Supervalorizar as crianças pode torná-las narcisistas

· 11 de dezembro de 2018
Existem diferenças importantes entre criar um filho narcisista e educar um filho com alta autoestima.

Existem pesquisas que afirmam que o início do narcisismo é social e se deve, sobretudo, à supervalorização paterna e não à falta de carinho. A autoestima, por sua vez, é definida pelo carinho dos pais e não por supervalorizar os filhos.

Um recente estudo, publicado no Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America, nos Estados Unidos, explica que os comportamentos narcisistas são mais frequentes em crianças que interiorizam a valorização inflada sobre elas. 

Essa valorização é construída graças aos seus progenitores, que tendem a supervalorizar os seus pequenos. Uma criança ou uma pessoa narcisista é alguém que se admira em excesso e de forma exagerada devido ao seu aspecto físico ou pelos seus dotes ou qualidades.

Geralmente, ao saberem dessa informação, os pais se perguntam como elogiar sem correr o risco de supervalorizar os seus filhos e torná-los narcisistas ao longo do tempo.

Infelizmente, este é um comportamento cada vez mais comum no mundo ocidental e que, inclusive, pode levar a criança a desenvolver comportamentos violentos e agressivos.

Expresse o seu afeto sem supervalorizar

O ideal, como pais, é expressar afeto e carinho por seus filhos sempre enfatizando que eles não são superiores a ninguém ou que têm certos privilégios sobre os outros por serem mais inteligentes ou bonitos.

Embora todos os pais do mundo pensem que os seus filhos sejam especiais – e de fato eles são -, é importante fazer com que tenham consciência das suas qualidades de maneira equilibrada com o objetivo de ajudá-los a construir uma personalidade saudável.

supervalorizar

Quando supervalorizamos os nossos filhos, segundo especialistas em psicologia, não estamos ajudando em nada, pois isso gera nas crianças uma falsa imagem de si mesmas que depende do reconhecimento externo.

Além disso, quando fazemos esse tipo de comentário de uma maneira sutil e sem más-intenções, estamos sugerindo que elas devem se encaixar em uma determinada imagem, a imagem que interiorizam que temos delas.

Deixe o seu ego de lado todas as manhãs e simplesmente faça um grande trabalho. Poucas coisas te farão se sentir melhor do que um trabalho bem feito.

-Robin S. Sharma-

Supervalorização e autoestima

E segundo afirma Olga Carmona, especialista em psicoterapia breve e em psicopatologia da infância e da adolescência, em um artigo do jornal “El País”, da Espanha, se os pais de uma criança constantemente dizem o quanto ela é inteligente, a única coisa que a criança irá interiorizar é que a inteligência deve ser muito valorizada.

Além disso, irá pensar que o seu carinho por ela irá depender de que ela seja aquilo que para os pais é tão importante.

Por isso, o que a maioria dos pais deve evitar é supervalorizar os filhos, já que agir dessa forma contribui na formação de uma autoestima frágil. 

Ela é baseada nas opiniões que outras pessoas têm das crianças e não sobre o reconhecimento que a criança tem sobre as suas verdadeiras capacidades.

Quando isso acontece, a criança se torna um adulto dependente – talvez durante toda a sua vida- do reconhecimento externo para se sentir bem consigo mesma.

Evite fazer com que os seus filhos se tornem narcisistas

supervalorizar

Uma pessoa narcisista costuma ser profundamente insegura. Essa pessoa diz que se orgulha de um suposto amor-próprio, mas se sente obrigada a se vangloriar a todo o momento para compensar sua insegurança íntima.

Esse tipo de comportamento ou de personalidade pode ser evitada se você modificar a forma como elogia os seus filhos.

Na verdade, os autores do estudo sobre as crianças narcisistas oferecem uma série de conselhos para os pais, que servem para evitar que fomentem a construção de personalidade tão prejudicial para os indivíduos e para a sociedade em geral.

Alguns conselhos

  • Evite dizer ao seu filho que ele é mais especial que as outras pessoas.
  • Lembre-se de que as crianças sempre acreditam naquilo que seu pais dizem.
  • Expresse o seu carinho pelos seus filhos de todas as formas possíveis. Isso é sempre positivo e reforça a autoestima.
  • No entanto, tenha cuidado na hora de fazer comparações e supervalorizá-los.

Os especialistas também explicam que a supervalorização das crianças não é a única causa do narcisismo, que também se deve a fatores genéticos e outros fatores ambientais.

Eles afirmam que algumas crianças podem ser mais propensas do que outras a serem narcisistas quando seus pais as supervalorizam.

Por fim, eles reforçam as diferenças de pensamento entre as crianças com autoestima e as narcisistas.

Os primeiros pensam que são tão bons quanto os outros, enquanto os narcisistas acreditam que são melhores que os outros. Isso muitas vezes acontece porque seus pais as fazem acreditar nisso.