A aprendizagem emocional das crianças

· 10 de abril de 2018
Descubra a seguir tudo o que você precisa saber sobre a aprendizagem emocional das crianças, as diversas etapas em que acontece, seus tipos, e formas de incentivá-la.

Como pais, devemos proporcionar uma experiência de aprendizagem emocional positiva para nossos filhos, a qual lhes forneça ferramentas para a vida toda. Não somente para melhorar o ambiente à nossa volta, mas também para ajudar nossos filhos a se desenvolverem enquanto seres humanos.

Certamente, é possível ensinar a administrar as respostas emocionais de maneira adequada durante os primeiros anos de vida.

A alegria, a tristeza, a surpresa, a aversão, a fúria e o medo são algumas de nossas emoções mais intensas e que também influenciam o nosso comportamento, minuto a minuto.

É muito comum que, durante a infância, as crianças experimentem estas emoções de uma maneira muito mais explosiva e, de certa forma, primitiva.

Por isso, é necessário lhes ensinar a canalizar suas emoções e desenvolver um comportamento que seja socialmente aceitável. Isto quer dizer que suas emoções devem respeitar as normas implícitas de convivência, entre outros aspectos básicos.

Quando iniciar a aprendizagem emocional?

Quando começar com a aprendizagem emocional?

Quanto mais cedo melhor. Porém, devemos levar em consideração a idade da criança e adaptar nossos ensinamentos às suas capacidades. Para isso, temos que estar atentos, sermos dedicados, pacientes e perseverantes.

Em geral, os pais costumam dar início à aprendizagem emocional das crianças a partir do 1º ou o 2º ano de vida. Desta forma, se asseguram de criar as bases para uma educação em valores com tempo suficiente.

Devemos nos lembrar que as crianças são como esponjas e absorvem facilmente tudo à sua volta: ideias, experiências, condutas, etc. Sua capacidade para assimilar informações é enorme, por isso devemos aproveitar esta capacidade na hora de ensinar como devem se comportar.

A aprendizagem emocional, ou de qualquer outro tipo, implica em colocar em prática diversas estratégias flexíveis o suficiente para se ajustarem às circunstâncias e, assim, podermos alcançar nosso objetivo.

Não é necessário ser o vilão da história, simplesmente devemos separar um tempo para fazer com que as crianças entendam como podem administrar suas emoções corretamente.

Tipos de aprendizagem emocional das crianças

À medida que a criança cresce, ela experimenta novas sensações e aprofunda seus sentimentos. Por isso, em relação à aprendizagem emocional, se podem perceber dois tipos principais:

  • Aprendizagem associativa. Consiste em fazer associações que ajudem a guardar detalhes específicos por meio da memorização.
  • Aprendizagem cognitiva. Neste tipo de aprendizagem, a informação entra no sistema de raciocínio, é processada e, em seguida, consegue provocar certas reações.

O que é a inteligência emocional?

Entende-se por inteligência emocional a capacidade de reconhecer tanto os próprios sentimentos e emoções como os das outras pessoas. É considerada uma ferramenta essencial no desempenho social e envolve várias habilidades:

  1. Identificar emoções e sentimentos.
  2. Controlar os impulsos que surgem das respostas emocionais, em função das normas de convivência e do bem-estar coletivo.
  3. Criar ou manter relações interpessoais.

Áreas importantes da inteligência emocional

  • A inteligência interpessoal. É a capacidade de compreender bem as outras pessoas. Por exemplo, o que as motiva a agir de determinada maneira e como se relacionar com elas de forma correta. Está associada diretamente com a empatia e com entender as reações e temperamentos de outras pessoas.
  • A inteligência intrapessoal. Ajuda a formar um modelo realista e concreto do ser humano, levando em consideração os próprios sentimentos. Assim, eles podem ser usados como guia em sua conduta.
Como desenvolver a inteligência emocional?

Como desenvolver a inteligência emocional?

  1. Instaure valores. É importante instaurar valores fundamentais desde muito pequenos.
  2. Ensine a distinguir entre o bem e o mal, assim como entre o correto e o incorreto, de uma forma simples, porém eficaz.
  3. Demonstre afeto. Se os pais mostram amor aos seus filhos, eles aprenderão a mostrá-lo também, tanto aos pais como aos demais.
  4. Dê o exemplo e mantenha uma disciplina apropriada.
  5. Mostre os erros. Permita que as crianças errem e que vivam suas próprias experiências. Também é crucial reconhecer suas conquistas.
  6. É preciso também ensinar a não sentir vergonha de expressar os sentimentos.
  7. A manifestação de uma única emoção não deve ser imposta como norma, sob nenhuma circunstância; ou seja, para garantir uma boa aprendizagem emocional das crianças, não devemos exigir que estejam sempre felizes ou sempre neutras.

É preciso ensinar para as crianças que todas as emoções são naturais e muito necessárias para o ser humano. Todas desempenham uma função para ajudar a enfrentar as situações da vida.

Por isso, é necessário fazer com que saibam que as emoções não devem ser reprimidas nem evitadas, mas sim conhecidas, aceitas e que se deve aprender a administrá-las corretamente. Assim, as crianças poderão se relacionar bem e ter uma boa participação na sociedade. Isto lhes trará grande satisfação pessoal.