4 sinais de carência afetiva em crianças

25 de abril de 2018
Abraçar, beijar, aconselhar e proteger são ações que as crianças precisam receber de seus pais. Não se trata apenas de dependência ou capricho: há razões muito importantes para realizá-las.

As crianças são pessoas em pleno processo de formação. Portanto, elas absorvem exponencialmente o que recebem do ambiente, tanto as coisas boas quanto as ruins. Assim como os bons exemplos podem causar uma profunda impressão nesta etapa da vida, a carência afetiva nas crianças pode ter consequências graves para o seu bem-estar.

Durante a infância, dependem em grande parte dos pais ou responsáveis. Não apenas do ponto de vista econômico, pela incapacidade de se obter bens materiais ou educacionais para receber aprendizado específico, mas também do ponto de vista emocional e psicológico.

Nesse sentido, fornecer amor, carinho, proteção e compreensão é uma das melhores ações que os adultos podem fazer por uma criança. Isso lhe permitirá crescer em um ambiente saudável e desenvolver valores e habilidades sociais que imitam o bem que lhes oferecem.

No entanto, isso muitas vezes não acontece. É aí que aparecem as consequências negativas da privação afetiva nas crianças, com influência direta em suas atitudes, comportamentos e interpretações dos acontecimentos de suas vidas.

O que chamamos de carência afetiva?

A carência afetiva em crianças ocorre quando suas necessidades inatas de se sentirem protegidas, valorizadas e amadas não são satisfeitas. Nessa idade, a necessidade de receber afeto, gestos de amor e cuidados constantes é muito mais forte do que durante a adolescência ou na idade adulta, quando a pessoa já possui outros mecanismos para enfrentar o mundo.

Essa deficiência de afeto e apego não ocorre apenas quando um ou vários membros da família exercem violência sobre os outros. De fato, ocorre em situações que vemos hoje como normais e que acontecem diariamente. Entre elas podemos citar a falta de comunicação, as longas ausências devido ao trabalho ou o abandono por parte dos pais.

Muito tem a ver com o estilo de vida que predomina na sociedade atual. Não é estranho ver os pais correndo para lá e para cá, sempre com o celular nas mãos e pensando em todos os problemas do trabalho. E as crianças? Com sorte, elas estarão correndo atrás, implorando por alguma atenção.

5 sinais de carência afetiva em crianças

1.- Vazio emocional

Pode ocorrer durante a infância ou até mais tarde. É descrito como uma sensação de necessidade constante, não importa o que se obtenha ou as realizações do indivíduo.

A fundo, esse sentimento de solidão, desconforto ou angústia pode estar ligado à desconexão com as figuras de apego em um estágio inicial da vida.

2.- Relacionamento ruim com as figuras de apego e outras pessoas

As crianças que não crescem com a proteção necessária têm dificuldades em cultivar relacionamentos saudáveis ​​com os outros. Isso pode se traduzir em rejeição, raiva ou desconfiança para com as figuras de apego. Podem até manifestar ódio e ressentimento.

Para o restante das pessoas, no entanto, podem ser gerados casos de dependência, devido à necessidade imperativa de receber atenção exclusiva de alguém. Esse mesmo motivo pode causar ciúmes ou insatisfação pela interação recebida.

“Fornecer amor, carinho, proteção e compreensão é uma das melhores ações que os adultos podem fazer por uma criança”

3.- Mau comportamento

Os comportamentos inadequados resultam da necessidade de receber essa atenção que lhes foi negada em épocas anteriores. Se formos a um lugar público e olharmos ao redor, veremos que há muitos casos em que crianças correm, gritam e empurram seus pais para que estes olhem ou falem com elas. Se elas não atingirem o objetivo, a intensidade dessas cenas vai aumentar.

Os sinais típicos desse mau comportamento são: mudanças repentinas de humor, choros desesperados, agressividade, raiva e impulsividade.

4.- Problemas físicos e psicológicos

As crianças que sofrem de carência emocional são mais propensas a sofrer de ansiedade, transtornos de aprendizagem, dificuldades em suas relações sociais e até mesmo de infecções com mais frequência.

Isso se deve à relação direta que existe entre o bem-estar mental de uma pessoa e a eficácia de seu sistema imunológico.

É possível remediar essa situação?

Não só é possível, mas também é necessário. A carência afetiva em crianças pode lhes causar no futuro um vazio que elas podem tentar preencher com substâncias perigosas para sua saúde. Isso inclui o tabaco, o álcool e as drogas.

Por outro lado, isso também pode levar a compras compulsivas para obter satisfação ou comportamentos imprudentes, como ignorar o uso do cinto de segurança, ter relações sexuais sem proteção ou até mesmo roubar.

Uma vez detectado algum dos sinais comentados, é aconselhável recorrer a um psicólogo para receber tratamento. Da mesma forma, a melhor coisa que se pode fazer é evitar. Para isso, é necessário que os pais:

  • Escutem seus filhos.
  • Passem tempo de qualidade com eles, mesmo que limitado.
  • Demonstrem afeição, consideração e compreensão.
  • Façam com que se sintam protegidos e acompanhados.

Fica claro, então, que as demonstrações de amor dos pais para seus filhos são fundamentais na vida dos pequenos. Até mesmo os pequenos gestos, aqueles que parecem insignificantes, podem mudar radicalmente a percepção e o humor de uma criança.

É essencial, por tudo isso, dedicar tempo e energia ao desenvolvimento ideal dos pequenos, especialmente a nível emocional.