4 atividades para crianças com dislexia

4 de março de 2018
Uma criança que sofre de dislexia não apresenta somente problemas na sua capacidade de ler, mas também complicações em outras áreas, por exemplo, educacionais ou sociais.

A dislexia é um distúrbio de aprendizagem que é detectado aos cinco ou seis anos de idade. Afeta principalmente a capacidade de leitura da criança, mas pode se estender para outras habilidades. Com um bom tratamento pode desaparecer quase completamente após algum tempo. A seguir, traremos algumas atividades para crianças com dislexia.

A dislexia, que pode afetar a criança em suas habilidades e desempenho escolar, não tem uma cura definitiva. Mas não é algo impossível de superar, pelo menos em partes. Com uma série de exercícios por um determinado período de tempo necessário, os sintomas podem desaparecer, mesmo que parcialmente.

Esta condição tem origem neurobiológica. A área onde a dislexia se manifesta mais claramente é a leitura, uma vez que a criança se mostra incapaz de reconhecer as letras. Também não consegue decodificar seus sons, memorizá-las e muito menos juntá-las para formar palavras.

Isso significa que, ao provocar dificuldade para interpretar símbolos, é um distúrbio que pode se manifestar em outras áreas. Por exemplo na matemática, já que é uma atividade que requer a decodificação de números e símbolos.

Como a dislexia afeta as crianças?

A consequência mais evidente desse distúrbio da linguagem é observada no desempenho escolar. De modo geral, as crianças com dislexia não costumam alcançar os níveis exigidos nas escolas para crianças de sua idade. No entanto, elas recebem algumas concessões que consideram suas dificuldades. Além disso, é possível superar essa dificuldade por meio de determinadas atividades para crianças com dislexia que podem ser feitas em sala de aula.

“A área em que a dislexia se manifesta mais claramente é na leitura”

Por outro lado e ligado ao ponto anterior, também gera problemas na vida social. Isso acontece porque a criança passa por uma perda de confiança que a inibe e dificulta sua relação com colegas, amigos e docentes.

Em último lugar, além de não ter nada a ver com a inteligência e a capacidade cognitiva da criança, a dislexia é um distúrbio que prejudica a autoconfiança. Isso faz sentido, já que a criança se sente inferior em relação às realizações e conquistas de seus colegas.

memorizar palavras escritas

É importante que, junto com o tratamento, os pais não permitam que a criança abandone suas atividades ou se sinta desmotivada a começar novos projetos. Com o tempo, a criança vai superar esse distúrbio e poderá continuar com a sua vida normalmente.

4 atividades para crianças com dislexia

A seguir, trazemos uma lista com atividades simples que ajudam as crianças com dislexia a progredir no tratamento.

1.- Consciência fonológica

É conhecida como a melhor atividade para crianças com dislexia. Consiste em desenvolver a habilidade de manipular mentalmente os sons da língua.

É formada por uma série de atividades em que a parte escrita fica em segundo plano e somente os fonemas são examinados. Por exemplo: decidir se uma palavra tem determinado som, separar em sílabas ou substituir um fonema por outro.

“É importante que, junto com o tratamento, os pais não permitam que a criança abandone suas atividades”

2.- Procurar letras ou palavras escritas

Em revistas ou jornais, peça para a criança procurar e contar uma determinada letra ou palavra que se repete. Isso possibilitará que ela diferencie e memorize melhor cada uma delas.

Também é possível complementar esse jogo com outros exercícios, como também pronunciar o som ou praticá-lo dentro de uma competição. Nestes casos, é recomendável deixar que a criança “ganhe”, para que tenha mais autoconfiança enquanto aprende.

jogos para ajudar crianças com dislexia

3.- Jogos com palavras

Pode-se realizar de diferentes formas. Antes, você pode escrever duas palavras parecidas que só se diferenciam por uma letra. Exemplo: bola/bota. Em seguida, peça para que a criança encontre a diferença oral e a escrita.

Outra alternativa é pedir para a criança substituir uma letra para formar outra palavra. Assim, ainda que a palavra formada não esteja correta, ela poderá diferenciar como os sons e as palavras são formados.

4.- Jogos de tabuleiro ou de revistas

As clássicas palavras-cruzadas, os caça-palavras ou o famoso “jogo da forca” podem ajudar muito a melhorar a identificação dos fonemas.

De fato, propor também o aspecto lúdico (sempre acompanhado) nas atividades para crianças com dislexia fará com que elas se esqueçam por alguns momentos de que estão fazendo uma “atividade” para melhorar sua dificuldade linguística.

O acompanhamento médico não pode faltar

Sempre devemos ter em mente, além do grande benefício dessas atividades para crianças com dislexia, que o tratamento ideal é o indicado pelo fonoaudiólogo.

Além destas sessões e exercícios que são feitos em casa, a dislexia também pode ser tratada em sala de aula. Os professores podem conversar com o especialista responsável pelo atendimento da criança para receber instruções específicas. A abordagem interdisciplinar é sempre vantajosa. Sem dúvidas, os resultados devem aparecer em pouco tempo se o processo for aplicado corretamente.