A dermatomiosite juvenil: sintomas, diagnóstico e tratamento

11 de maio de 2018
Se o seu filho foi diagnosticado ou você suspeita que possa estar com dermatomiosite juvenil, é importante saber que, mesmo que seja uma doença que não tem cura, seu filho poderá ter períodos longos de melhora se o devido tratamento for empregado.

Estima-se que a dermatomiosite juvenil afeta entre 3 mil e 5 mil crianças. A série de sintomas que apresenta torna a infância bem difícil. A forma mais eficaz de enfrentar essa doença é conhecer tudo o que está relacionado com ela, além de seguir todas as recomendações médicas.

O que é dermatomiosite juvenil?

É uma doença autoimune que se caracteriza por causar dano muscular, provocado porque os vasos sanguíneos que estão localizados debaixo da pele e dos músculos estão inflamados. Frequentemente, observa-se mudanças na pele sobre as juntas, na borda das pálpebras e nas articulações dos dedos.

As doenças autoimunes são aquelas em que o corpo lesa o tecido ou as células saudáveis ao confundi-las com agentes invasores. As idades em que normalmente aparece são a partir dos 2 até os 15 anos.

Sintomas da dermatomiosite juvenil

Na maioria dos casos, os sintomas geralmente aparecem gradualmente, ao passo que em outros pacientes se manifesta de forma aguda ou até intensa. Cada paciente experimenta cada sintoma de forma diferente. Devido a alguns desses sintomas, a crianças não poderá realizar certas atividades.

Os sintomas mais comuns, ainda que não sejam os únicos, são:

  • Erupção cutânea na pele, rosto, juntas, joelhos e cotovelos.
  • Inchaço das pálpebras e articulações.
  • Fraqueza muscular.
  • Mudança de cor do contorno dos olhos (vermelho ou roxo).
  • Mal-estar causado por febre e fadiga.
  • Dificuldade de engolir e voz fraca.
  • Dor abdominal aguda causada por úlceras digestivas.
A dermatomiosite infantil: sintomas, diagnóstico e tratamento

Fases da doença

Esta condição se desenvolve em 4 etapas:

  • Período prodrômico. Nesta fase, os sintomas são irregulares e tendem a ser confundidos com outros distúrbios. Pode durar de semanas a meses.
  • Fraqueza muscular progressiva e erupção cutânea. Esse processo de enfraquecimento dos músculos leva semanas para se estabilizar e a recuperação pode levar até dois anos.
  • Inflamação muscular e erupção cutânea. Esta fase dura 2 anos.
  • Recuperação. Pode ocorrer sem grandes consequências, enquanto em outros casos provoca atrofia muscular e contraturas.

“Embora a dermatomiosite juvenil não tenha cura, há muitos pacientes que não apresentam complicações por longos períodos”

Causas e diagnóstico

Até o momento, as causas dessa doença não foram determinadas. O que muitos especialistas dizem é que é um mau funcionamento do sistema imunológico, e também acredita-se que esse tipo de doença é hereditário.

Para determinar se sofre dessa doença, é preciso realizar os seguintes exames:

  • Exame físico.
  • Análises laboratoriais: Estes testes determinarão a presença de anticorpos e enzimas musculares.
  • Eletromiografia. É necessário para detectar lesões musculares ou nervosas.
  • Biópsia. É necessário para examinar cuidadosamente um pedaço de tecido.
  • Raio-X. Com estes, você pode obter as imagens dos ossos e tecidos internos afetados.
  • Ressonância Magnética. Usado como último recurso para ver quanto um órgão foi afetado.

Tratamento para dermatomiosite juvenil

O tipo de tratamento vai depender de quanto a doença afetou o paciente. O que se espera do tratamento é reduzir a inflamação para evitar danos nos tecidos, assim como recuperar a força muscular, reduzir a dor e, em termos gerais, melhorar a qualidade de vida da criança.

Isto é possível através de tratamentos de apoio e uma abordagem multidisciplinar constante, entre elas:

Medicamentos

Os medicamentos mais freqüentes são os glicocorticoides e o metotrexato para a inflação. Para a pele, drogas antimaláricas, como a hidroxicloroquina e o uso de protetor solar.

A dermatomiosite infantil: sintomas, diagnóstico e tratamento

Terapias

A fisioterapia ajudará o paciente a manter e melhorar a flexibilidade e a força dos músculos. Quando os músculos da deglutição são afetados, a terapia da fala será essencial para ajudar a gerenciar as mudanças.

Alimentação

A orientação de um nutricionista para indicar quais alimentos a criança pode consumir, de modo que a mastigação e a deglutição possam se tornar muito mais fáceis para ela, serão indispensáveis.

Uma vez que o tratamento é aplicado corretamente, a criança pode responder favoravelmente em um tempo não superior a dois meses.

Por fim, você deve ter muita paciência, pois certamente muitas vezes a criança irá manifestar ansiedade ou frustração devido à grande quantidade de sintomas que geram desconforto.

Embora a dermatomiosite juvenil não tenha cura, há muitos pacientes que não apresentam complicações por longos períodos.

  • Pilkington, C. (2016). Juvenile Dermatomyositis. In Handbook of Systemic Autoimmune Diseases. https://doi.org/10.1016/B978-0-444-63596-9.00010-4
  • Sánchez-Manubens, J., Clemente, E. I., Jou, C., Enseñat, M. A. G., & Iglesias, E. (2015). Dermatomiositis juvenil. Pediatria Catalana.