A anestesia raquidiana e sua influência no parto

3 de maio de 2018
Os diferentes tipos de anestesia que podem ser utilizados no momento do parto trazem uma série de benefícios. A chamada anestesia raquidiana é hoje em dia uma das mais utilizadas.

A anestesia raquidiana é utilizada principalmente para eliminar as dores no parto. Todas as futuras mamães têm um certo nível de ansiedade, que aumenta à medida que o dia do parto se aproxima. Felizmente, a medicina fez grandes avanços, o que facilitou um pouco a vida das mamães. Mas com o objetivo de tranquilizá-las é preciso que sejam suficientemente informadas.

Existem diferentes tipos de anestesia utilizadas pelos médicos, segundo o que eles consideram adequado para cada caso. Os tipos mais conhecidos de anestesias são:
  • Geral
  • Peridural
  • Local
  • Raquidiana

O objetivo dessas anestesias é evitar a dor nos pacientes, porém, quando as cirurgias são mais complexas é preciso que elas cumpram também outras funções. Além disso, segundo a quantidade e o tipo de medicamento que se utilize, chegaremos até um estado de amnésia para que não haja consciência e nem dores.

Em um parto natural, a anestesia raquidiana basicamente inibe a dor; nos casos de cesárea, o que faz é inibir as contrações que ocorrem no útero. Após 15 minutos da sua aplicação, as partes médias e inferiores do corpo perdem totalmente a sensibilidade. Se produz um bloqueio de estímulos nervosos, por esse motivo a paciente não consegue se movimentar e nem sentir qualquer dor.

A técnica da anestesia raquidiana

A paciente se coloca em posição de decúbito lateral. Com a prévia esterilização da agulha, ela é colocada diretamente na medula espinhal. O anestesista deve procurar o ponto exato entre as últimas vértebras lombares. Em certas ocasiões a posição da agulha pode variar, segundo o efeito que se deseja obter.

Uma vez colocada, se introduz o anestésico que atravessa a pele, o tecido celular e os ligamentos até atingir o líquido cefalorraquidiano ou líquor. A estrutura fica anestesiada e os estímulos dolorosos bloqueados, portanto sem acesso ao cérebro.

A paciente deve se manter imóvel durante o processo a fim de evitar lesões. Da mesma forma, caso a futura mamãe manifeste um dor exagerada durante a aplicação da injeção, o processo deve ser interrompido porque podem existir riscos relativos na área escolhida.

cirurgião, sala de operações, saúde, parto

Benefícios da anestesia raquidiana

Entre os diferentes tipos de anestesia, a raquidiana é uma das que utiliza menor quantidade de medicamentos, sendo assim, o organismo não correrá o risco de intoxicação por anestésicos. Não é prejudicial para nenhum órgão e muito menos para a amamentação.

A anestesia raquidiana é a que faz efeito mais rapidamente, isso em comparação com a anestesia peridural, o que é útil em casos de urgência em que cada minuto é de suma importância. Por outro lado, a durabilidade dos efeitos são inferiores às outras e a mãe se recupera mais rapidamente. Os cuidados com o recém-nascido não serão afetados pela presença da anestesia.

Para a paciente também é recomendada a anestesia raquidiana, porque não será necessário a colocação do cateter; somente uma injeção é suficiente para que faça o efeito esperado.

“A anestesia raquidiana não prejudica nenhum órgão e muito menos a amamentação”

Possíveis efeitos colaterais

Somente em alguns casos foram identificados determinados efeitos colaterais, porém sem qualquer gravidade. Entre os sintomas de uma reação à anestesia podemos citar:

  • Cefaleias e fortes enxaquecas
  • Dores nas costas
  • Algum problema nervoso
  • Reação alérgica
  • Infecção
  • Dificuldade para urinar
  • Diminuição da pressão arterial
casal momento do parto

Uma experiência positiva no parto

Tanto a anestesia raquidiana quanto a peridural são bastante utilizadas nos partos. A grande diferença está no fato de que a raquidiana é aplicada em uma única injeção efetuada com uma agulha bastante fina atingindo o liquido cefalorraquidiano. O bloqueio é total e se consegue estipular a duração da mesma.

Caso a futura mamãe tenha realizado todos os exames médicos e conhece seu estado de saúde, estará muito segura com a anestesia raquidiana. Claro, desde que não sofra nenhum tipo de alergia aos anestésicos, não existem riscos pelos quais se deva evitar sua aplicação.

Com certeza o médico que avaliar seu estado explicará todo o procedimento e escolherá o mais conveniente. Um parto saudável será sempre o objetivo do médico e que se converta na melhor experiência vivida por uma mãe, porque afinal de contas, tanto o parto natural ou por cesariana trarão como consequência uma nova vida.

O melhor é observar a situação que se produz quando se vê que o bebê nasceu em um parto sem dor.

Apesar de tudo, existem mulheres que ainda insistem em não utilizar qualquer tipo de anestesia e optam pelos partos naturais. Cada pessoa conhece suas próprias características e consequentemente têm o direito de escolher o caminho a ser seguido.