro especial para os pais.

Uma das maiores expectativas dos amigos íntimos ou parentes de pais recentes é ser padrinho de batismo; é uma alegria para a vida que somente os mais amados têm o privilégio de desfrutar.

Em muitos casos, a partir do momento em que os pais sabem que vão ter um bebê, começam a procurar os padrinhos de batismo. Normalmente, a escolha do padrinho fica por conta do pai e a da madrinha pela mãe.

Os pais são os responsáveis ​​por tomar essa decisão; eles devem escolher quem será essa pessoa que os ajudará a apresentar seu bebê para a vida cristã.

Além disso, diz-se que o padrinho e a madrinha são aqueles que tomariam o lugar dos pais se estes chegarem a faltar. Este compromisso tão importante é de tempo indefinido; portanto, muitas vezes é difícil encontrar as pessoas certas.

Qual é a função do padrinho de batismo?

O padrinho de batismo é geralmente a pessoa que cuidará do bebê, caso algum incidente aconteça pais. Em alguns casos dolorosos, é assim que acontece.

No entanto, a realidade vai além disso. O padrinho de batismo é aquele que tem o dever de garantir a educação católica do seu afilhado. Ele tem que levá-lo no caminho do bem, sempre dando o exemplo.

Além disso, o padrinho do batismo deve ser aquele que deseja fazer parte da vida da criança; deve ajudá-la a alcançar seus objetivos, celebrar suas conquistas e acompanhar os pais em momentos decisivos.

Nem sempre é necessário que o padrinho seja um familiar, já que essa pessoa também fará parte da família. Deve ser uma pessoa firme de pensamento, responsável por suas ações e que esteja interessada em encaminhar a criança para uma vida cristã.

Então, os padrinhos do batismo, junto com os pais, devem apoiar a educação de seus afilhados na fé e contribuir de maneira efetiva no desenvolvimento de toda a sua vida.

Por recair tal responsabilidade sobre seus ombros, é importante não ter medo. O padrinho deve estar confiante e se sentir seguro sobre o papel que representará; dessa maneira, o fará da melhor maneira possível e poderá acompanhar seu afilhado no caminho correto.

A Igreja recomenda que os padrinhos de batismo deem o exemplo de viver como bons cristãos e participar de missas regularmente. Eles também devem lembrar seus afilhados da oração diária e lhes dar presentes religiosos, como uma Bíblia ou um rosário.

Requisitos para ser um padrinho de batismo

A Igreja Católica solicita como primeiro requisito que a pessoa escolhida como padrinho tenha mais de dezoito anos de idade. Isso irá garantir que tenha maturidade suficiente para cumprir essa função. No entanto, algumas exceções são conhecidas.

Da mesma forma, a pessoa deve ser católica, ter recebido a Primeira Comunhão, ter feito a Confirmação e levar uma vida de fé. Seria muito difícil ensinar para uma criança um caminho que se desconhece.

Não é permitido que os pais batizem seus filhos; e muito menos uma pessoa canonicamente penalizada. Devem acreditar em Deus e não pertencer a nenhuma seita ou outra denominação religiosa.

“O padrinho deve ser uma pessoa firme de pensamento, responsável por suas ações e que esteja interessada em encaminhar a criança para uma vida cristã”

Há a exceção de que o padre permite que o padrinho de batismo seja seu irmão mais velho, com menos de quinze anos de idade. É necessário que tenha feito a Primeira Comunhão ou esteja se preparando para isso.

Isso muitas vezes é positivo, uma vez que vivem sob o mesmo teto e estão mais envolvidos. Quando o momento da Confirmação da criança chega, os padrinhos de batismo podem ser mantidos ou alterados.

Estratégias para os padrinhos de batismo

Existem algumas estratégias ou atividades que podem ajudar o padrinho de batismo a desempenhar seu papel de maneira satisfatória.

Primeiro, podem ser estabelecidas boas tradições, como recompensar por uma boa nota, sair para jantar no aniversário, ir ao parque ou caminhar.

Além disso, no batismo, o padrinho pode escrever uma carta ao seu afilhado confirmando seu apoio incondicional a ele e seus pais. Nela também deve aceitar tão honrosa responsabilidade e recebê-la de mãos abertas.

As visitas do padrinho deverão ser, em geral, focadas em seu afilhado. Para que ele se sinta importante e apoiado não só materialmente, mas também pessoalmente.

O importante é realmente realizar esta árdua tarefa com a vontade de fazê-la bem, amando e apoiando o afilhado em todos os seus momentos, bons e ruins. O padrinho deve fazer parte da família e estar envolvido na criação do afilhado.

  • Ambrosetti, J. B. (1894). Materiales para el estudio del Folk-Lore Misionero. Revista del Jardin zoologico.
  • Murillo, P. (2019, agosto 30). Hermanos mayores: entre las risas y el ejemplo. Recuperado mayo de 2020, de https://lamenteesmaravillosa.com/hermanos-mayores-entre-las-risas-y-el-ejemplo/