Os 7 alimentos que você nunca deve dar ao seu bebê

· 3 de janeiro de 2017

Nos primeiros quatro meses de vida deve-se manter a dieta do bebê exclusivamente por meio da amamentação. Em alguns casos, o bebê requer que administremos alguma fórmula láctea, mas o alimento por excelência na primeira etapa de sua vida precisa ser o leite materno.

Porém, depois dos quatro meses começa um período de adaptação no qual o bebê pode receber uma alimentação adicional, que sirva como complemento da lactância. Estes alimentos, costumam ser simples e leves, e em geral são muito similares em todas as famílias.

As mãos começam a complementar a dieta do bebê com papinhas suaves, naturais e simples. A papinha de frutas é típica no meio da tarde, depois paulatinamente vai-se adicionando outros produto que não são da família láctea.

Por conseguinte deve-se ser precavido para que os novos alimentos não sejam prejudiciais para o seu pequeno organismo. Também é preciso adequar o preparo e a quantidade do produto, para facilitar sua digestão e promover seu amadurecimento.

7 alimentos que você nunca deve dar para o seu bebê comer

Ainda que algumas vezes seja inevitável que as crianças comam certos alimentos, com os bebês deve ser menos complicado, porque as mães são as responsáveis pelo preparo de suas comidas e como bebês não deveriam consumir mais do que o leite ou alguma papinha natural.

Porém, em ocasiões, por desconhecimento ou falta de interesse, caímos em rotinas alimentares pouco saudáveis para os pequenos. Nesse sentido, ainda que não se trate de um costume, existem alguns alimentos que, por motivo algum, deveriam ser consumidos pelos bebês.

Ainda quando não pareça, há certos alimentos que é preferível que não façam parte das dietas das crianças com menos de 12 meses e só com moderação a partir dessa idade, até os quatro anos. Nem todos sabem quais são esses alimentos; mas também há casos nos quais ignoramos os conselhos do pediatra.

shutterstock_278439287-500x334

Para cuidar da saúde de nossos pequenos devemos lembrar que esses sete produtos devem ser eliminados da alimentação habitual que administramos em casa. Estes podem ser:

1. O açúcar

Este alimento, ainda que muito comum, não faz falta ao bebê porque o leite materno já o contém. Se nossa ideia é adoçar o alimento para melhorar o sabor podemos fazer isso por meio de frutas. Além disso, o açúcar pode causar o surgimento prematuro de cáries.

2. O mel

É um substituto natural do açúcar cujo uso na alimentação das crianças é muito recorrente, mas o que não sabemos é que sua composição é muito similar à do açúcar branco. Outro inconveniente é a possibilidade de que contenha bactérias que ameaçam o sistema digestivo.

3. O sal

Assim como o mel e o açúcar, o sal é usado para ressaltar o sabor dos alimentos, mas é igualmente prejudicial. Este produto deve ser eliminado da dieta dos bebês porque põe em risco a saúde dos rins. Só é recomendável de forma moderada a partir dos doze meses.

4. Espécies marinhas

Certos tipos de peixes e mariscos, possuem altas quantidades de mercúrio, um elemento que é produto da contaminação; de modo que está presente em todos os oceanos, isso faz com que seja possível que os peixes o consumam e acumulem em seu organismo.

5. Alguns vegetais

As algas, acelgas, espinafre e borragem, cuja composição contém o nitrato; em quantidades excessivas poderiam causar a diminuição do oxigênio no sangue. Isso como resultado de sua transformação em nitritos.
Apesar de falarmos do consumo excessivo são contraindicados para bebês porque seu corpo é pequeno e a concentração tende a ser maior.

6. Produtos modificados pobres em gordura

Não é ruim consumir produtos com menos gorduras, mas estamos falando daqueles desnatados, os quais são submetidos a procedimentos especiais para eliminar o excesso de gordura. Por outro lado, as gorduras destes alimentos são essenciais para o organismo dos pequenos, são fonte de vitaminas e calorias.

7. Alguns alimentos segundo sua apresentação

 Os alimentos podem ser consumidos em diferentes formas de preparo ou apresentações, o que pode mudar suas propriedades consideravelmente. Por isso deve-se evitar na alimentação do bebê, não todo alimento, mas sim a forma como são administrados.
Por isso deve-se evitar: coisas cruas de origem animal, frutos secos sem triturar, bebidas a base de arroz, batatas fritas, sorvetes, dentre outros.