7 coisas que preocupam as mães na gestação

A gravidez não é uma etapa fácil para as mulheres que se preocupam com facilidade. Mas fique tranquila, a menos que o médico indique o contrário, os seguintes sintomas e problemas são perfeitamente normais e não representarão nenhum risco para você ou seu bebê.

Quando sua gravidez começa, você começa a se preocupar com coisas que nunca tinha considerado. Receber essa notícia vai mudar sua perspectiva e você vai se sentir nervosa e ansiosa para ver seu bebê.

O estilo de vida das mães na gestação é completamente diferente devido a fatores físicos e mentais. É importante que, durante este processo, você comunique ao seu parceiro se algo estiver gerando medo ou inquietude.

Você deve saber que todas as mulheres grávidas têm dúvidas e medos durante esta etapa. Não é algo anormal ou que deva ser escondido. Pelo contrário, conte seus medos para o seu médico e sua família. Desta maneira você vai receber recomendações úteis que vão te ajudar a ter uma gravidez saudável.

Os medos mais comuns das mães na gestação

1.- “Posso sofrer um aborto”

É um dos maiores medos de uma grávida, mas com os cuidados necessários é pouco provável que aconteça. A grande maioria das gravidezes trazem ao mundo bebês saudáveis e lindos.

A taxa de abortos durante as primeiras seis semanas é inferior a 20% e depois da oitava semana o risco diminui para menos de 5%. Se você realizar os cuidados necessários durante as primeiras semanas, você tem todas as possibilidades de manter uma gravidez saudável.

A gravidez é um processo fisiológico que leva a mudanças no organismo da mulher. É importante manter um bom estado de saúde mental. E, caso tenha antecedentes de doença psiquiátrica, avaliar a possibilidade de continuar com o tratamento ou mudá-lo para evitar qualquer evento adverso dos medicamentos.

– Dr. José Mendoza Velásquez –

2.- “Eu me sinto muito indisposta pelas manhãs”

Se o mal estar pelas manhãs te preocupa, você deve saber que não é um sintoma grave e não pode prejudicar ao bebê. A menos que tenha desidratação grave ou um desequilíbrio nutricional diagnosticado, é algo normal, especialmente no primeiro trimestre.

Em muitos casos, os médicos recomendam medicamentos que reduzem as náuseas e são seguros para o bebê.

3.- “Não sei o que comer para alimentar bem o meu bebê’

Muitas mães na gestação se sentem pressionadas na hora de escolher os alimentos mais adequados. A boa notícia é que não se trata de algo tão complexo quanto parece.

O que importa, neste sentido, é que a alimentação seja balanceada e que ofereça nutrientes suficientes. O que elas mais precisam são fibras, proteínas, ferro, ácido fólico e vitaminas. Seu bebê vai absorver todos estes elementos dos quais precisa para se desenvolver adequadamente.

4.- “Meu estresse pode afetar ao bebê”

Com as mudanças hormonais, a vida no trabalho, a família, o cansaço e as preocupações, é difícil não entrar em colapso. Mas o estresse intermitente não vai causar grandes danos ao seu bebê. Mas se, ao contrário disso, os episódios forem de ansiedade ou depressão graves, o pior pode acontecer.

As consequências podem ser nascimentos prematuros e incômodo durante a gravidez. O melhor conselho é praticar alguma atividade física ou algum passatempo que te ajude a liberar essas emoções.

5.- “Vai ser impossível perder o peso que ganhei durante a gravidez”

Todas as mães na gestação se preocupam em recuperar o corpo que tinham antes da gravidez. Para conseguir, você deve pedir ao médico que mantenha um registro do seu peso e te dê as recomendações adequadas ao seu metabolismo.

O aleitamento materno ajuda a queimar calorias adicionais e perder peso, além de ser fundamental para o seu bebê.

6.- “O parto será muito difícil e doloroso”

Esta preocupação aparece, principalmente, nas mães de primeira viagem ou nas que tiveram complicações em uma gravidez anterior.

Quando estes pensamentos chegarem, lembre-se de que você suportou dores e experiências muito fortes e esta não será uma exceção. Frequente aulas pré-natais para aprender a gerenciar a sua respiração e se sentir pronta para o dia do parto.

7.- “Eu não serei uma boa mãe”

Esta é uma das coisas que mais aterroriza as futuras mamães. Para evitar que esta preocupação te atormente, comece a fortalecer sua autoestima para se sentir mais segura.

Procure apoio em seu parceiro e na sua família e pense desde cedo quais valores você quer cultivar. Não permita que os medos atrapalhem a experiência maravilhosa de formar outro ser humano.

Por último, lembre-se: é normal sentir ansiedade por desconhecer o que vem com a chegada do bebê, mas não se deixe consumir por ela.

Se você tomar os cuidados necessários durante a gravidez, terá um parto feliz e iniciará uma linda etapa em sua vida.

Recomendados para você