4 estratégias para ensinar as crianças a se amarem mais

· 4 de fevereiro de 2019
Através de algumas estratégias simples, é possível produzir um sentimento positivo nas crianças em relação si mesmas. Esse elemento é fundamental para o seu desenvolvimento emocional. Portanto, não hesite em aplicar em sua vida diária.

É necessário ensinar as crianças a se amarem para que se tornem adultos saudáveis e com uma boa autoestima. Embora seja natural para muitas pessoas, para outras é um pouco mais difícil, especialmente na infância. Uma condição indispensável para seguir essas estratégias é estar bem consigo mesmo.

A frase “ame-se mais” pode parecer um pouco ampla. Talvez até pareça algo que não precisa ser esclarecido, já que, em teoria, todo mundo gosta de si mesmo. No entanto, é muito benéfico ajudar as crianças a cultivarem o amor-próprio de maneira saudável.

A apreciação pessoal e a percepção de suas habilidades geram um sentimento chamado autoestima. Esse é um fator chave para o desenvolvimento saudável e feliz de uma criança. Em seguida, vamos nos concentrar em sua relevância e os métodos para melhorar tudo isso.

Problemas de crianças com baixa autoestima

Existem certos comportamentos que podem indicar que algo não está certo em relação à autoestima da criança. Felizmente, todos eles podem ser evitados ou melhorados conforme o caso.

Veja como identificar esses comportamentos:

  • A criança fica triste frequentemente sem motivo aparente.
  • Ela se recusa a fazer atividades por conta própria.
  • Não tem interesse em passar um tempo com os amigos.
  • Não se abre, nem se expressa com a sua família.
  • Ela é incapaz de se relacionar com pessoas que não conhece.
Hábitos familiares negativos podem ter consequências muito ruins para a autoestima das crianças.

4 estratégias para ensinar as crianças a se amarem mais

Como mãe, é preciso estar ciente do que fazer ou não para ensinar as crianças a se amarem mais. Anote as seguintes estratégias e certifique-se de aplicá-las na vida cotidiana.

1. Dedique tempo

Nesse primeiro ponto, vamos nos concentrar em uma regra fundamental da criação. Os pais devem dedicar tempo de qualidade aos filhos. Isso fará com que eles se sintam valorizados, ouvidos e entendidos. Assim, vão se sentir importantes para os pais.

É essencial que você pare o que estiver fazendo quando seus filhos realmente precisarem de você. Essa é a melhor maneira de mostrar que os problemas deles têm valor, que você os considera relevantes e que está disposta a procurar uma solução junto com eles.

Além disso, você pode aproveitar esse vínculo de união para transmitir valores, ensinamentos e reconhecer e aceitar os pontos fortes e fracos das crianças. Essa é uma forma muito eficaz de ensinar os pequenos a se amarem mais.

Para ser amado, é necessário conhecer-se a fundo e aceitar-se com todos os seus defeitos.

2. Trate os sucessos e fracassos adequadamente

A infância é uma etapa cheia de aprendizado constante. É lógico, portanto, que existam erros. No entanto, a questão aqui é como lidar com eles.

Longe de questionar as ações ou até mesmo as capacidades das crianças, é preciso mostrar que é sempre possível tirar algo positivo de cada dificuldade.

Além de promover a importância da resiliência, é preciso agir adequadamente quando os pequenos alcançarem seus objetivos. Reconheça as suas conquistas, parabenize pelos sucessos e esforços e, fundamentalmente, nunca compare com o que os irmãos ou amigos fizeram.

Dessa forma, os seus filhos perceberão que você está interessada em seu desenvolvimento e perceberá que você está lá para guiá-los e ajudá-los quando eles precisarem.

Mas lembre-se: isso não significa impedir de cometer erros ou simplesmente oferecer soluções, e sim fazer o oposto.

“Longe de questionar as suas ações ou até mesmo suas capacidades, mostre aos filhos que sempre é possível tirar algo positivo de cada dificuldade”

3. Ensine a interpretar as emoções

A chamada inteligência emocional é um aspecto fundamental no processo de maturidade que ocorre na infância. É em situações mais desafiadoras que as crianças devem ser ensinadas a interpretar os seus sentimentos e, principalmente, a reagir adequadamente.

É essencial ouvir os filhos e mostrar que o que eles sentem é normal. Eles não devem se sentir mal por ter medo, nem se sentir ansiosos ou preocupados com alguma coisa. Obviamente, muito menos por estar triste. Todas essas emoções são totalmente naturais e todos nós as sentimos.

ensinar as crianças a se amarem

4. Seja um exemplo e corrija construtivamente

As crianças aprendem tudo com os mais velhos, mesmo quando você não está ensinando nada de especial.

Portanto, é preciso incentivar, através das atitudes, os conceitos de assumir riscos positivos, de enfrentar responsabilidades e, acima de tudo, de ser respeitoso, amoroso e compreensivo com os demais.

Por sua vez, se você perceber um erro ou um comportamento inadequado, não ataque a autoestima do seu filho. Para ensinar as crianças a se amarem mais, é necessário trabalhar as ações e não suas capacidades.

Assim, por exemplo, em vez de dizer: “Você é ruim em matemática, você não aprende”, é melhor expressar “Preste mais atenção nas operações, se concentre e pratique para conseguir resolver”.

Esse tipo de atitude pode parecer insignificante, mas realmente faz a diferença entre educar uma criança segura de si mesma e uma criança com baixa autoestima.

Por fim, não se esqueça das ações “menores”, mas de grande importância. Procure tentar estabelecer limites saudáveis e sempre tratar o pequeno de maneira afetuosa. Dessa maneira, você vai conseguir ensinar as crianças a se amarem mais. Isso vai ter resultados fenomenais que elas levarão para a vida toda.

  • Harter, S. (1993). Causes and Consequences of Low Self-Esteem in Children and Adolescents. In Self-Esteem. https://doi.org/10.1007/978-1-4684-8956-9_5