A comunicação com nossos filhos em seus cinco níveis

· 1 de dezembro de 2016

Costumamos errar.  A comunicação com nossos filhos não consiste em falar muito e repetir incansavelmente ideias. Este intercâmbio não se mede em quantidade mas sim em qualidade. Você fala com a criança? Do que fala com ele? Conhece os níveis de comunicação? Saiba mais neste artigo.

É comum manter muitas conversas durante o dia com nossos garotos. Seus amigos, a escola, suas atividades e hobbies são alguns dos temas que abordamos. Entretanto, cada um desses temas representa um diferente nível de qualidade e profundidade, implicando em diversos benefícios para eles.

A comunicação com nossos filhos se torna difícil de estabelecer porque não só cada criança é única, mas também porque o contato requer regras particulares. Por isso se aconselha considerar uma série de pautas para consolidar um bom diálogo com o pequeno.

As palavras e os gestos são elementos-chave para falar com os menores. Além disso você deve manter o contato visual, ser concreto, claro e simples na elaboração da mensagem para conseguir a atenção dele. Lembre-se da importância de escutar bem e evitar as ameaças.

O valor da comunicação com nossos filhos

A comunicação com nossos filhos é uma valiosa ferramenta, já que nos permite conhecer seus sentimentos. Assim poderemos determinar como agir para guiá-los e ajudá-los. Só dá para conhecer seu próprio filho através do papo.

niña-sonriendo-con-su-madre

Desta maneira, não é novidade que vários especialistas entendam a comunicação como uma arma infalível no que toca às relações cotidianas, os conflitos e, fundamentalmente, perante as diferentes etapas que atravessam os garotos durante seu crescimento.

Não vá esquecer! Essa conversa não deve ser composta só de palavras, como também a expressão corporal se converte em protagonista. Leve em conta o poder dos sorrisos, carícias, abraços, suspiros e silêncios.

Os cinco níveis de profundidade

Como já adiantamos, na comunicação com nossos filhos há cinco níveis de profundidade e qualidade. Estas categorias classificam o tema abordado e o plano comunicacional que estas incluem. Preste atenção para analisar quantos você cobre quando fala com o seu filho.

De acordo com o conteúdo abordado nós usaremos um determinado grau de profundidade. Entretanto, em uma mesma conversa podemos entrar simultaneamente em diferentes níveis de comunicação.

  1. No primeiro nível falamos de coisas. Se trata do nível mais superficial de uma conversa, onde, por exemplo, fazemos alusão a sua performance em danças, seu gol no jogo de futebol, o rendimento na escola, a comida e também os livros de contos.
  2. No segundo nível falamos de pessoas. Nos referimos, nesse caso, às ações desenvolvidas por sua professora, algum colega de escola, seu amigo nos jogos, um vizinho ou a mãe de uma amiga.
  3. No terceiro nível falamos de nós. Ao contrário dos anteriores, comporta maior profundidade, podendo implicar em compartilhar alguma coisa íntima que gera uma aproximação no plano afetivo. E assim, com essa interação, os dois lados conhecem mais um do outro. Você pode contar a seu filho sobre seu jogo favorito na infância ou explicar o que aconteceu no trabalho, ao mesmo tempo que ele revela qual é seu conto ou música favorita ou detalha atividades e jogos da jornada.
  4. No quarto nível comunicamos sentimentos. É um passo a mais na comunicação com nossos filhos porque supõe uma maior abertura. Aqui é colocado em comum os sentimentos e dessa maneira fica implícita uma relação de confiança e por isso se decide compartilhar a intimidade. Esta categoria ajuda de maneira considerável a consolidar a união familiar. Ele nos expressa como se sente, se suas amizades o deixam de lado ou quando ocupa o banco de reservas em sua equipe e nós manifestamos a desilusão que provoca a atitude de uma pessoa ou o orgulho que sentimos ao vê-lo crescer são e feliz.          madre-tumbada-con-hijo-mirándose
  5. O quinto nível comunica os sentimentos que há entre nós. É o escalão mais profundo e maravilhoso de uma conversa,  onde falamos do que sentimos um pelo outro. Este momento é pura alegria já que aparece a magia e a alegria quando abrimos o coração para demonstrar quanto nos amamos. E neste momento aparece a magia. Se eu confesso meu amor e os motivos que me conduzem a esse sentimento estou construindo vínculos afetivos sólidos e fundamentais para seu desenvolvimento emocional.