3 passos para parar de gritar com seus filhos

Algumas pessoas fazem uma promessa quando são crianças: nunca serão como seu pai ou sua mãe. Há situações, como os gritos constantes, que fazem com que essa ideia passe pela mente.

Se nesse momento você estiver lendo este artigo porque deseja parar de gritar com seus filhos, talvez signifique que com o passar dos anos você tenha seguido o padrão do qual tanto queria fugir.

Não se sinta mal. Você ficaria assustada com a quantidade de pessoas que, sem perceber, está maltratando os filhos. Elas se preocupam com o bem-estar dos pequenos, mas se esquecem dos sentimentos deles. É nesse momento que começam os gritos e a luta pelo poder com as crianças.

Estes são os passos que vão ajudar você a parar de gritar com seus filhos:

Passo 1. Autoavaliação

Nossa mente está cheia de emoções que vão e vêm como resposta do que sentimos e experimentamos. Alguns pais ficam bravos facilmente, outros são muito receosos. Isso vai depender da sua personalidade e de toda a carga emocional que você adquiriu na sua vida. Cada emoção é produto das feridas, das decepções e das lutas que acontecem na nossa vida.

parar de gritar

Para parar de gritar com seus filhos, a primeira coisa que você deve fazer é identificar o que desencadeia sua raiva. Talvez você esteja refletindo alguma vivência que tem com eles. Mas você deve se lembrar de que seus filhos não têm culpa. Moldar neles seus medos, raivas e frustrações é o principal problema. Em vez disso, tente manter a calma e falar amavelmente com seus filhos.

Passo 2. Aplique a lógica às emoções

Na maioria das vezes, você não grita com seus filhos porque eles realmente fizeram algo de errado. Você grita por fatores alheios a eles. A boa notícia é que uma vez identificados esses fatores, trabalhar para controlá-los é mais fácil.

Isso tem mais sentido do que você pensa. O que acontece com as suas emoções vai fazer com que você recorra à lógica ou não. Imagine que seu cérebro tem duas divisões importantes, uma em cima e outra embaixo.

A divisão de cima é controlada pela lógica e se encarrega da informação prática. A divisão de baixo é a das emoções e se encarrega de receber e processar seus sentimentos.

Quando as coisas estão calmas na divisão de baixo , os trabalhos da divisão de cima também ficam calmos. Ou seja, se as emoções estão sob controle, a lógica também estará.

Mas se a divisão de baixo se altera, os alarmes soam. A parte lógica se desestabiliza e as coisas começam a se desestruturar em uma tentativa desesperada de apagar as chamas. É nesse momento em que você começa a se deixar levar pelas emoções. Assim, você passa a não pensar e começa a agredir verbalmente seus filhos.

Se você decide parar de gritar com seus filhos, não vai precisar reparar nenhum dano no futuro. Mas se você parar muito tarde, alguém vai sair ferido. Provavelmente serão seus filhos.

Passo 3. Aprenda a se controlar

Nesse ponto, você deve trabalhar para que seu lado racional domine as emoções puras. Isso só se consegue por meio da prática. Mas você deve saber que as emoções mais comuns que fazem com que você grite com seus filhos são:

parar de gritar

Seu trabalho como mãe será aprender a dominar os momentos em que explode. Algumas estratégias boas são:

  • Ler sobre os fatores que fazem com que você perca o controle e aprender a lidar com eles.
  • Tentar evitar as situações que fazem com que você grite com seus filhos. Não se trata de se esquivar dos problemas, mas de tomar um tempo para respirar e retomar o controle e a calma.
  • Conversar com seus filhos e explicar o que deixa você incomodada e o porquê. Essa é a solução mais simples. Se você se incomoda muito que seu filho não se importa quando vocês conversam, você acaba pensando que é de má vontade. Após explicar ao seu filho exatamente o que te incomoda, talvez você veja uma mudança na atitude dele.
  • Demonstrar com o exemplo. Dizem que as ações falam mais alto que as palavras. Assim, seus filhos vão responder de acordo com a forma que você os tratar. Você não quer ser ignorada pelos seus filhos? Então, não os ignore.

O passo mais importante para parar de gritar com seus filhos é desenvolver e manter a comunicação.

Recomendados para você