A higiene bucal na escola

8 de julho de 2019
Devemos aproveitar todos os espaços (não apenas a nossa casa) para incentivar bons hábitos nas crianças. Em particular, os de higiene e cuidado pessoal.

A higiene bucal na escola é necessária, especialmente durante a pré-escola e o ensino fundamental. Não só porque ajuda a estabelecer o bom hábito de cuidar dos dentes, mas também porque ajuda a criança a promover uma melhor autoimagem perante os colegas e amigos.

Lembre-se de que há muitas crianças que tomam o café da manhã e também almoçam na escola. Ao passarem tantas horas sem escovar os dentes, elas podem ter halitose. Isso, combinado com uma hidratação deficiente e uma dieta rica em açúcares, pode promover o aparecimento de cáries, gengivites e outros problemas.

Uma higiene bucal ruim não só causa má aparência ou halitose, como também pode causar dor (de intensidade leve a intensa), dificuldade para comer, infecções, entre outros.

É por isso que a higiene é tão importante. Certamente, deve ser ensinada às crianças de uma forma divertida e dinâmica, em forma de dicas, por exemplo, para que seja mais fácil que elas coloquem isso em prática no dia a dia.

A importância da higiene bucal

A importância da higiene bucal

A higiene bucal é de grande importância para levar uma vida saudável, uma vez que a cavidade oral é a principal porta de entrada para os microrganismos invadirem o nosso corpo.

Nesse sentido, um problema na cavidade oral pode vir a se espalhar para outras partes do organismo e, assim, causar o aparecimento de sintomas desfavoráveis no restante do corpo.

Embora possa não parecer à primeira vista, ensinar as crianças a não colocar qualquer objeto na boca, bem como a lavar as mãos e a escovar os dentes, ajuda consideravelmente a prevenir doenças de todos os tipos. Isso promove o bem-estar e, por consequência, um bom desenvolvimento no âmbito escolar.

A escola é o lugar onde as crianças aprendem certos conhecimentos e também reforçam outros que já foram adquiridos em casa. Nesse sentido, a higiene bucal não fica excluída de forma alguma.

É importante que o hábito se consolide para que, assim, no futuro a criança cresça e se torne um adulto responsável, que saiba cuidar de si mesmo, inclusive quanto a aspectos tão simples quanto a saúde bucal.

O que a higiene bucal na escola envolve?

1. Higiene diária dos dentes

Inicialmente, as crianças mais novas podem escovar horizontalmente com uma escova de dentes. Mas depois que uma criança completa 10 anos de idade, ela deve saber que as cerdas devem ser posicionadas em um ângulo de 45° em relação à gengiva.

Essa é uma manobra chamada ‘técnica de Bass’. Quando feita, remove grande parte da placa dental acumulada na borda dos dentes, na junção com a gengiva.

Com relação à concentração de flúor nos cremes dentais, recomenda-se o uso de pastas com conteúdo de até 500 partes por milhão (ppm) de íons de flúor. Isso serve para crianças com idades entre 2 e 9 anos, e é preciso se certificar de que, após a escovação, elas removam toda a pasta de dente da boca com muita água limpa.

Enquanto isso, para as crianças com mais de dez anos de idade, as concentrações de flúor na pasta de dente devem estar entre 1000 a 1450 (ppm) e o enxágue no final da escovação não deve ser excessivo para que o efeito do flúor nos dentes possa ser utilizado corretamente.

Higiene diária dos dentes

2. A alimentação adequada

Sem dúvida, as escolas devem programar atividades com as quais as crianças possam entender a importância de consumir alimentos saudáveis. E nas quais elas também possam identificar quais alimentos são benéficos para o organismo e quais não são.

Principalmente porque, afinal, uma dieta equilibrada intervém diretamente na saúde bucal tanto das crianças quanto da população em geral.

3. Consultas periódicas com o dentista

Certamente a questão da higiene bucal na escola deve promover nas crianças a importância das consultas periódicas com o dentista ao torná-las conscientes da importância de examinar e controlar a higiene da cavidade oral.

Nesse sentido, as instituições educacionais podem programar atividades nas quais as crianças conheçam o papel dos profissionais da saúde bucal e também aprendam como deve ser a consulta com o especialista, por exemplo. Dessa forma, as crianças sentirão interesse em aprender e perderão o medo das consultas odontológicas.

A higiene bucal na escola não é difícil de ser conseguida se um bom exemplo for dado e se as crianças forem supervisionadas. Por outro lado, é aconselhável sempre trabalhar em equipe (pais e educadores) para alcançar os objetivos. Dessa forma, o trabalho será muito mais agradável para todas as partes, incluindo a criança.