5 conselhos dos pediatras às mães de primeira viagem

· 10 de julho de 2018
Talvez a maioria dos pediatras se divirtam quando uma mãe angustiada liga preocupada porque o filho está com soluço e ela não sabe o que fazer. Veja algumas dicas desses especialistas às mamães de primeira viagem.

Para as mães de primeira viagem tudo é novo e, como estão nervosas porque querem que seu pequeno seja saudável, ficam angustiadas com quase qualquer situação. Este artigo oferece 5 conselhos dos pediatras às mães de primeira viagem.

O primeiro conselho dos pediatras a uma mãe de primeira viagem é que, não importa qual seja a situação, o importante é manter a calma. Lembre-se de que ser mãe é uma experiência maravilhosa. Desfrute mesmo que suas primeiras experiências possam acabar sendo confusas ou, inclusive, difíceis.

Não se esqueça de que manter o pensamento positivo e a atitude otimista ajuda a lembrar que os primeiros dias vão passar. Além disso, viver a maternidade é uma das melhores experiências que uma mulher pode experimentar.

Esse conselho também inclui trabalhar aspectos da sua personalidade, como a serenidade e a segurança em si mesma. Ambos os aspectos, que também podem ser chamados de qualidades, ajudarão você a colocar em prática o senso comum. Por sua vez, o senso comum vai ajudar você a esclarecer o que sente em cada momento. Esse senso comum tem relação a um texto que se tornou viral há alguns anos. Nele um pediatra diz:

O melhor é:

  • O melhor não é o peito
  • O melhor também não é a mamadeira
  • O melhor não é pegar no colo
  • O melhor também não é deixar de pegar
  • O melhor não é colocar o bebê deitado dessa forma
  • O melhor também não é colocar dessa outra
  • O melhor não é cobri-lo dessa forma
  • O melhor também não é cobri-lo dessa outra
  • O melhor não é agasalhar o bebê com isso
  • O melhor também não é agasalhar com aquilo
  • O melhor não é dar purê
  • O melhor também não é dar pedaços
  • O melhor não é o que sua mãe diz
  • O melhor também não é o que diz sua amiga
  • O melhor não é deixá-lo com a babá
  • O melhor também não é deixá-lo na creche ou com os avós
  • O melhor não é seguir esse tipo de criação
  • O melhor também não é seguir esse outro estilo
conselhos dos pediatras

Você sabe o que realmente é o melhor?

  • O melhor é o que realmente faz você se sentir bem
  • O melhor é o que o seu instinto sugere que é melhor
  • O melhor é o que ajuda você a se sentir bem também
  • O melhor é o que permite que você seja feliz com sua família
  • Porque se você se sente bem, eles também recebem o melhor. Porque o melhor é você
  • Porque se você se sente segura, eles também se sentem seguros
  • Porque se você acredita que está agindo corretamente, sua tranquilidade e sua felicidade também atingem outras pessoas.
  • “Paramos de tentar dizer às mães e aos pais o que é o melhor porque, na verdade, o melhor para seus filhos é você”.

O conselho da alimentação

Mais uma das grandes preocupações das mães é que seu filho esteja bem alimentado. Essa é uma preocupação lógica. Para alimentar bem um bebê recém-nascido, a maioria dos especialistas do mundo aconselha o leite materno.

Mas o que acontece quando você sente que a criança não está se alimentando bem? Segundo a Associação Espanhola de Pediatria (AEP), a maioria das dificuldades em relação à amamentação ocorre devido a problemas com a técnica. Pode ser relativo à posição incorreta da mãe ou a uma aderência ao peito inadequada ou uma combinação de ambas as circunstâncias.

Segundo um documento da AEP, para uma boa aderência, todo o corpo do bebê deve estar posicionado diretamente em frente ao da mãe. Ao abrir a boca, o bebê deve introduzir grande parte da aréola, especialmente a mandíbula inferior, para que a língua não machuque o mamilo.

Os sinais que indicam uma boa aderência, de acordo com a AEP, são o queixo do bebê encostar no peito da mãe, a boca estar bem aberta, o lábio inferior estar para fora e as bochechas arredondadas ou niveladas quando o bebê chupa. Além disso, é preciso ser possível ver a aréola mais por cima que por baixo. Esses conselhos, além de terem sido relatados pela associação, foram reproduzidos por várias revistas especializadas.

Para essa organização pediátrica, mesmo que não haja uma única posição adequada para amamentar, a mãe deve estar confortável e o bebê posicionado de frente e bem próximo ao corpo da mãe. Assim, siga esse passos e tente encontrar uma posição cômoda e satisfatória para ambos. Certamente, você vai conseguir alimentar seu bebê com o melhor alimento do mundo: o leite materno. Este é o segundo conselho dos pediatras: alimente o bebê com leite materno.

conselhos dos pediatras

Conselhos pontuais de uma pediatra

A revista venezuelana “Ciência Médica Em Dia” publicou recentemente um artigo no qual a pediatra Marisol Godoy responde algumas perguntas pontuais e oferece seus conselhos:

-Como devo cuidar do cordão umbilical?

-O cordão umbilical deve ser limpo com álcool absoluto todas as vezes que a fralda for trocada. Assim, o cordão vai ficar mumificado mais rápido e cair, evitando predisposição a infecções. Se o cordão ficar com uma cor estranha ou mau cheiro, você deve levar o bebê a uma consulta médica.

-O bebê tem muitos soluços. Devo me preocupar?

-Não. O soluço é muito frequente nos bebês. Devemos lembrar que o sistema digestivo deles ainda não amadureceu. Geralmente, o bebê terá soluços após a expulsão de gases até os três ou quatro meses de vida. Após essa idade, o soluço deixa de ser habitual. As falsas crenças de assustar ou colocar um pedaço de fio molhado em frente ao bebê não vão ajudar.

-Por que ele chora tanto? Como o tranquilizo?

-O choro para o bebê é a única forma de expressar o que sente. As causas mais comuns são fome, muito frio ou calor, gases ou porque estão com a fralda suja. Fazer massagens no corpo, pegar no colo ou levar o bebê a um ambiente mais arejado podem ser boas soluções. Caso não seja possível identificar a causa do choro, é preciso recorrer ao pediatra. O especialista vai oferecer as ferramentas necessárias para descobrir a causa do choro e os melhores conselhos.

Aqui vai mais um conselho:

-É normal que ele espirre muitas vezes?

-É frequente observar um bebê recém-nascido espirrando constantemente. Isso geralmente acontece porque as vias respiratórias dele são muito pequenas e porque o ambiente em que está pode estar contaminado com agentes alérgicos como pó, mofo, perfumes, frio ou fumaça, estimulando as fossas nasais, produzindo muco e, consequentemente, um ato reflexo típico como o espirro.