Mais de 8 razões para não dar cafeína para o seu filho

· 17 de maio de 2017

A maioria dos pais nunca pensaria sobre isso. Outros não dão a mínima importância. O certo é que sobram motivos para não dar cafeína a uma criança. Entretanto, a grande maioria se esquece de que muitos alimentos e refrigerantes contêm essa substância de origem vegetal.

Os especialistas indicam que é conveniente reduzir o máximo possível o consumo de cafeína no caso das crianças. No Canadá não se recomenda que crianças em idade pré-escolar consumam mais de 45 miligramas de cafeína por dia. Isso equivale à quantidade de cafeína que uma lata de 355 mililitros de refrigerante de cola contém.

São muitos os motivos para não dar cafeína às crianças. Mas para começar, você deve considerar que essa substância tem propriedades estimulantes e diuréticas não saudáveis para as crianças. Além disso, de acordo com os Institutos Nacionais de Saúde estadunidenses a cafeína é absorvida e chega rapidamente ao cérebro.

Consequentemente, os especialistas falam sobre uma excitação do sistema nervoso central, um crescimento inadequado da criança, uma perda de minerais capaz de afetar a massa óssea e, inclusive, sobre vício. Ademais, existem muitos efeitos secundários dessa substância que pode ser encontrada no café, no refrigerante, no sorvete ou no chocolate.

A cafeína nas crianças

Como mencionamos anteriormente, a cafeína estimula o sistema nervoso central. Em doses reduzidas, ela fornece energia às pessoas ao mesmo tempo que as deixa em estado de alerta. Entretanto, é possível dizer que estes são alguns dos motivos para não dar cafeína ao seu filho. Pois um consumo excessivo pode provocar:

  • Inquietação e nervosismo.
  • Falta de concentração e perda de atenção.
  • Dificuldade na hora de conciliar o sono.
  • Aceleração do ritmo cardíaco.
  • Aumento da pressão arterial.
  • Gastrite e mal-estar estomacal.
  • Dano no esmalte dos dentes.
  • Dor de cabeça.
  • Em algumas ocasiões afeta a fala e a atividade motora normal.
  • Causa diurese.
  • Afeta a saúde dos ossos.
  • Causa dependência.

Essa lista é muito importante! Aqui também cabe deixar claro que no caso das crianças mais novas não é preciso ingerir grandes quantidades de cafeína para desencadear esses efeitos.

cafeína

Existem outros motivos para não dar cafeína para meu filho?

Mesmo que os motivos acima expostos possam parecer loucura ou exagero, a verdade é que eles representam somente a ponta do iceberg. Há uma série de motivos ainda mais amplos pelos quais não se deve dar cafeína às crianças, a saber:

  • Aumenta o risco de obesidade. Estima-se que as crianças que, mesmo sem saber, consomem cafeína ao beber um ou mais refrigerantes por dia, os quais contêm 355ml de açúcar, seja de cola ou outro sabor, apresentam 60% mais chances de ser obesas.
  • Causa deficiências nutricionais. As bebidas com cafeína costumam conter calorias vazias, isto é, não proporcionam nutrientes. As crianças, por sua vez, precisam de uma dieta balanceada que inclua proteínas, cereais integrais, frutas e verduras. Infelizmente, muitas crianças consomem exageradamente esses refrigerantes e não obtêm as vitaminas nem os minerais necessários. Dessa forma, elas aumentam as chances de sofrer deficiências nutricionais ao mesmo tempo em que acabam não recebendo o cálcio necessário ao desenvolvimento dos ossos e dos dentes saudáveis e fortes. Esse estimulante conduz inevitavelmente a uma diminuição do apetite e uma nutrição não aconselhável em geral.
cafeína

  • Aumenta as chances de ter cáries. Se seu filho toma muitas bebidas com cafeína e açúcar ele vai ficar mais propenso a produzir cáries. Isso acontece devido ao enfraquecimento dentário que vem acompanhado de um maior desgaste do esmalte do dente, provocado pela acidez.
  • Desidratação. Outro dos motivos pelos quais não se deve dar cafeína aos filhos é que essa droga, além de tudo, é diurética. Em determinadas ocasiões ela pode contribuir para a desidratação. Dessa maneira, os pediatras desaconselham o consumo excessivo da cafeína especialmente em dias quentes, quando as crianças necessitam repor a água que perdem na forma de suor.
  • Perda de massa óssea. Exatamente por atuar como diurética, a cafeína leva à perda de cálcio no corpo. Isso se traduz em uma perda da massa óssea, já que essa substância também tende a filtrar o cálcio do corpo. Os médicos estimam que cada 100 mg de cafeína contribui para a eliminação de 6 mg de cálcio, essencial ao crescimento ósseo de qualquer criança em idade de crescimento.
  • Vício e abstinência? De fato, outro motivo pelo qual você não deve dar cafeína ao seu filho é porque ela causa dependência nas pessoas que a consomem regularmente, inclusive se consumida moderadamente. Essa dependência apresenta sintomas semelhantes em adultos e crianças: letargia, irritabilidade e dificuldade para pensar com clareza. Consequentemente, se você interromper abruptamente o consumo da cafeína, provavelmente vai notar o aparecimento de alguns sintomas de abstinência, tais como dores de cabeça, incômodos musculares, depressão passageira e irritabilidade. Não é muito comum isso acontecer, mas se manifesta com mais intensidade em crianças acostumadas a ingerir grandes quantidades dessa substância.
  • Insônia. Como já foi dito incansavelmente, as crianças entre 5 e 12 anos necessitam de, pelo menos 11 horas de sono por dia. Entretanto, a cafeína tende a aumentar os níveis de energia durante o dia. Isso contribui para diminuir as horas de sono necessárias, já que essa substância permanece por pelo menos 8 horas no corpo das crianças.
  • Hiperatividade e problemas de comportamento. Outro motivo para não dar cafeína às crianças é porque ela causa hiperatividade e gera problemas de comportamento. Além de promover certa inquietação e incapacidade de se concentrar. Da mesma maneira, os efeitos dessa droga têm efeitos negativos nas relações com os colegas, no estudo e nas notas escolares. Em relação ao comportamento da criança é possível perceber que ela se torna mais ansiosa e nervosa.