A técnica do semáforo para controlar as emoções nas crianças

17 de janeiro de 2018

Diariamente vemos nas ruas crianças que choram, esperneiam e fazem escândalos por diferentes motivos. Inclusive é possível que nosso próprio filho tenha condutas associadas à impulsividade. Se isso acontece, a técnica do semáforo pode nos ajudar bastante.

Quando o vulcão de emoções se ativa, é comum ver dois tipos de resposta ao reconhecimento de defeitos na educação da criança: pais que adquirem uma atitude ainda mais irracional ou adultos muito condescendentes que se deixam manipular pelos seus filhos. Evidentemente, nenhuma das duas posturas é a correta.

Mas, o que você pensaria se existisse um mecanismo para que o seu filho administrasse suas próprias birras? É exatamente disso que se trata a técnica do semáforo.

A técnica do semáforo para controlar as emoções nas crianças

Vermelho, amarelo e verde: cada luz tem seu significado

Esse método de autogestão das emoções consiste em mostrar aos nossos filhos como se encontram o seu humor de uma forma gráfica. Cada vez que tiverem um problema, nós explicaremos em que fase estão e o que isso leva. Vejamos o que significa cada cor do semáforo:

Vermelho: A raiva está tomando o controle e, se a criança não muda a atitude, enfrentará um castigo exemplar. Se não parar, a penalização deverá ser imposta e é quando definitivamente mostraremos a cor vermelha.

“O que você acharia se existisse um mecanismo para que o seu filho administrasse suas próprias birras? É disso que se trata a técnica do semáforo.”

Amarelo: É hora de pensar. A criança está agitada, mas ainda não perdeu as estribeiras. Ela se irritou e se acalmou, logo a convidaremos a pensar e dialogar sobre a situação. É uma fase de alerta, onde ainda podemos convidá-la a raciocinar.

Verde: A criança dialoga, fala e recebe explicações sobre o que deseja. Se continuar assim, mostraremos a cor verde e daremos os parabéns pelo seu autocontrole. Nessa fase, podemos oferecer uma solução para o seu problema e inclusive um reforço positivo.

Como podemos começar?

Um bom dia, quando a criança começar a se irritar, mostraremos a técnica do semáforo. Podemos dizer que estamos cansados de castigá-la e que por isso colocaremos em prática esse novo procedimento ou acordo.

Então colocaremos na parede uma cartolina em forma de semáforo. Podemos recortar círculos com as respectivas cores e colocá-los segundo o estado de humor da criança. Outra opção é tê-los colados e indicar com o dedo a cor correspondente ao estado.

Também é bom continuar com esse método quando estivermos fora de casa. Dependendo de como a criança esteja se comportando, indicaremos em que cor do semáforo ela está.

Algumas considerações sobre a técnica do semáforo

Podemos utilizar esse mecanismo em crianças de até cinco anos de idade. A ideia não é apenas controlar a criança mediante o castigo, mas orientá-la para que consiga administrar seus quadros de raiva. Ele ou ela terão o tempo e as advertências necessárias antes de que tudo saia do controle.

A técnica do semáforo para controlar as emoções nas crianças

O objetivo é simples: as crianças devem aprender a identificar com o tempo qual é o seu nível de impulsividade. As cores ilustrarão e eles pensarão duas vezes antes de continuar. De alguma forma, isso é muito parecido com contar até dez antes de perder a razão.

Claro que esse método implica trabalhos de ensino repetitivos por parte dos pais. Inclusive nas horas de lazer podemos organizar uma brincadeira na qual a criança identifique os níveis de impulsividade com cores. A técnica é parecida a que usamos quando ensinamos os números ou as cores.

“O objetivo da técnica do semáforo é simples: as crianças devem aprender a identificar com o tempo qual é o seu nível de impulsividade”

Vantagens dessa técnica de autocontrole

  • Os ensinamentos em torno da inteligência emocional são mais didáticos e práticos. Sem dúvida alguma, isso é muito mais ilustrativo do que ficarmos agressivos ou contrariados com isso. Quando o adulto perde o controle, pode estar enviando um sinal errado para o seu filho.
  • Damos às crianças a oportunidade de ter consciência sobre seu próprio caráter. O processo de disputa deixará de ser algo puramente emocional para se transformar numa lição. Além disso, com essa atividade ele entenderá que poderá marcar diferenças desde sua própria forma de agir.
  • As regras estarão mais do que claras e a criança internalizará a autogestão da sua animosidade. Claro que para que isso funcione, os pais devem dar o exemplo e ter a paciência suficiente para explicar. A ideia é forjar um adulto disciplinado e razoável no futuro.