3 problemas de autoestima em crianças

4 de fevereiro de 2019
Os problemas de autoestima nas crianças podem deixar marcas que as acompanharão até a idade adulta. Conhecer os fatores que influenciam essa questão, sem dúvida, ajudará os pais a agir na hora certa e evitar consequências emocionais.

Os pais devem acompanhar de perto os problemas de autoestima em crianças pois a imagem que projetam à medida que crescem depende disso. A melhor maneira de determinar se a criança apresenta esse tipo de transtorno é monitorar o seu comportamento.

O que é a autoestima?

A autoestima é entendida como a consciência do valor próprio de uma pessoa. Portanto, é uma parte essencial na educação da criança.

Por meio dela, a aceitação é alcançada e o amor-próprio é direcionado para relacionamentos pessoais saudáveis. Em outras palavras, é a relação entre o modo de ser da criança e o seu entorno.

Importância da autoestima saudável na criança

Uma autoestima saudável é importante em qualquer idade. No entanto, é um aspecto que marca o desenvolvimento saudável particularmente nas crianças.

Além disso, estimula os processos de aprendizagem e promove boas relações com as pessoas ao seu redor, permitindo alcançar a felicidade. Assim, uma criança com autoestima estável é segura de si e se sente valorizada e parte ativa da sociedade.

Por outro lado, uma criança com autoestima baixa pode se tornar um indivíduo crítico e tímido. Infelizmente, essas atitudes podem levar ao desenvolvimento da agressividade que, por sua vez, dificulta a adaptação ao contexto em que se desenvolve.

3 problemas frequentes de autoestima em crianças

A concepção que cada pessoa tem sobre si mesma pode acomodar os problemas de autoestima em crianças. Ao ser um estado variável e influenciado por fatores externos, a oscilação na autoestima provoca mudanças no comportamento dignos de observação.

Com relação a isso, os especialistas apontam pelo menos três problemas de autoestima nas crianças, que podem ser:

1. Autoestima inflada

Também é conhecida como falsa autoestima, e não é saudável para quem a possui. Nas crianças, é identificada quando tendem a ser arrogantes e exigir coisas porque acham que estão certas.

Além disso, elas sentem a necessidade de demonstrar as conquistas e qualidades para todas as pessoas para obter reconhecimento.

Surpreendentemente, o excesso de confiança é também um dos problemas mais frequentes de autoestima em crianças.

Geralmente, essa condição aparece quando a criança não recebe atenção, admiração e carinho suficiente de seus pais.

De maneira inconsciente, essa necessidade a leva a exagerar sua imagem para ser aceita e receber atenção do ambiente em que vive. Além disso, também pode ocorrer quando não há limites na educação. Nesse caso, ela pode acreditar que está sempre certa ou que é admirada em excesso

“Nas crianças, uma autoestima saudável estimula os processos de aprendizagem, que promove boas relações com as pessoas ao seu redor e permite alcançar a felicidade”

2. Autoestima baixa e constante em crianças

Esse é um dos problemas de autoestima nas crianças que os pais mais enfrentam. Essas crianças são caracterizadas por serem indivíduos que se minimizam em qualquer circunstância, sem conseguir responder a estímulos positivos ou negativos.

Em geral, elas tendem a ser indecisas, têm grande medo do ridículo, do fracasso e não defendem o que pensam. Esse problema pode aparecer quando elas são afetadas pelas demandas da sociedade e até mesmo dos pais.

Então, incapaz de viver de acordo com o que é exigido, elas param de tentar. Com o passar do tempo, essas crianças se tornam indivíduos pessimistas e negativos.

problemas de autoestima em crianças

3. Autoestima baixa e instável

Esse tipo de autoestima é significativamente influenciado pelos estímulos do mundo exterior. Diante de eventos positivos, atinge altos níveis, mas volta a cair com o passar do tempo.

Na verdade, esse tipo é difícil detectar nas crianças por elas serem naturalmente instáveis. No entanto, alguns dos sinais desse problema são crianças que:

  • Geralmente são calmas, mas se irritam diante de críticas construtivas.
  • Ficam ansiosas diante de eventos que exigem responsabilidade, por exemplo, uma tarefa escolar.
    • Isso ocorre porque acreditam que não vão conseguir realizar a atividade corretamente.
  • Temem a realização.
  • Mentem, enganam, tornam-se agressivas ou muito tímidas.

Geralmente, esse problema surge quando a criança é exposta a comparações por parte dos pais ou professores. Também ocorre quando enfrentam bullying ou passam por um episódio que causa comoção, como a chegada de um irmãozinho.

Em resumo, conhecer os problemas de autoestima em crianças pode ajudar os pais a agirem a tempo. O apoio da família é essencial para superar os obstáculos que surgem nessa idade. Sem dúvida, o amor, o carinho e a compreensão marcarão a diferença na autoestima dos pequenos.

  • Harter, S. (1993). Causes and Consequences of Low Self-Esteem in Children and Adolescents. In Self-Esteem. https://doi.org/10.1007/978-1-4684-8956-9_5