7 respostas sobre hérnias nos bebês

24 Julho, 2018
As hérnias nos bebês são bastante comuns. No entanto, não deixam de ser uma preocupação para os pais, sobretudo quando são pais de primeira viagem.

É possível que bebê nasça com uma hérnia e, de fato, isso é uma coisa frequente em bebês prematuros. Nós sabemos que as hérnias não devem ser motivo de alarme por parte dos pais.

Por isso, neste post, vamos dar algumas respostas sobre esse tema. Em especial, respostas destinadas a explicar que nem sempre os diferentes tipos de hérnias nos bebês são motivo de preocupação.

As hérnias não são causadas por outra doença

O aparecimento de hérnias nos recém-nascidos se deve basicamente ao fato de que eles possuem aberturas naturais na musculatura. Esses espaços devem começar a se fechar à medida que se desenvolvem. Mas, antes, as hérnias podem dar lugar a pequenos orifícios do intestino que se alargam até a última camada da pele.

Em algumas situações, o surgimento de hérnias está relacionado a condições como a Síndrome de Down. Mas, na maioria dos casos, não tem nenhuma relação com o desenvolvimento de outras doenças.

Os sintomas são facilmente identificáveis

Em geral, as hérnias aparecem nos mesmo lugares e são perceptíveis à simples vista ou por meio do tato. São pequenos caroços que aparecem embaixo da pele e atingem o tamanho aproximado de um polegar.

hérnias nos bebês

Podem passar semanas e até meses após o nascimento do bebê para que as hérnias sejam percebidas. Mas elas serão mais perceptíveis se o bebê demonstrar algum incômodo, por exemplo, quando o bebê chora. É possível que as hérnias causem dor ao apalpar ou em situações que exigem esforço físico por parte da criança.

As hérnias mais comuns nos bebê são a umbilical e a inguinal

Qualquer criança pode desenvolver esses tipos de hérnias. Diferentemente do que acontece com os adultos, as hérnias nas crianças ocorrem devido às aberturas naturais dos tecidos do corpo do bebê. No caso da hérnia umbilical, trata-se de um incômodo simples de resolver e, na maioria dos casos, o processo é indolor.

A hérnia inguinal, por sua vez, apesar de ser mais frequente em meninos, também pode ocorrem em meninas. Nos meninos, esse tipo de hérnia costuma aparecer na região da virilha e do escroto. Ela atinge menos de 5% dos meninos e, em geral, requer intervenção cirúrgica.

A hérnia pode impedir a circulação sanguínea

Se você percebeu que seu filho tem uma hérnia, é recomendável marcar uma consulta com o pediatra. O médico vai indicar se há a necessidade de realizar uma intervenção cirúrgica. Apesar de as hérnias mais comuns serem inofensivas, é possível que, com o esforço diário da criança, a protuberância aumente de tamanho e cause a obstrução da circulação sanguínea.

Isso pode provocar dor e danos permanentes nos tecidos correspondentes ao órgão afetado. Da mesma forma, pode causar vômitos, dores e inflamação. Se isso acontecer, os especialistas sempre recomendam a cirurgia.

Nem sempre é preciso fazer cirurgia para hérnias umbilicais

É normal que a hérnia assuste ou cause preocupações, pois às vezes ela acaba sendo bem grande. No entanto, nem sempre é uma complicação que requer intervenção cirúrgica. Nesses casos, o bebê pode conviver com a hérnia confortavelmente e sem riscos.

Em condições normais, a hérnia umbilical vai desaparecer por si só em um período máximo aproximado de três anos. Em poucos casos ela pode acompanhar o bebê até os cinco anos de idade. No entanto, a cirurgia é inevitável caso a criança apresente outros sintomas. A cirurgia também será necessária se a protuberância aumentar  de tamanho ou se perder sua coloração normal.

hérnias nos bebês

As meninas também podem apresentar hérnia inguinal

Na maioria dos casos, a hérnia inguinal se manifesta em meninos. No entanto, as meninas também podem apresentar esse tipo de complicação. Da mesma forma que em qualquer outro recém-nascido, os espaços que ainda não se fecharam nos músculos podem permitir o aparecimento de protuberâncias na pele.

No caso das meninas, é menos comum o aparecimento na região da virilha. Nessa região o extremo do intestino aumenta de tamanho e pode chegar até aos lábios vaginais, originando um pequeno caroço fácil de apalpar nessa parte do corpo. Trata-se de uma hérnia que tende a desaparecer em pouco tempo. Mas também pode ser eliminada por meio de cirurgia.

Nem todos os pequenos caroços na pele são hérnias

Outras infecções podem originar protuberâncias similares às hérnias. Especialmente as situadas na região da virilha. Em algumas situações, é resultado da acumulação de líquido, mais conhecida como hidrocele. Esse tipo de acumulação é comum em bebês e costuma desaparecer em um período de 24 meses.

No caso dos meninos, existe uma inflamação frequentemente confundida com a hérnia inguinal. Isso acontece quando bebê apresenta testículo retrátil. Essa condição provoca o aparecimento de uma pequena protuberância no escroto quando ele se retrai e volta a descer.