A disciplina positiva para educar crianças felizes

31 de março de 2019
No que diz respeito à criação, poucas coisas são mais contraproducentes do que o autoritarismo e a exigência excessiva. É muito melhor recorrer a estratégias motivadoras que fortaleçam a autoestima e a motivação das crianças e dos adolescentes.

A disciplina positiva é caracterizada pelo uso de normas que orientam, mas não sufocam. Essa estratégia é bastante diferente dos métodos autoritários de educação infantil usados nas últimas décadas. Em seguida, vamos ver a importância de educar crianças felizes e qual é o melhor método para conseguir colocar em prática.

Hoje em dia, infelizmente, é muito frequente ver pais muito exigentes. Muitas vezes, eles não se dão conta da pressão que fazem os filhos sentirem com as suas imposições. Inclusive, as exigências nem sempre têm fundamentos concretos.

O que você deve procurar fazer é exatamente o oposto. Evidentemente, os limites são indispensáveis pois temos que nos ajustar a certas exigências e obrigações pelo simples fato de viver em sociedade.

No entanto, é importante escolher bem como transmitir. É nesse momento que devemos aplicar as estratégias da disciplina positiva, pois permite que a criança dê o melhor de si sem se sentir sobrecarregada.

Consequências de exigir demais das crianças

Exigir demais é muito prejudicial aos pequenos. Com isso, apenas se limita a sua capacidade de aproveitar uma fase maravilhosa e cheia de oportunidades. As demandas excessivas ou impostas do jeito errado podem ser a causa de alguns problemas. Veja alguns deles:

  •  Dependência e incapacidade de tomar as próprias decisões.
  • Baixa autoestima.
  • Irritabilidade, ansiedade e agressividade.
  • Repressão emocional.
  • Medo de cometer erros e assumir riscos.

Como implementar a disciplina positiva?

Na hora incentivar a responsabilidade em nossos filhos, podemos considerar alguns pontos básicos para implementar a disciplina positiva. Estes são alguns deles:

1. Estabelecer uma rotina

Por mais que muitas pessoas não gostem, a verdade é que a rotina ajuda a organizar a nossa vida. Dessa forma, a nossa mente e até mesmo todo o nosso organismo é “programado” para realizar certas funções em momentos específicos.

A disciplina positiva é um ótimo método para que as crianças aprendam sem prejudicar a autoestima.

Esse simples costume permite liberar espaço em nossa mente para questões mais importantes. Assim, em vez de a criança pensar no que vai encontrar ao longo dia, ela já terá uma ideia das tarefas e atividades que deverão ser realizadas.

Além disso, permite que ela conheça as suas responsabilidades em cada situação. Por exemplo, ela saberá que, depois do jantar, é hora de dormir.

2. Dedique tempo

Fortalecer o vínculo entre pais e filhos é fundamental por muitas razões. A primeira é que os pequenos terão um maior equilíbrio emocional. Como consequência, terão maior motivação, tranquilidade e perseverança para alcançar os seus objetivos.

Da mesma forma, a criança verá os pais como figuras de apoio, que querem o melhor para ela. Se, em vez de ser autoritária, você explicar o porquê de certas demandas, é possível que ela obedeça de boa vontade.

Para conseguir tudo isso, é essencial dedicar tempo de qualidade aos filhos. Atitudes como ler histórias antes de dormir, dar apoio em suas atividades, brincar com elas no seu tempo livre e estar aberta ao diálogo são simples de serem aplicadas, mas fundamentais nesse processo.

“Os pais devem aplicar estratégias de disciplina positiva pois permitem que a criança dê o melhor de si sem se sentir sobrecarregada.”

3. Reconheça as suas conquistas

Uma parte importante da disciplina positiva é parabenizar as crianças quando elas cumprirem o que devem fazer. Embora se possa dizer que não é mais que obrigação cumprir com os deveres, também é verdade que todos gostam de ser reconhecidos pelo esforço.

Dê à criança o seu merecido reconhecimento e – por que não? – uma recompensa. Desse modo, ela verá que suas ações são reconhecidas, assim como suas habilidades.

4. Limite as expectativas

Se há algo totalmente oposto ao método da disciplina positiva, é fingir que a criança é melhor em tudo. Igualmente, também não é saudável inscrever o pequeno em todas as atividades que você vê pela frente.

Você não deve querer que o seu filho seja melhor que as outras crianças. Na verdade, a ideia é que é ele seja a melhor versão de si mesmo. Portanto, permita que ele dê o melhor de si, de acordo com as suas capacidades.

Do mesmo modo, não há sentido em obrigar as crianças a fazer milhares de atividades extracurriculares. Muitas vezes, elas nem sequer gostam.

Tente fazer o contrário. A disciplina positiva tem a ver com melhorar as habilidades das crianças para fazer coisas pelas quais elas são apaixonadas. O melhor, portanto, é que seja a criança quem escolha qual esporte fazer, qual língua aprender ou qual instrumento quer tocar, etc.

A disciplina positiva alcança resultados melhores do que a autoritária.

5. Não se torne permissiva

Diante do que foi mencionado, você pode ficar a ideia de que os pais devem ser abertos e permissivos. Para dizer a verdade, isso também não é bom se for extremo. As crianças devem aprender que existem regras e exigências a serem cumpridas.

As regras existem na infância, mas também vão existir pelo resto da vida. Portanto, a criança deve entender como respeitar desde cedo sem pensar que a sua liberdade é limitada pelas regras.

6. Faça com que a criança participe

Em vez de mandar que a criança faça as coisas “apenas porque sim”, é muito positivo que você ofereça uma escolha sempre que possível. Assim, as exigências parecerão muito mais agradáveis e respeitosas para ela.

Por exemplo, em vez de um simples “Faça o seu dever de casa”, é mais conveniente dizer “Você quer comer um lanche enquanto faz o dever de casa ou prefere tomar um banho primeiro?” Assim, ela se sentirá motivada a adquirir mais “independência” e liberdade em suas decisões.

Como você pode ver, a disciplina positiva é perfeitamente aplicável nas ações diárias. É simplesmente uma questão de substituir a imposição pela persuasão. É claro, isso deve ser feito sempre mantendo a autoridade e os limites em casa.

  • Nunes, P. (2007). Psicologia positiva. https://doi.org/10.1111/j.1467-9280.2008.02068.x.
  • Sampaio, I. T. A. (2017). Inventário de Estilos Parentais (IEP): um novo instrumento para avaliar as relações entre pais e filhos. Psico-USF. https://doi.org/10.1590/s1413-82712007000100015