7 coisas que você nunca deve dizer a alguém que sofreu aborto espontâneo

· 5 de setembro de 2017

Um aborto espontâneo pode ser um tema muito doloroso de se falar, e também de se reconhecer a perda. No entanto, é melhor falar sobre esse assunto do que ignorá-lo, porque dessa maneira a pessoa é capaz de aceitar o que aconteceu e conseguir seguir em frente. Mas isso não é tão fácil como parece, e menos ainda para a mãe que sofreu essa perda tão repentina e dolorosa. Um aborto espontâneo é doloroso e se você conhece alguém que já sofreu isso, deverá saber algumas coisas que é melhor não dizer à uma pessoa que passou por uma situação como essa.

7 coisas que você não deve dizer a alguém que sofreu um aborto espontâneo

1.Era apenas um feto, não era um bebê de verdade

Para muitas mulheres a ligação com o seu bebê começa desde o momento em que sabem que engravidaram. Além disso, no caso de a mulher ter engravidado há poucas semanas, o bebê era real e no coração dela começaram a ser elaborados planos e sonhos, uma família, e uma vida totalmente diferente. Não importa o quão avançado estivesse a gravidez, para uma mulher que sofreu um aborto espontâneo, era o seu bebê.

2.Pelo menos não aconteceu em uma fase avançada da gestação

É verdade que quanto mais avançada estiver a gestação maiores podem ser as complicações, caso haja a perda do bebê. No entanto, isso não diminui a dor que provoca a perda de um bebê. A ideia de que uma mulher que sofre um aborto espontâneo durante os primeiros três meses é “normal”, e não causa pena, está bastante errada. A dor física e emocional é muito verdadeira, mesmo que essa situação aconteça nas primeiras fases da gestação.

3.Se você perdeu o bebê, é porque ele não estava destinado a nascer

Ao ouvir essa frase durante o período em que se sente a dor de uma perda, os sentimentos dolorosos experimentados pela pessoa podem se agravar ainda mais. Talvez, a pessoa que ouve essas palavras pode entender como se você estivesse dizendo que ela não está destinada a ser pai ou mãe pelo fato de ter perdido o bebê. Ela pode até aceitar a importância do destino na sua vida, mas é melhor não pronunciar essas palavras diante de alguém que sofreu um aborto espontâneo.

4.Pelo menos você sabe que pode engravidar novamente

Existe uma grande quantidade de mulheres no mundo que lutam para ficar grávidas, essa luta é acompanhada pela dor e vergonha à cada mês que não conseguem. Engravidar é o primeiro passo em direção à maternidade, e uma mulher que sofreu um aborto espontâneo também sente que está sendo privada do direito e da possibilidade de ficar grávida, depois de ter pensado que, sim, era possível ela conseguir.

5.Não se sinta mal, é algo que acontece com frequência

Para muitas mulheres que sofreram um aborto espontâneo, e que precisam de palavras de consolo e apoio, essa frase pode ser realmente cruel. É verdade que o aborto espontâneo é bastante comum, sobretudo nos primeiros três meses de gestação, mas isso não tira da mulher que sofreu esse aborto a necessidade de receber apoio, compaixão e, além disso, que seja respeitada a fase da dor perinatal, que acompanha qualquer tipo de perda.

6.Logo logo, você já vai ficar bem

Para algumas mulheres o período de dor depois de um aborto espontâneo é muito curto, e isso não é algo ruim, cada mulher tem a sua própria fase de dor e isso deve ser respeitado. No entanto, para outras mulheres a dor pode durar um longo tempo e pode se tornar bastante difícil por conta de diversos fatores: como quando lhes dizem que vai ficar bem em pouco tempo, quando, obviamente, as coisas não funcionam assim.

Além disso, pode ser muito doloroso dizer para uma mulher que sofreu um aborto espontâneo que vá ao médico ou ao psicólogo. É uma dor, e é a mulher quem deve decidir se vai dar esse passo ou não e quando ela deve dar. Os efeitos colaterais físicos de um aborto espontâneo podem durar várias semanas e pode ser preciso mais tempo para trabalhar os aspectos emocionais da perda vivida.

7.Você deve agradecer pelo que já tem

Quando alguém se sente mal, sabemos que dizer que ela vai superar essa situação não adiante nada, falar isso pode até mesmo piorar a situação. Não é ético nem moral. Essa frase, frequentemente, é dita para mulheres que têm filhos adultos e estão no período de dor perinatal por terem sofrido aborto espontâneo.

Mesmo que elas já tenham filhos a perda gera o mesmo sentimento, independentemente dos filhos que tenham, e é perfeitamente normal chorar depois de sofrer um aborto espontâneo.